Tag: estacionamento

#002 – Bicicleteiro Maldito!!!

Rock ON!

***COM 101 INSCRITOS POSSO TROCAR O NOME NA URL!!! AJUDEM-ME”***

Saiba como um ciclista pode ser um desgraçado, lazarento, egoísta e maldito, se achando o dono da rua, desrespeitando os outros.

Descubra como uma motorista que só queria acessar o estacionamento, sinalizando numa via movimentada teve sua dignidade ferida por um imbecil sobre duas rodas.

Aprenda um pouco sobre fluxo, contra-fluxo, respeito, dignidade e como desejar o mal alheio!

Gravado com muito ódio, indignação e Lumia 830.

Só para mostrar um pouco do inferno que é SP.

links

http://ift.tt/24duJtv

http://www.youtube.com/c/PriscilaGuerrero

via IFTTT

Motoristas do Ano!

Rock ON!!!

Não vou escrever muito, as imagens já falam por si! Flagrante feito no estacionamento do Atacadista Assai:

WP_20140929_18_34_32_Pro

WP_20140929_18_34_39_Pro

WP_20140929_18_04_57_Pro

WP_20140929_18_34_24_Pro

O que dizer deles? São idiotas, nenhum era idoso ou deficiente.

Rock OFF!!!

O Melhor Motorista do Mundo!

Rock ON!!!

Vejam como é um bom motorista o dono desse carro! Uma verdadeira inspiração de como não se deve estacionar!

WP_20140916_22_47_24_Pro

Rock OFF!!!

Mas que Calor!!!! Arrefecimento do Carro!

Rock ON!!!

Nesta terça-feira fui surpreendida pelo meu carro. O indicador de temperatura finalmente chegou no H, Hot, QUENTEEEEE!!!

Achei que era culpa do transito da Marginal Tietê. No dia seguinte, quarta-feira, percebi que rapidamente o veículo indicou a alta temperatura.

Ciclo de Arrefecimento do motor. Este é um esquema simples, o mais simples que encontrei!

Ciclo de Arrefecimento do motor. Este é um esquema simples, o mais simples que encontrei!

Estacionei onde deixo o carro, esperei esfriar, abri o capô e para minha surpresa, o líquido de arrefecimento, conhecido também como água+Paraflu, tinha sumido. Assim, puf!

Fiquei atordoada. Fui trabalhar. Pesquisei no mestre Google e descobri que pela quilometragem do carro, é um problema comum de ocorrer. O meu está com 55 mil km rodado e esse problema surge entre 30 mil e 50 mil km. Ou seja, até que durou bastante, né?

Bom, continuei atordoada, sem saber o que fazer. Conversei com o HAPS sobre o assunto e descobri que dei muita sorte: eu podia ter tostado o motor do carro. SIM! Podia! E ele me lembrou também que pago seguro, vejam só vocês! Pagamos seguro e quando precisamos, esquecemos que temos!

Bom, sabe aquele dia que tudo dá errado? Um celular com a bateria no fim e o outro sem créditos, tive que pedir por email, para minha mãe agendar um socorrista com a seguradora. Perfeito, agendado, o rapaz veio, muito gentil o Eduardo.

Verificou e descobriu que o problema todo foi uma mangueira! SIM! Uma mangueirinha que estourou. Essa mangueira leva água fria para resfriar o motor e depois transporta a água quente para a frente do carro, onde a ventoinha esfria essa água e assim, gerando o ciclo de arrefecimento.

Mangueira do Arrefecimento. O desgaste dela é natural. A do meu carro se destruiu nessa junção em 'T'.

Mangueira do Arrefecimento. O desgaste dela é natural. A do meu carro se destruiu nessa junção em ‘T’.

Não teve jeito, o Einstein foi guinchado e eu ganhei um passeio de caminhão. Confesso, foi legal andar de caminhão.

Chegamos no Centro Automotivo, fui bem recebida, meu carro também, mas ele ficou dormindo lá, afinal, chegamos na hora de fechar o estabelecimento!

Andou de guincho pela primeira vez. Aliás, não é bem um guincho, né? O Eduardo foi o socorrista da vez. Profissional muito atencioso e prestativo.

Andou de guincho pela primeira vez. Aliás, não é bem um guincho, né? O Eduardo foi o socorrista da vez. Profissional muito atencioso e prestativo.

Sempre fazemos em dia as revisões do carro. Mas essas eventualidades podem acontecer. Disso tudo, tiramos algumas lições:

  1. Sempre checar o container do líquido de arrefecimento do motor. SEMPRE!
  2. Tenha muitos contatos, em diversas áreas ou alguém como HAPS que sabe de tudo. Ok, estou exagerando, ele não sabe tudo, desenhar ele não sabe, mas não precisava de um desenhista, né?
  3. Mantenha seus celulares com as baterias carregadas e com créditos. Juro para vocês que eu quase não uso celular, tenho uma linha econômica porque quase não faço ligações, mas este mês, precisei muito dele. E curiosamente a fatura vira hoje e meus créditos serão liberados de novo!
  4. Não digo para terem a melhor mãe do Universo, pq ela é a minha mãe e estou bem como filha única, mas tenham uma mãe legal, elas nos ajudam muito nessas horas de desespero absoluto!
  5. Nunca se esqueça que tem seguro e conheça todo o leque de serviços que oferecem, ou pelo menos, os principais.
  6. Tenha alguém de sua confiança que vai lembra-lo do item 6.
  7. Não tenha medo ou vergonha de pedir ajuda. Não dá para saber tudo, nem o HAPS sabe tudo, mas podemos sempre perguntar para alguém. A pessoa pode até não saber também, mas de repente ela aparece com uma boa solução.
  8. Fuja das pessoas que você sabe que não vão agregar valor ao seu problema e nem te ajudar.
  9. Não ouça pessoas malucas com ideias mirabolantes!
  10. Sempre veja se há gatinhos escondidos no motor. Juro que pensei que havia um gatinho lá quando o motor aqueceu e foi terrível abrir o capô, mas foi um alívio ver que não havia nenhum felino lá.
  11. Paguem em dia o seguro, sejam fieis a uma oficina e tratem bem àqueles que lá trabalham. Você pode ter tratamento VIP por que eles te conhecem e se você os tratar bem, vão cuidar de você e de seu carro muito bem. Lembrem-se: são pessoas que estão alí trabalhando, não são coisas. São humanos e merecem atenção.

Bom, é isso, pessoal!

Depois conto em quanto ficou essa aventura!

 

Rock OFF!!!

Violência Gratuita

Rock ON!

Hoje sofri uma agressão gratuita no estacionamento externo do Shopping D.

Estava descansando no meu carro, antes de encontrar com o grupo para uma reunião de um dos trabalhos da facul. Ouvi um barulho na lataria do carro e como estava meio dormindo, sentei no banco e me perguntei: o que foi isso?

Olhei para fora e vi um rapaz, de uns 30 anos, falando alguma coisa para mim. Abri os vidros e perguntei: o que houve?

Ele já estava bravo e disse q não tinha acontecido nada.

Aí eu disse pura e simplesmente: “Tá”…

Sim, meus amigos, eu disse só isso. Nada demais.

O sujeito começou um bate-boca comigo, onde infelizmente eu tentei dialogar com ele. Gravei o áudio. Aliás, não sei se vou divulgar, não sei se vale a pena o upload de algo tão imbecil assim.

Para resumir, ele surtou, arrancou o retrovisor do lado do passageiro do meu carro e fugiu. Claro que antes dele fugir, revidei na mesma moeda e possivelmente causei-lhe um prejuízo. Não me orgulho disso, mas foi o único jeito que tive para me defender.

Além dessa agressão ao meu patrimônio, ainda houve outra coisa, que achei a mais absurda: ele, na sua infinita idiotice, disse q eu deveria esperar ‘minha namorada’. Ora bolas, quer comentário mais sem nexo que esse? Primeiro, minha orientação sexual não diz respeito a terceiros. Se estou esperando alguém do mesmo sexo ou do oposto, o problema é meu. No caso, nem uma coisa, nem outra, estava apenas descansando no MEU carro.

Segundo, o jeito como ele falou, com certeza foi homofóbico e desnecessário. Ora bolas, o que esse sujeito tem a ver com a orientação sexual alheia? Pq isso o incomoda tanto? Não faz o menor sentido.

Vendo que isso não me atingia, pq não vejo como chamar alguém de lésbica ou gay pode ser considerado uma ofensa, visto que são apenas orientações sexuais, como ser bissexual ou hétero, que é minha orientação [contei só para vcs não ficarem curiosos a respeito. Não sei pq, as pessoas ultimamente sentem essa curiosidade sobre a vida alheia, como entender?].

Bom, ele não satisfeito, resolveu ofender minha mãe, mas isso sempre soube revidar bem. Sou como juiz de futebol, tenho minha mãe e a mãe virtual para ofenderem a vontade, então, também não deu certo.

Tento me chamar para fora do carro, para me bater. Sim, amigos leitores, ele queria bater em mim. Acho que agora cabe uma descrição do sujeito, que serve até como alerta para vocês:

Tem uma tatuagem, algo escrito, não deu para ver o que era, no braço esquerdo, letras caligráficas. Tem cerca de 1,80 de altura, corpulento, como quem faz academia, um cara forte mesmo. Afrodescendente, moreno ‘cor de chocolate’, cavanhaque, cabelo bem curto, bem vestido, com um carro bem cuidado, preto. Assim é o sujeito, então cuidado! Especialmente mulheres, idosos e pessoas fraquinhas, esse é o tipo de gente que ele vai escolher como vítima de sua loucura.

No final, ele decidiu sair com o carro e foi puxando meu retrovisor, pronto, dano patrimonial ele conseguiria me atingir. É, amigos, mas vou pagar uns 200 reais num retrovisor novo para um pálio.

Quando percebi esse tipo de agressão, aí, o sangue subiu e não me orgulho nem um pouco do que vou dizer, mas é preciso que toda a verdade seja dita: antes dele tentar fugir, eu peguei o retrovisor dele também e empurrei para quebrar. Acho que obtive sucesso e fracasso. Sucesso pq quebrei o retrovisor e possivelmente dei um prejuízo de uns 400 a 500 reais para ele. Fracasso pq machuquei a mão direita: polegar e o dedo médio. E agora tenho que conviver com esse fantasma.

Fantasma porque, segundo ele, é um PJ, Pessoa Jurídica. Imagino que estivesse prestando serviços no Shopping D e por isso as chances dele aparecer de novo são altas e vou tomar um prejuízo financeiro de pelo menos uns 100 reais na próxima semana para esconder o carro dentro do shopping, onde tem câmeras.

Depois que ele fugiu do local, tirei fotos de como ficou o retrovisor do carro. Liguei para minha mãe, pq nessas horas, só mãe mesmo para nos colocar nos eixos. Ela me aconselhou a guardar o carro lá dentro, assim o fiz.

Fui encontrar os meninos do grupo, mas acabei encontrando o Guilherme, meu sócio aqui no Rock Me ON, jantando no Shopping. Ele me acalmou e me aconselhou a fazer uma denúncia no SAC do Shopping.

Fiz a denúncia e em 7 dias terei uma resposta. Porque o fato aconteceu nas dependências externas do Shopping D e talvez, talvez eles consigam imagens do cara, para deixar os seguranças em alerta. Pq não vai passar disso, não tem nem como.

Na hora do nervosismo, não consegui pegar a placa do carro dele. Infelizmente.

Mas o que mais gostei em mim, foi que tentei dialogar ao máximo com ele. Acho que no ano passado, eu teria caído nas provocações, saído do carro, talvez apanhado feio, pq o cara era realmente grandalhão! Teria ofendido ele com nomes feios, enfim, teria feito alguma big ‘M’ do tipo, mas hoje não, só conversei e me ferrei, como podem ver, mas estou bem comigo mesma e isso não tem preço.

A minha noite com o grupo foi com a produtividade lá no chão, eu realmente estava preparada para adiantar bastante da documentação, mas fiquei com 20% da minha capacidade.

Estava agora tentando fazer outra parte,  mas este assunto estava me consumindo, então, agora que escrevi, acho que posso dormir, porque vou levar o carro na concessionária para arrumar, não posso ficar sem retrovisor do passageiro! E ficar com a mente livre para escrever a documentação necessária.

Depois vou editar isto com calma e colocar as fotos do carro avariado.

Eu não sei a violência que sofri, ou deveria dizer ‘as violências’? Foram consequência do clima ruim que está em SP, onde todos os dias estamos vendo atos assim na TV e as pessoas com ‘mente fraca’ se influenciam facilmente  saem repetindo o que veem; ou se a violência foi cometida por um cara já naturalmente violento, porque como me disse o Guilherme, não dá para chamar um sujeito assim de homem, apenas de ‘cara’.

Ou ainda, foi uma explosão do momento e eu, trouxa, estava por perto e fui atingida pelos estilhaços de ódio dele, pontuados por agressões sobre orientação sexual, ofensa à mãe, ao meu ‘namorado’ que eu supostamente estava esperando [pelo visto o cara depois de me chamar de lésbica, resolveu que eu era bissexual ou hétero, né? Enfim, como disse antes, não é ofensa, é apenas ilógico querer usar isso como ofensa.]. O que foi tudo isso? Ah, sei lá…

Quero agradecer a todos que me deram apoio esta noite, sem vcs não sei como seria. Realmente muito bom poder contar com cada um de vcs, alguns até de longe, querendo saber como eu estava ou se eu tinha me machucado, obrigada mesmo, vcs são ótimos e é bom compartilhar o mesmo século com todos!

Obrigada por lerem este meu pequeno desabafo e fica uma coisa para vocês pensarem:

“Será que essa violência toda que está acontecendo na cidade está deixando as pessoas malucas, valentes demais ou idiotas ?”

Comentem!

Divulguem, por favor, nunca peço isso, mas desta vez, eu peço mesmo que divulguem isso. Porque outras pessoas podem ser vítimas desse cara! Talvez até assassinadas por ele!

É isso, vou dormir agora, são 01:51.

Rock OFF!

Mensagem ao Shopping D

Rock ON!!!

Apenas quero que as coisas mudem. Segue na íntegra, mensagem enviada ao SAC – Serviço de Atendimento ao Cliente do Shopping D.

Nesta última terça deixei meu carro no estacionamento. Ao voltar para pegá-lo, após às 22h fui informada pelo segurança Brito que não poderia entrar com meus 4 caronas dentro do shopping para pegar o carro por conta de uma regra do condomínio. O segurança Valter veio, pois deve ter achado que iríamos causar alguma confusão e disse a mesma coisa.

Ofereceram que eu falasse com o Supervisor, senhor Aldo. Ele veio e me disse também que não poderíamos entrar todos juntos. Ao questioná-los sobre onde estava a regra e se poderiam me mostra-la, disseram que não a tinham e que não era papel deles tê-la para me mostrar. Senhores, penso que como estou consumindo o serviço de estacionamento de vocês e sou informada do valor do estacionamento, que no caso foi pago via sistema Sem Parar, pois tenho a tag, tenho o direito de saber, além do preço que estou pagando pelo período, também conhecer as regras do condomínio quanto a esta situação, que foi de extremo constrangimento para mim e meus amigos, pois apenas queria entrar e pegar o carro para sair.

Ao final o senhor Aldo, nos acompanhou até o local onde deixei o carro. Mas já venho notado, em outras ocasiões em que deixei meu carro e precisei retirá-lo após o fechamento do shopping, o seguinte comportamento por parte dos seguranças: entro para pegar o carro e sou seguida sempre por dois ou mais funcionários. Sem meu consentimento, me vigiando, falando sobre mim pelo rádio como se eu fosse uma criminosa.

Ontem, 26/02/13 eu me cansei dessa situação de constrangimento contínuo e fiz questão de entrar acompanhada de meus caronas, visto que não havia a regra de condomínio escrita em nenhum painel dentro do shopping ou sequer um papel trazido pelo supervisor.

Então, diante do exposto, gostaria de saber sobre a posição do shopping D quanto a esta situação e se eu poderei deixar meu carro no estacionamento sem sofrer os seguintes constrangimentos: “onde está o tíquete de estacionamento?”, “sem o tíquete não entra!”, “não pode entrar com acompanhantes.” Não tenho tíquete porque uso a tag, e alguns seguranças não compreendem isso muito bem, sequer sabem o que é a tag do Sem Parar. Outros exigem que seja mostrado o QRCode.

Meu celular permite q eu tenha este programa. Mas e se não tivesse, não poderia entrar e pegar o carro? Se eu estivesse com minha mãe que é idosa ou com crianças, estes teriam que ficar esperando do lado de fora do shopping? Vejam, escolhi pagar o estacionamento porque sei que o bairro não é seguro, então, porque deixaria alí estas pessoas? Bem como porque deixaria meus caronas? Não faz sentido.

Se há regras, estas devem estar visíveis, pois estou utilizando os serviços e estou pagando por eles. Gostaria de dizer também, que enquanto aguardo uma resposta dos senhores, via email, publicarei esta mensagem em meu site pessoal, o qual podem consultar em http://rockmeon.wordpress.com. E também pretendo publicar a resposta de vocês, caso receba alguma [e gostaria mesmo que respondessem] publicarei também.

Obrigada e aguardo.

—-
Espero que tenha retorno.
Rock OFF.

Segurança Grosseiro do Atacadão

Meus leitores, boa tarde!

A postagem de hoje é uma carta que escrevi ao Fale Conosco da rede de lojas Atacadão. Deixo publicado aqui, pois não quero que passem o que passei.

Espero que este serviço me responda e assim que o fizer, postarei aqui.

Deixem comentários!

Prezados, boa tarde.

Primeiro quero pedir desculpas por usar o estacionamento desta loja por 2 dias consecutivos. Sei que errei. Hj, minha intenção era fazer compras nesta loja, mas devido ao mau tempo, não o fiz.

Segundo, fui abordada por um segurança que me disse, educadamente, que não era permitido estacionar alí. Pedi desculpas e disse que não faria mais. Ele disse-me que o supervisor dele queria falar comigo. Eu lhe expliquei que nao poderia, dado o mau tempo, mas que poderia falar amanhã. Nisso, entrei no carro. Ouvi um barulho de rádio, era o chefe dele me dando bronca.

Saí do carro e disse q não havia entendido. Ele repetiu a msg grosseira via rádio, nisso, chegaram outros 2 seguranças. Eu me senti constrangida, pois parecia que eu tinha roubado algo ou que estava criando problemas, quando na verdade, já tinha admitido minha falta e dito que nao faria mais, estes 3 seguranças foram educados e estavam cumprindo ordens do tal supervisor, que nao satisfeito por eu nao ir até a presença dele, veio correndo, como se eu fosse uma bandida, apontando o dedo e falando alto comigo e num tom completamente alterado.

Tentei conversar com ele, pedi desculpas novamente, mas ele me ameaçou,disse q levaria minha placa à empresa que trabalho, me acusou de estacionar sempre no local, fato que é inverídico, visto que foram 2 vezes, consecutivas, mas apenas duas. Vendo que ele estava alterado, ia embora e perguntei: entao nao posso fazer compras no atacadão? Ele me respondeu: pode, mas vai ter que deixar o carro na rua! E novamente apontou o dedo para mim, me constrangendo mais ainda e aos demais seguranças, pois percebi que os mesmos estavam também coagidos a estar alí e presenciar aquilo, que nao precisava de tanto escândalo. Sinceramente, sei que o que fiz nao foi correto e primeiramente fui advertida como deveria ser.

 O que considerei um abuso, foi a grosseria deste funcionário, que nao quis me dizer o nome, mas que fica sempre na portaria de entrada de caminhões e se diz supervisor, mas que é muito mal educado, nervoso, se altera e faz os clientes ficarem constrangidos, pois eu compro SEMPRE nesta loja, sejam itens para minha casa ou para consumo no trabalho ou até mesmo, para eventos em minha faculdade.

Faço no mínimo 3 compras por semana, sem contar uma grande todo mês e creio que não merecia ser tratada como fui. Também compro na rede Carrefour e nunca tive problemas com os seguranças de lá. Então, gostaria que vocês treinassem esta pessoa, lhe ensinassem que o cliente é importante, mesmo estando errado, merece ser orientado com educação e como ser humano, merece ser tratado com dignidade.

 Desde já agradeço pela atenção e informo que este texto será divulgado em meu blog para que outras pessoas tomem conhecimento de que não é permitido estacionar nesta loja e que devem tomar cuidado com o supervisor grosseiro que pensa ser um ‘Capitão Nascimento’ do Atacadão.

Espero também um retorno deste Fale Conosco.

 Endereço do Blog: http://rockmeon.wordpress.com.

Twitter: prissguerrero

Grata.

%d blogueiros gostam disto: