Tag: Passeio

Caminhada 15 – Parque Ecológico do Tietê!!!

Rock ON!!!

 

Nessa caminhada fizemos 5km e 326 metros de caminhada contínua.

Fomos novamente ao Parque Ecológico do Tietê, num dia não muito quente, já que fomos em 30 de agosto.

Vimos a parte de trás do parque e  a ilha dos macacos, que tem bem poucos macacos hoje e está muito mal cuidada. Acho que os bichos estão lá por sua própria conta, o que é bem triste.

As lagoas do parque possuem um cheiro forte e fétido, que queima as vias aéreas. Não iremos mais nesse pedaço da trilha, é péssimo.

Seguem fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Rock OFF!!!

 

Silêncio e Monotonia!!!

Rock ON!!!

Um pequeno conto para vocês lerem rapidamente:

 

vodoo

Deitado tranquilamente, em seu leito aconchegante, coberto com tecidos macios, observava o teto enquanto seus olhos resistiam bravamente àquela monotonia insistente. Nenhum grilo, nenhuma folha balançava na árvore do quintal, nenhum cão uivava, nenhum gato passeava, era tudo monotonia e silêncio.

 

Vislumbrava seu dia de trabalho, seu chefe mal-humorado, o trânsito pesado, os demais motoristas encrenqueiros, o passeio agradável daquela noite, o tempo passou e ele nem percebeu, vislumbrava tudo isso e algo mais.

 

Sua música favorita ecoava em sua mente, o almoço estava ótimo, o café da tarde  muito bom, as demandas do dia até o aborreceram, mas a noite havia sido melhor, o passeio compensara tudo e só queria aquele momento mais uma vez. A monotonia e silêncio do ambiente contrastavam com  o turbilhão de imagens que dançavam diante de seus olhos naquele momento.

 

A respiração estava lenta, o coração desacelerava, toques de estrelas pairavam ao redor dele, seu corpo estava leve, sua mente de repente desligava.

 

Um ser purpura de olhar assustado conversava com outro, de face branca, que serpenteava em brilhantes flocos de luz, pó de estrelas talvez, não importava, era tudo calmo e monotonia.

 

Línguas estranhas eram ouvidas, flocos de gelo eram sentidos, chocolate era o sabor daquele ar. Que estranho, o ar tem sabor agradável. O ar tem sabor. Silêncio.

 

Era leve, estava aconchegado, assim, tão calmo e em paz.

 

Pela manhã, ao se olhar no espelho, vagamente se lembrava dos seres que vira, tinha uma sensação ótima, estava em paz, ainda na memória tinha o passeio daquela noite, especial e perfeito.

 

Mas guardaria para si a sensação. O medo da verdade era maior. Não sabia o que viria depois, podia perder tudo e isso não queria. Mesmo banhado com o pó de estrelas daqueles seres estranhos, mesmo assim, ainda não era hora, precisava esperar, não era seguro.

 

Mais uma noite viria, tranquila, silenciosa e monótona. Era só esperar. Entretanto, ansiava por mais um passeio e isso o deixava sem ar, pois não sabia quando viria, era imprevisível.

 

 

Rock OFF!!!

 

 

Caminhada 5 – Parque Ecológico do Tietê!!!!

Rock ON!!!

O Parque com o acesso mais estranho de todos. Aliás, em SP é bem chato chegar nos parques. Estou percebendo isso.

Hoje andamos 3km e batemos nosso recorde!!! Eu me pesei e estou com 107kg cravados!

O Parque Ecológico do Tietê é bem grande e cheio de gente. Até o momento parece o parque mais legal que fomos ou pelo menos aquele com maior quantidade de atrações.

Não vimos o parque todo, ficamos 1h08 por lá. Mas tem bastante espaço, sofreu reformas e está bonito e bem diferente do que eu me lembrava.

Tem um museu lá, mas não entramos, fecha às 16h e chegamos após isso. Tem banheiros, quiosques para churrasco e pic-nic, quadras esportivas e ouvi umas conversas de pessoas que dizem ter até piscinas por lá. Eu não as vi. Há uma trilha imensa, que não fomos porque chegamos tarde.

Com certeza é um parque que deveremos voltar mais vezes para poder vermos tudo direito.

Abaixo, o caminho que fizemos e os relatórios do app Route Tracker:

foto_02

foto_03

foto_04

foto_05

Foi bom passeio, apesar de que fomos extorquidas por flanelinhas para deixar o carro. E isso com PM por perto, patrulhando, ou seja, flanelinha é prática comum ali.

Dou uma nota 9 para o Parque Ecológico do Tietê, pois melhoraram muito a infraestrutura que conheci lá em 2000. É, gente, faz tempo mesmo que estive passeando por lá.

O parque ainda tem pedalinhos, bicicletas, triciclos e carrinhos de pedal para alugar e passear. Acho que pegarei um desses na próxima visita. Fiquei bem animada.

Abaixo estão as fotos que tirei hoje, dá pra ter uma noção de como é o local.

Fotos:

É isso, pessoal!

Rock OFF!!!

Falta de Memória!!!

Rock ON!!!

Realmente gostaria muito de me lembrar como fiz a imagem abaixo.
Não tenho certeza se foi no Photoshop. Não achei o PSD original.
Pode ter sido no Paint? Pode.

Não sei mesmo, mas acho que é uma imagem muito bacana e também não me lembro de tê-la postado por aqui. Mesmo assim, gostaria de compartilhá-la com vocês.

paisagem

Mas com certeza o passeio que fiz ontem é inesquecível, eu me diverti muito.
Muito obrigada aos envolvidos em mais essa aventura de minha vida, senhores Henrique e Kaique. 🙂

Em breve, as fotos do passeio.

Rock OFF!!!

Viagem Maluca de Última Hora

Rock ON!!!

Olá, pessoal!

Faz tempo que não escrevo por aqui e o pior é que sempre que estou longe daqui, tenho vontade de escrever.

Bom, hoje vou contar uma aventura doida que eu tive no último domingo, dia 04 de agosto de 2013 [estou marcando a data aqui como lembrete para mim mesma].

Domingo fez um dia lindo e resolvi viajar. Saí na hora do almoço, queria apenas ficar dirigindo. Fui pela Rodovia Fernão Dias, pois tem menos pedágios.

Acabei chegando à cidade de Extrema, em Minas Gerais. Não se assustem, a cidade não é tão longe de São Paulo.

Ao chegar lá, deparei-me com um local preparado para turistas. Entrei no centro de informações, peguei uns mapas e saí em busca de uma cachoeira.

Acabei me perdendo dentro da cidade, que é cheia de lombadas e ruas inclinadas. E as lombadas são altas, bem altas! Achei o Banco Bradesco. Aproveitei e validei meu cartão novo. [Ok, isso é idiota demais, não faz parte da aventura, mas eu quis contar].

Depois, desisti da cachoeira. Resolvi voltar para SP, pois já era quase 15h30. Daí, pela segunda vez, passei por uma plaquinha que informava: “Rampa de voo”.

Adivinhem só: fui caçar a rampa.

Subi um morro dos infernos, pior do que em Águas da Prata para ver  o pico do Gavião. Era um caminho muito estreito, daqueles que só passam um carro por vez em alguns trechos e por sorte, quando aparecia alguém no sentido oposto, o trecho era um pouco mais largo, a ponto de tocar retrovisores.

É tenso isso. Eu torci realmente para não aparecer nenhum maluco ou uma pick-up. Felizmente não aconteceu.

Em dado momento, liderei um grupo de 3 carros e uma bike. Sim, havia um ciclista subindo a estrada. Daí, numa curva bem fechada, apareceu um carro.

Parei, esperei o cara passar e tentei subir, mas perdi o pé e o carro morreu umas 4 vezes. Pior foi olhar no retrovisor e ver uma velha mocoronga rindo de mim no banco de trás do outro carro. Porra, velha mocoronga, é tenso aqui, meu carro poderia virar dada a inclinação daquela via e as britas.

Tanto é, que quando consegui partir, o carro derrapou um pouco [confesso que foi legal demais e preciso comprar um Jeep depois dessa para fazer umas trilhas!]. Continuei a subida e numa trifurcação na trilha poderia escolher entre:

  • ir para Joanópolis;
  • ir para a Torre da Embratel;
  • ir para a rampa.

Óbvio que fui para a rampa. Nisso, o grupo de carros passou na minha frente e rodei mais um pouco numa estrada bem íngreme e estreita. Detalhe: meu carro é 1.0, Pálio Fire Economy e estava abastecido com etanol.

Ao chegar no topo,  manobrei o carro e estacionei. Deparei-me com uma vista fantástica, de tirar o fôlego. E não foi só uma vista, havia outra rampa lá. Valeu a pena subir.

A única coisa ruim, foi que tinha um grupo de pessoas tagarelando e isso tira a magia do local, que para mim é apenas para contemplação em silêncio, ouvindo o vento.

Depois desci e voltei para SP. E essa foi minha viagem maluca.

Bom, querem ver as vistas?

Deixarei algumas fotos para vocês aqui.

 

Este é meu carro. Mereceu uma foto e um descanso na sombra dessa árvore.

Este é meu carro. Mereceu uma foto e um descanso na sombra dessa árvore.

Rampa! Finalmente!

Rampa! Finalmente!

Vista da Rampa 1

Vista da Rampa 1

Vista da Rampa 1

Vista da Rampa 1

Vista da Rampa 2

Vista da Rampa 2

Vista da Rampa 2

Vista da Rampa 2

É isso ae.

Rock OFF!

 

%d blogueiros gostam disto: