Tag: Rock

Devo e Não Nego, Posto Quando Puder!

Rock ON!!!

Boa noite, galera!

Sei que faz um tempinho que não posto nada. Mas isso não quer dizer que eu não esteja fazendo nada. Tenho trabalhado demais e estava fechando o semestre na faculdade, então, o Rock Me ON ficou meio parado.

Acho que o Guilherme Galdino esteve com o mesmo problema, pois estamos na mesma faculdade, porém em cursos diferentes, ehehe.

Bom, nesse meio tempo, consegui ir ao cinema e vi Carros 2 na estréia, muito bom, recomendo, é um filme todo voltado para o Mate, aquele guincho velhinho e zuado. O Relâmpago McQueen fica em segundo plano e merecido. A história se baseia em espionagem, bem ao ritmo de 007, muito diferente do primeiro filme, que por sinal era muito parado! O 3D dele não é muito bom. Aliás, nem parecia tanto 3D.

Também assisti Kung Fu Panda 2. Gostei bastante, o 3D está muito bem feito, ressaltando bem as pelagens dos personagens, especialmente da Tigresa. O vilão do filme é um pavão. Não tão assustador quanto o felino do primeiro filme, mas é um vilão do tipo intelectual. As cenas de ação estão muito bem feitas, dá gosto de ver. As piadas não são tão boas quanto as do primeiro filme, mas dessa vez o roteiro está bem melhor e compensa.

X-man Primeira Classe: Marquei de ir ver com o Guilherme, mas tanto eu quanto ele, tivemos que abortar a missão. Eu peguei uma baita gripe semana passada! Talvez eu tente ver esta semana, todos dizem que é um bom filme! Vamos ver, né?

Vai estrear Transformers. A parte 3 promete muitas revelações e cenas de ação para lá de emocionantes! Estou ansiosa.

Também aguardo o filme do Gato de Botas. Meu, não aguento mais só ver o trailer disso!!! Estou bem curiosa!

Hoje coletei as imagens para o post sobre Piratas do Caribe, talvez eu faça ainda no meio desta semana. vamos ver, né?

Comecei a jogar Narnia no PS2, estou completamente viciada no Angry Birds para PSPGO e Chrome (é praticamente o mesmo jogo, mas essa coisa vicia que é um terror!)

Bom, galera, vou dormir, pois amanhã é segunda e preciso trabalhar!

Rock OFF!!!

Gênio Explosivo: Não tem post no Rock Me ON?? Eu vou explodiiiiiir!

Gênio Explosivo: Não tem post no Rock Me ON?? Eu vou explodiiiiiir!

Angra – Aqua!!

Rock ON!

Passando o som:

Oi, galera! Hoje literalmente Rock ON! Pois vou falar de uma banda que é muito especial para mim, o Angra!

Confessori, Andreoli, Falaschi, Loureiro e Bittencourt!

Confessori, Andreoli, Falaschi, Loureiro e Bittencourt!

Quando conheci o Angra, foi pelo CD Temple of Shadows e em 2006, quando a banda passava por uma crise, não estava mais fazendo shows e a perspectiva de ter um show era basicamente NULA! Meeu! Que sofrimento para mim! Conheço uma banda que nem show mais faria? Ai de mim, ai de mim! [drama]

Chegaram mesmo a me dizer que seria IMPOSSÍVEL ver um show do ANGRA. Ainda bem que estavam errados!
Ano passado houve o show oficial de retorno da banda, em conjunto com o Sepultura, outra banda fenomenal! Foi incrível, apesar de serem sabotados pelo cara da mesa de som, que apagou a guitarra do Rafael de propósito. Eu estava lá perto e vi que ele estava sacaneando mesmo! O cara curtia o Sepultura e quis prejudicar o Angra. Mas naquele momento, o Kiko Loureiro segurou as notas dele mesmo e as do Rafael numa atuação incrível até a situação se normalizar!

Tem fotos que saem erradas, mas ficam tão bonitas! Puro Rock!

Tem fotos que saem erradas, mas ficam tão bonitas! Puro Rock!

Aquele show foi especial para caramba para mim, pois além de ser meu Primeiro Show do Angra, foi o show de retorno da banda, agora com o Confessori na batera e ainda estava acompanhada da pessoa que me apresentou a banda, me emprestando os cds: Temple of Shadow, Aurora Consurgens e Rebirth. Ou seja: uma noite inesquecível!

Bom, após esta breve introdução, tenho acompanhado o Angra pelo Twitter e estava ansiosa pelo novo cd, o Aqua. Comprei na última Expomusic, curti bastante, mas acabei perdendo o CD! Inclusive estava autografado! Mas enfim, né? Faltava ver o show dessa turnê! E isso aconteceu ontem, dia 11 de junho em Suzano – SP!
Fiquei sabendo desse show em Mogi, conversando com um rapaz da unidade onde estava trabalhando. Ir ao trabalho com camiseta de banda dá nessas coisas: ótimos contatos!

Entrei no site, comprei meu ingresso e do meu irmão adotivo, o Jean e de último instante nossa amiga Priscila, sim, minha xará, decidiu ir! Mais uma novata fã do Angra! E por ela e outros fãs novos e antigos da banda que escrevo este post!

Ingresso na mão!

Ingresso na mão!

Bastidores
Chegamos cedo em Suzano, depois de nos perdermos em Itaquaquecetuba e passar por Poá. Sinceramente, ainda não sei como chegamos a Suzano, mas o importante é que vibramos ao ver o Shopping Suzano! Pq o local do show foi lá perto, no Suzaninho, o clube da cidade!

Angra

Angra

Rodamos atrás de um estacionamento e não encontramos. O único que tinha perto, estava lotado e era pequeno. Cheio de flanelinhas, a polícia militar presente não coibiu a ação dessa gente! Muitos estacionaram na rua e deram grana para esse povo que diz “to olhando seu carro”. Pura enganação. O flanelinha pega o dinheiro antecipadamente e some! Deixei meu carro perto da delegacia, um quarteirão acima, num local permitido, de graça! Aha-ha-ha! Não sou conivente com os flanelinhas e acho que isso tem que acabar.

Na fila, muita gente, creio que foram umas 2 mil pessoas, aguardavam para entrar no clube. Fila imensa e estava muito frio lá! Vejam o descampado que ficava ao nosso lado, onde muitos foram fazer xixi lá. Sim, povo todo indo lá na moita! Tinha gente bebendo a rodo na fila, antes do show. Um carinha mal aguentava caminhar quando a fila finalmente se moveu, lá pelas 21h20. Muito triste esse pessoal que não sabe se divertir com decência. Na boa, ele perdeu a dignidade alí!

O descampado campo do xixi. Muita gente foi lá! A gente não!

O descampado campo do xixi. Muita gente foi lá! A gente não!

Quando entramos, havia apenas uma segurança mulher para revistar as meninas. Mas ela estava fazendo um bom trabalho, sendo rápida. Para os homens havia mais gente para revistar. Um probleminha que ajudou a atrasar mais ainda o início do show. Mas tudo bem, pelo Angra vale a pena e depois o Edu Falaschi pediu desculpas por isso, então, tudo certo!

Dentro, havia uma lanchonete, sem preços abusivos! Incrível, minha gente! Cerveja a R$ 4,00 e como não bebo… eheheh tinha salgados também, bons por sinal.

A tradicional banca de coisas da banda também, com preços bons e sem abuso! Ponto positivo para Suzano!

Set List
Começou com Viderunt Te Aquæ, que é a introdução do cd Aqua, seguida por Arising Thunder, do mesmo álbum.

Deste cd houve ainda Lease of Life. Mas o que pegou mesmo e incendiou a galera foram as músicas dos outros álbuns.

Que eu me lembre: Heroes of Sand, Nothing to Say, Carry On emendada em Nova Era, Angels Cry, Lisbon, The Course of Nature, Rebirth, Spread Your Fire, fechando com Gate XIII. Também houve um cover no final, onde os músicos trocaram de instrumentos uns com os outros [falarei mais disso depois] ficando algo bem divertido e surpreendente!

Angra no palco do Suzaninho!

Angra no palco do Suzaninho!

Houve um solo de bateria do Ricardo Confessori, muito bom mesmo, nessa hora fui comer uma esfiha que a fome já estava batendo e quando voltei, cantavam Rebirth! Sacanagem, uma de minhas favoritas e eu com a boca cheia de esfiha! RSS

Palco
Gente, uma das coisas que mais gosto nessa banda é a presença de palco que eles têm. Os músicos se movimentam bastante, curtem aquilo que fazem, e isso é ótimo!

Felipe Andreoli estava praticamente em transe com o baixo e para variar, mal dava para ver seus dedos! Um verdadeiro mestre do contra-baixo!

Felipe Andreoli arrasou no show. A foto não é montagem, saiu assim mesmo!

Felipe Andreoli arrasou no show. A foto não é montagem, saiu assim mesmo!

Rafael Bittencourt deixou a barba, ficou meio John Lennon e também estava possuído pela guitarra!

A melhor foto que peguei do Rafael Bittencourt ontem. Apreciem com moderação!

A melhor foto que peguei do Rafael Bittencourt ontem. Apreciem com moderação!

Kiko Loureiro não esteve presente neste show, por motivos familiares, como ele mesmo deixou em nota no site da banda (veja aqui: Nota do Kiko Loureiro), porém foi substituído muito bem pelo Marcelo Barbosa, habilidoso guitarrista que teve apenas duas semanas para ensaiar com a banda! Ele é incrível mesmo, pois ter duas semanas para ensaio e ainda mais sendo a parte do monstro Kiko Loureiro, não é para qualquer um não!!!

Marcelo Barbosa substituindo Kiko Loureiro. A única foto boa que consegui dele! No cantinho da esquerda da tela! Achou?

Marcelo Barbosa substituindo Kiko Loureiro. A única foto boa que consegui dele! No cantinho da esquerda da tela! Achou?

Na batera, Ricardo Confessori, bem melhor neste show que no primeiro que vi, aquele com o Sepultura. Acho que agora ele está mais a vontade com a banda e já treinou mais também, né? [ como coisa que precisa! ]
Edu Falaschi estava com o microfone um pouco baixo, na minha opinião, porém com uma presença incrível, agitando a galera, carinhoso com o público explicou o motivo do atraso do show, pediu desculpas, fez piadas, magnífico!

Edu Falaschi em tom de magia e suspense! Mais uma foto errada que deu certo

Edu Falaschi em tom de magia e suspense! Mais uma foto errada que deu certo

O palco era pequeno para a banda, o que deixou a bateria muito para o fundo dele e os demais músicos muito grudados uns nos outros, mesmo assim foi um palco maior que o do show do Tarot, no Black More.

Palco do Suzaninho: pequeno e baixo. Mas os salão tem um espaço muito bom, é amplo!

Palco do Suzaninho: pequeno e baixo. Mas os salão tem um espaço muito bom, é amplo!

O jogo de luzes estava muito bom, bem sincronizado com as músicas, dando um efeito grandioso para o evento. A combinação de luzes, ora vermelha e amarela, ora azul e branca, e tons de verde, faziam com que as músicas ganhassem mais vida! Um arranjo perfeito entre som e efeitos visuais!

Mesmo com cerca de 2 mil pessoas no local, ficamos confortáveis no Suzaninho. Melhor até que no Via Funchal. A equipe do local também está de parabéns: seguranças educados e lanchonete de qualidade. O local estava limpo e organizado. O único problema foi não ter um estacionamento próprio. Não me incomodo de pagar, mas que o carro fique em um local seguro e longe de flanelinhas.

Rafael e Felipe fazendo um dueto animal!

Rafael e Felipe fazendo um dueto animal!

Bonus Track
Além disso tudo, a galera do Angra fez uma brincadeira muito legal, um verdadeiro presente para o público: trocaram suas posições na banda!

Sim, normalmente, seria assim a formação da banda:

Vocal: Edu Falaschi
Guitarras: Rafael Bittencourt e Marcelo Barbosa (substituindo Kiko Loureiro)
Contra-Baixo: Felipe Andreoli
Bateria: Ricardo Confessori

Com a brincadeira de troca de papéis, a formação ficou assim:

Vocal: Rafael Bittencourt
Guitarras: Edu Falaschi e Ricardo Confessori
Contra-Baixo: Marcelo Barbosa
Bateria: Felipe Andreoli

Minha admiração vai para Felipe Andreoli! Se mostrou um baterista fantástico! Amei mesmo vê-lo na batera do Angra! Todos estavam bem, mas o Felipe foi o cara da noite mesmo!

Angra: Nova formação. Felipe na Batera! Lindo demais!

Angra: Nova formação. Felipe na Batera! Lindo demais!

E na Lojinha de Salim…
Tudo baratinho! CD promocional a R$10,00! Comprei outro pois o que havia comprado na Expomusic sumiu, eu paguei R$25,00 ano passado e já estava autografado. Agora preciso pegar novos autógrafos, né?

Camisetas estavam a R$ 25,00 as nacionais e R$ 45,00 importadas. Preço muito bom, pois em show ou lojas, costumam ter camisetas nacionais a R$ 40,00 e às vezes a R$ 60,00!
Tinha um agasalho, importado, por R$ 80,00. Preciso dizer que comprei? Claro que sim! Passei um frio tão grande na fila, que não pensei duas vezes e não me arrependo, pois o produto é de uma qualidade muito boa! Parabéns, equipe Angra!

Preços acessíveis, atendimento muito bom, deu para trazer uma boa lembrança do show!

Camiseta, CD, Blusão e ingresso!

Camiseta, CD, Blusão e ingresso!

Só senti falta da camisa manga longa, ainda quero uma dessas do Angra e se tiver a estampa do cd Aurora Consurgens, melhor ainda! É de longe meu cd favorito, além do Temple of Shadows, que classifico como especial! Eheheh.

Roadies
Para um show desses, nunca é legal ir sozinha! Como já disse, fui acompanhada pelo meu irmãozinho adotivo o Jean e pela nossa amiga em comum, a Pri.
Excelentes companheiros de viagem, nos divertimos muito! Pena que outros amigos não puderam ir, dados seus compromissos diversos, mas fica aí o convite para os próximos shows, sejam do Angra, Sepultura, Dr. Sin, Tarot, Hangar, etc!

Maninho Jean, Pri e Priss (Rock Me ON que vos escreve) Puro Rock!

Maninho Jean, Pri e Priss (Rock Me ON que vos escreve) Puro Rock!

Valeu, amigos, fazer o show com vcs foi muito legal!

Bom, galera, é isso, fiquem com as fotos, muito grata pela leitura, retuitem, curtam no FaceBook, espalhem este post por aí e ajudem o Rock Me ON a crescer!

Rock OFF!

Análise do jogo Brutal Legend

Aee galera do Rock Me ON!

Estou aqui novamente depois de muito tempo pra fala pra vocês de um dos jogos de mais bom gosto que já joguei ultimamente: “Brutal Legend”. Jogo em terceira pessoa, que a galera pode achar para as plataformas do Xbox 360 e PS3.

Para a galera definir “Brütal Legend” é meio complicado. Apesar de ser num primeiro momento um jogo de pancadaria, a mecânica muda ao desenrolar do game, e chega a partir para mecânicas de jogos de corrida. Além do mais, a outra mudança que a meu ver é considerável, é que se tem aquela manha do famoso “Guitar Hero” que é o apertar de botões em um tempo determinado, e por aí vai. Com o dedo do jogador em cada aspecto da história, há menos distanciamento, menos momentos em que o usuário solta o controle para ver o que está acontecendo e, consequentemente, uma maior aproximação com o que acontece na tela.

No entanto, tal escolha é uma via de mão dupla, já que podem decepcionar vários jogadores, principalmente aqueles que fazem questão de pular diálogos e ir direto aos segmentos interativos. O que pode virar uma experiência superficial se o jogador não entrar no clima do jogo.


O tema de “Brütal Legend” foi ao que mais me agradou .Possui um genuíno amor por rock’n roll, e a figura de Jack Black. Ator de filmes como “King Kong” e “Nacho Libre” não é apenas o dublador da aventura e muitos de seus cacoetes, bordões e gostos aparecem em todos os cantos do game.

História

 
 

Black interpreta Eddie Briggs, o melhor roadie do planeta. O sujeito tem a função de montar o show e fazer com que a banda brilhe da melhor maneira possível, mas ele anda frustrado com os rumos da música. O heavy metal parece estar morto nas mãos de bandas como a Kabbage Boy, que usa DJs e outras tendências modernas, e não há muita esperança com relação a isso. As coisas só mudam depois que um acidente ocorre e Eddie é transportado para um mundo de fantasia que parece ter sido criado a partir de capas de discos de bandas como Iced Earth, Manowar ou Iron Maiden – chamado Mundo do Metal – e se envolve em uma revolução para salvar metaleiros, tietes e outras figuras do mundo da música das garras de demônios e monstros.

A missão se desenrola em um cenário grande e aberto, mais ou menos no estilo “Grand Theft Auto”. Eddie dirige seu carro supertunado chamado The Deuce e pode selecionar missões da história ou outras secundárias. Além das partes de pilotagem, trecho de pancadaria é o que não falta, além de poder tocar solos de guitarra e ouvir o bom e velho heavy metal durante a jogatina.

 

 Por fim, há também segmentos de estratégia que imitam concertos, em que se deve criar torres para angariar fãs e juntar metaleiros para deter inimigos que avançam – tal aspecto da mecânica também se repete no modo multiplayer do , tanto em partidas locais quanto online.

 
 

Nomes de peso

Assim, a dublagem complementa de maneira espetacular os protagonistas. Além de Black, há participações de figuras lendárias da música como Ozzy Osbourne, Rob Halford, Lita Ford e Lemmy Kilmister, além do ator Tim Curry, que foi contratado como vilão do game para evocar qualidades de alguns de seus trabalhos mais célebres, como Senhor das Trevas em “A Lenda” ou o palhaço Pennywise em “It”.

A trilha sonora, claro, não poderia deixar de fora grandes hinos do heavy metal e é complementada por faixas originais, em um total que chega a quase 100 canções. Há desde clássicos de bandas consagradas como Kiss, Black Sabbath, Motörhead, Slayer e Judas Priest a grupos mais recentes como DragonForce, Mastodon e Dethklok.

 

“Brütal Legend” é um jogo obrigatório para quem curte Jack Black, Tim Schafer e heavy metal. Os estilos dos três se fundem de maneira espetacular e criam uma aventura muito divertida, repleta de personagens impagáveis, situações inusitadas e som de primeira. Talvez vá decepcionar aqueles gamers com opinião mais conservadora com relação à jogabilidade, mas é um game que foge um pouco do padrão e recomendo para quem curte os temas.  

 

Falo galera até a próxima!!

fonte: www.uol.com.br

%d blogueiros gostam disto: