Tag: Aquiles Priester

Caminhada 16 – Expomusic 2015!!!

Rock ON!!!!

Galera, com muito atraso que faço essa postagem. Foram dois dias de evento nos dias 19 e 20 de setembro e fomos nos dois dias!!!

Andamos muito por lá e passamos fácil dos 2km.

Bom, o evento foi muito legal, pude ver o show do Felipe Andreoli, Kiko Loureiro e Bruno Valverde; além de outros talentos.

Outra atração foi o sorteio de instrumentos. Participamos no domingo e foi muito divertido. Deixo um abraço à anfitriã Deborah, do Marketing da Expomusic, que puxou a galera com muita energia e vibração!

Não ganhei nada além de experiência, contudo, quero destacar que este ano teve muito mais prêmios que no ano passado, os já tradicionais instrumentos guitarra, violão e violino, somados a um contrabaixo, flautas, cursos, fones, guitarras autografadas, camisetas, foi uma loucura! Até guitarra do Capitão América teve! Inclusive, pai e filho sortudos que ganharam instrumentos cada um, sendo um deles um kit de guitarra completo com assinatura do Andreas Kisser!!!

Foi bem divertido mesmo. Mas poderia ter sido melhor se tivessem aberto a sexta-feira ao público, como fazem tradicionalmente, aí eu iria 3 dias! Ahahah E na sexta iria com um músico, o que seria muito demais!  😉

Quem sabe ano que vem, né?

Bom, deixo algumas fotos que tirei da folia que fizemos no evento.

 

Dia 01:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dia 02:

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Rock OFF!!!

Rock Me ON!!!! Um Set List Exclusivo!

Rock ON!!!

Este post deveria ter saído no dia Mundial do Rock, mas devido a uma mancada muito grande minha na hora de digitar, tá saindo só agora.

Resolvi montar um SetList com algumas músicas. Espero que gostem. Se não gostarem, paciência.

Agradeço a todos os meus visitantes e seguidores do Rock Me ON! Vocês que aguentam minha chatice todo dia são demais!

Keep Rocking Rock And Roll, galera!

—-

Saxon: Crusader
Se tem dificuldades em entender o que foram as cruzadas, esta música pode ajudar e de forma divertida. Além disso, o som do Saxon é muito bom, guitarras afinadíssimas, com belos riffs, a bateria não se sobrepõe, mas se mostra presente. Os vocais são apurados e deixam você no clima da música.

—-
Motörhead: March or Die

Confesso que fiquei arrepiada com a atmosfera dessa música. Aplicável a qualquer guerra, imagino, é uma música densa, faz muito uso de efeitos, mas de forma harmoniosa e perfeita. O vocal é do já conhecido Lemmy Kilmister, que particularmente está soturno. Arrepiante mesmo!

—-

Dr. Sin: King

Saindo do novíssimo álbum Animal, esta música é bela, simplesmente bela e presta uma homenagem ao incrível Ronnie James Dio, vocal do Black Sabbath e da banda DIO, falecido em 2010, deixando-nos órfãos de sua bela voz.

Quando estive conversando com Marco Hietala, no Blackmore, quando este veio se apresentar com sua banda, Tarot, me disse que Dio foi uma de suas referências vocais.

Além disso, a voz de Andria deixa a homenagem ainda mais bela. Forte, ousada e magnética, tem o apoio da bateria do Ivan e da guitarra do fabuloso Edu Ardanuy.

—–

Almah: Hypnotized

A música de abertura do álbum Motion é sem dúvida alguma o anúncio de que algo grandioso está para acontecer: a voz de Edu Falasch está grandiosa, cantando dentro de seu timbre (finalmente, né, Edu? Chega de sofrer!), podemos ver o que um grupo de ótimos músicos é capaz de fazer: Felipe Andreoli no baixo, Marcelo Barbosa e Paulo Schroeber nas guitarras e o pulsante Marcelo Moreira na bateria conferem um peso enorme a essa música e ao álbum todo.

Infelizmente houve a saída do Felipe e do Paulo, mesmo assim, vale muito ouvir essa música, que é sem dúvida diferente de tudo o que você já experimentou. Esqueça o Angra, o som do Almah é denso, profundo e algumas vezes reflexivo. Ok, exagerei? é que eu gosto muiiito! rs (mas eu também amo o Angra!!! mas são estilos diferentes).

—–

Trayce: Made of Stone

O som é surreal. A letra profunda e com refrões ótimos.

A harmonia está maravilhosa. Lembra grandes bandas como Aerosmith e Guns (como isso é possível, não sei).

O vocal é bruto, mas não massacra os tímpanos, embora os primeiros tons sejam para chamar sua atenção, a cadência da música te envolve e você se sente lá, no meio da banda, fazendo parte do show.

Recomendo e muito que ouçam este som. Não é uma banda popular (ainda) mas é extremamente promissora e faz diversos shows por aí. (aliás, estou devendo para o batera assistir!)

—-

Ozzy Osbourne: Let me Hear You Scream

Mestre Ozzy, rogai por nós! Gritamos com todo coração!

Sem dúvida uma música o quanto este cara ainda tem combustível e merece estar em toda playlist de metal que se preze!

E por que este clipe? Bom, hoje é sexta-feira 13 e é bizarro demais! Merece estar aqui!

As guitarras são fortes e as imagens pertubadoras.

—-

Pantera: Cowboys From Hell

Introdução bem trabalhada, um vocal rasgado e ao mesmo tempo doce.

Não é uma música romantia.

É uma música muito estilosa!

As paradas da guitarra dão muita cor para a melodia, mas Pantera não precisa de muito, Pantera é isso mesmo!

—-

Slayer: Raining Blood

A introdução parece fraca, mas vai tomando corpo, como se fosse realmente uma chuva iniciando e se tornando uma tempestade.

A bateria é furiosa e marcante. O vocal é rasgado, guitarra seca, bons riffs.

Sem dúvida, um clássico.

——–

Tarot: Wings of Darkness

Para fechar, que tal apreciar Marco Hietala com um visual totalmente Glam???

Sim!!! A música tem os fortes baixos, as guitarras possantes do Zacky, a batera alucinada do Pecu, além disso, o ritmo é completamente animado.

As caras e trejeitos do Marco são sua Marca registrada.

O clipe é de 86.

—-

Van Halen: Love Walks in

Vamos amenizar um pouco com riffs bem escritos e muito sintetizador, claramente o ponto forte da estrutura dessa música, causando um belo contraponto com a voz marcante de Sammy Hagar.

A atmosfera criada por essa canção é muito interessante, basicamente é um marco da década de 80, como a maior parte da discografia dessa banda tão importante para quem curte aquele rock mais suave.

A bateria some um pouco e meu instrumento favorito, o contrabaixo é praticamente nulo. Ele está alí, eu sei que está, mas os teclados não me deixam ouví-lo. rs (tá, eu tenho problemas com isso mesmo! Sou Andreolítica demais, eu acho, rs)

‘Love Walks in’ possui ainda um backing vocal interessante, deixando a música com um jeito ‘vaporoso’ (ok, a frase ficou estranha, mas é porque não consigo descrever, só ouvindo mesmo para entender. Ah, mas isso só ocorreu da terceira vez, aliás, é a terceira resenha que escrevo dessa música para o post, as demais estavam muito pobres). Reloading… enfim, o backing vocal é suave, você percebe que está alí, mas apenas sustenta o vocal principal, que transfere ao ouvinte toda sua emoção, quase beirando a uma dor existencial (profundo, hein?).

Como já disse, os sintetizadores marcam muito a música, e no solo de guitarra, servem de apoio, ficando tudo mais rico e belo.

A música sinceramente já tinha ouvido, há muitos e muitos anos, mas estava esquecida na gaveta da memória, ahahahaah como muitas outras, enfim, foi uma sugestão bem aceita. 😉 E por isso foi incluída no setList do Rock Me ON.

—-

Angra: Late Redemption

Um dueto épico entre Angra e Milton Nascimento, deixam essa música harmoniosa, suave e ao mesmo tempo forte. Ora, essa, dado momento muda-se a cadência, o ritmo e tudo se transforma, a música ganha energia e cria toda uma atmosfera, dando sequência à história que vem sendo contada no álbum Temple of Shadows.

A guitarra base juntamente com o contrabaixo sustentam a música, enquanto a guitarra do Kiko Loureiro literalmente esculpe a dor do personagem.

E a bateria completa o quadro.

—–

Elvis Presley: Little Less Conversation

Sim, a música da propaganda. Ora bolas!

Elvis, o rei não poderia faltar!

Não vou discutir o ritmo, não vou falar nada, apenas apreciem o REI!!!

——

Queen: We Will Rock You

Sem dúvida alguma ele não deveria ter morrido e essa é para encerrar.

A guitarra e bateria perfeitamente contruídas, a voz do Fred Mercury maravilhosa e diga-se de passagem, que show!!!

—-

Bom, pessoal é isso!

E fiquei tão amalucada com isso, faltaram tantas outras bandas, que vou fazer mais posts sobre músicas e clipes.

Queria ainda citar ótimas bandas e músicos para vocês mesmos procurarem: Hangar, Lobão, Children of Bodom, Sepultura, Korzus, Dream Theater, AC DC, Kiss, Black Sabbath, Bittencourt Project…

Feliz dia do Rock!

Rock OFF!!!

ParanoiKa: Inovação na Divulgação da Banda Através das Redes Sociais

Rock ON!!!

Oi, Pessoal!

Eu (@prissguerrero) acompanho muitos músicos no Twitter e foi através do RT de um deles, o Aquiles Priester (@aquilespriester) batera-polvo da Banda Hangar, que conheci o trabalho da banda ParanoiKa (@BandaParanoiKa).

Ele repassou um link para baixar o álbum completo. Isso mesmo: um álbum COMPLETO para baixar e o preço simplesmente fantástico: ajudar a divulgar o trabalho da banda dando um RT ou um LIKE! Não sei quantos álbuns foram baixados desse jeito, mas foi a primeira vez que vi uma banda divulgar seu trabalho deste modo e realmente, ouvindo o som, gostei bastante e se vir o CD, vou comprar, pois afinal de contas, ter em mãos esse produto acaba trazendo muitas vantagens: ver a letra da música, o trabalho da arte do encarte, conhecer quais instrumentos foram usados, onde foi mixado, enfim, muita coisa! Além de poder pegar as assinaturas e guardar, eheheh, adoro isso!! – Tomara que estejam na Expomusic 2012, banda ParanoiKa!

Eu particularmente não gosto de vocais femininos, são muito agudos, mas a vocal da banda ParanoiKa não é assim: esse vocal é muito trabalhado, suave e ao mesmo tempo intenso (conseguem entender? não, né? Melhor baixar o álbum, que vou deixar disponível para vocês). Lembra um pouco o Kid Abelha, pouco porque achei o som do ParanoiKa muito melhor!

A banda entrou em contato comigo e me forneceu seu material de divulgação, onde podemos ver um resumo da trajetória dessa banda e como está utilizando as redes sociais para se  promover. Aliás, é muito bom ver como as redes podem realmente trazer coisas boas, ao invés daqueles horríveis materiais idiotas que povoam a time line o tempo todo! (ok, ficou muito exagerado, mas o lixo internético é assim!)

O álbum ParanoiKa, mesmo nome da banda, vem com 13 músicas,  sendo 5 em português e as demais em um inglês impecável! O trabalho de áudio é muito interessante, limpo, demonstrando a preocupação com a qualidade que os músicos tiveram com as trilhas.

As guitarras são quentes, um pouco ardidas, bem anos 80 mesmo! Ou seja, é um álbum muito gostoso de se ouvir. As músicas não são chatas, não grudam, efeito chicletinho aqui não tem! A mixagem de efeitos é bem rica, criando um contraste muito bonito e adicionando cores às canções. Poderiam até servir como trilha para algum filme, eu arriscaria.

A bateria é suave, parece eletrônica mas não é! Pulsa e dá mais vida para as músicas. Isso deixa o som bem diferente do que eu estou acostumada a ouvir.

As linhas de baixo são quase imperceptíveis, daí eu fico triste, adoro ouvir o grave dos baixos nas músicas, mas como não se trata da proposta da banda, então está perfeito!

As canções executadas em português estão bem construídas, um ótimo tratamento ao nosso idioma tão castigado pelos populares atualmente! Palavras bem colhidas, bem impostadas. A música Complexidade possui rimas muito boas, refrões interessantes, algo positivo, que dá para sair cantando no carro numa boa (e eu adoro fazer isso! heheehhe).

A música ‘Agora é minha vez’ se tornou a minha favorita. Ahaha, é muito divertida, a mensagem é bem interessante! “…o jogo mudou e agora é minha vez, você apelou nesse jogo de xadrez, o jogo mudou e agora é minha vez, você abusou e agora pague o que fez…” — só para dar um gostinho para vocês. Ouçam a música!!!!

Foto dos integrantes da banda Paranoika

ParanoiKa – Estilosos e o Som é ótimo!

Valeu, ParanoiKa! Continuem trilhando esses bons caminhos e executando esse ótimo trabalho! Espero poder vê-los tocando algum dia desses aqui em SP!

Bom, pessoal, essas foram as minhas impressões e opiniões sobre a banda e seu som, espero que tenham gostado e se interessado! A seguir, o material que eles mesmos me enviaram, muito bom por sina, tem o link para baixar o álbum e curtir esse trabalho muito legal!!!

—–

ParanoiKa libera seu primeiro álbum para download

Em paralelo ao lançamento do clipe, a ParanoiKa mergulhou nas redes sociais e em concursos obtendo resultados bacanas, além de ter gravado o seu primeiro álbum, lançado no último dia 28. O disco deixa bem clara a mistura entre o Synthpop dos anos 80 com o Indie Rock, chegando a um Electro Rock bem característico, divertido e moderno. Com 13 faixas, sendo 11 músicas distintas e 2 versões bônus, o álbum homônimo da Paranoika teve uma estratégia de lançamento bastante ousada: ele pode ser baixado na íntegra gratuitamente na página oficial da banda www.paranoika.com.br e no Facebook www.facebook.com/paranoikaofficial.

Sobre a banda: A ParanoiKa foi formada no início de 2008 e conta com Karla Hill nos vocais, Cesar Mattos na guitarra e nos sintetizadores, Carlos Kolb no baixo e Joel Jr. na bateria. A banda já fez diversos shows no Paraná e em São Paulo, contando sempre com músicas autorais e também clássicos dos anos 80 e 90.

2012: O ano da ParanoiKa 

O ano de 2011 foi crucial para o crescimento da ParanoiKa. Formada em 2008 por Karla Hill, Cesar Mattos, Joel Jr. e Carlos Kolb, a banda curitibana lançou seu primeiro videoclipe em Abril do ano passado. A música escolhida foi Unconditional, que deixa nítida a influência do Synthpop oitentista na sonoridade do quarteto. O clipe figura desde então no site da MTV e em programas nacionais como o “Bandas e DJs” do canal Band Sat.

Em paralelo ao lançamento do clipe, a ParanoiKa deu início à gravação do seu primeiro CD, investiu pesado nas redes sociais e em concursos, obtendo resultados bacanas. Ganhou o primeiro, cujo prêmio era participar do maior festival de música paranaense, o Lupaluna. Também ficou entre os 15 finalistas dentre 45 mil inscritos do “Olha minha banda”, idealizado pelo programa “Caldeirão do Huck”.

Em Julho, a ParanoiKa fez sua estreia nos palcos de São Paulo com um pocket show na Fnac Paulista e uma apresentação no Clube Outs — localizado na badalada Rua Augusta. Desde então, a banda tem feito shows frequentes na cidade.

Com ajuda dos seus fiéis seguidores nas redes sociais, a Paranoika participou do concurso #ShowLivreDay, organizado pelo site Showlivre (www.showlivre.com) e foi convidada para a edição de Setembro do evento. O resultado do concurso saiu em Dezembro e rendeu a participação no Estúdio Showlivre do dia 02 de Fevereiro deste ano.

Ainda em 2011, algumas músicas da ParanoiKa fizeram parte da trilha sonora do reality show de maior sucesso do canal Boomerang, o “Temporada de Moda Capricho”. Isso contribuiu para o crescimento no número de mais jovens da banda.

Como resultado do trabalho intenso feito em 2011, 2012 começou fervilhando boas novas: O lançamento do CD está previsto para Fevereiro, seguido pelo lançamento de um novo videoclipe. A única coisa que não mudou é o lema da ParanoiKa: Divirta-se!

ParanoiKa!

Corre agora pro site deles e baixe o álbum!!!

Rock OFF!!!

Aquiles Priester, baterista do Hangar, fala com exclusividade sobre os acontecimentos do MOA

Aquiles Priester, baterista do Hangar, fala com exclusividade sobre os acontecimentos do MOA.

Eis meu comentário a respeito:

Achei corretíssima a postura do Hangar em relação ao MOA. Outras bandas que gosto chegaram a tocar lá e isso também é louvável com todos esses problemas. Penso que os mais prejudicados, como sempre, são os fãs, que se planejaram para ir até o Maranhão ver um evento que sequer ocorreu direito e está entrando para a história como o maior fiasco do heavy metal no Brasil. Já vi dois shows da banda Hangar e posso dizer que gostei muito da pontualidade e profissionalismo deles. Não nos fazem esperar e o som é magnífico, não importa o local e isso só demonstra a qualidade e a seriedade com que fazem seu trabalho. Claro que problemas ocorrem, mas ver o Hangar tão bem estruturado, num país tão bagunçado como o nosso, um alívio: existem gente séria.
Gostei da entrevista e das palavras do Aquiles: foram transparentes e honestos com os fãs. Já vi o ônibus do Hangar, é monstruoso e não tinha idéia de quantos equipamentos carregavam!
O músico brasileiro deve se valorizar também e mostrar para esses empresários de meia pataca que não são escravos e que têm um nome a zelar.
Tenho acompanhado o pessoal do Hangar e do Almah no Twitter falando sobre o MOA. Apenas os músicos estão falando sobre isso, a mídia tradicional está quieta. Seriam interesses políticos da terrinha do Sr. José Sarney? Pode ser que sim, pode ser que não.
A verdade é que o povo do Nordeste foi lesado, o Brasil saiu lesado com isso e as piadas se proliferam nas redes sociais.
Também acredito que o pais tenha capacidade de abrigar um grande evento, mas apenas se for no eixo do Sudeste. Infelizmente a grana desse país está aqui e a viagem para o MOA sairia cerca de R$ 2.000,00, segundo um amigo que pretendia ir e felizmente não foi. Investiu seu capital em outra coisa, sua pós-graduação.
Bom, é isso, galera!

%d blogueiros gostam disto: