Série Esteriótipos: Funkeiro Padrão

Rock ON!!!

Estou iniciando uma nova série aqui e espero que esta vingue, porque geralmente eu inicio séries e nunca passam de dois ou três desenhos.

Resolvi começar com o esteriótipo da moda, o funkeiro.

Disclaimer: Isto é um post de humor. Se você é funkeiro e se sentir ofendido, aguarde sua vez de rir de outros esteriótipos. Aliás, nem venham com mimimi aqui, seja funkeiro ou não. Este não é um blog politicamente correto. Somos bonitos e perfumados. Só.

Vejam só como é fácil reconhecer um:

-Cabelinho ‘da moda’ com um corte bizarro que beira o ridículo;

– Celular ‘vistoso’, sem fones de ouvido, com o som ligado no máximo, saindo como um enxame de abelhas raivosas, onde o pouco que se entende é algum tipo de palavrão ou pornografia, que é repetida em loop;

– Camiseta listrada com cores berrantes de uma marca famosa, de preferência aquela do jacaré bordado;

– Calças 3 números maiores que o fulano;

– Aparelho nos dentes, comprado no camelô e colocado em casa ou na barraquinha mesmo. Dentista para quê?

– Andam em bando, cada qual com seu aparelho celular no último volume num funk diferente e horrorosamente iguais;

– Falam um idioma incompreensível para o restante da humanidade. Deve ser algum tipo de idioma-código-criptografado;

– Fazem o que querem e quando repreendidos atacam se forem maioria ou se fazem de vítimas quando em minoria;

– As mães acham que estão na escola estudando, mas essa ilusão termina quando recebem um telefonema da maternidade, polícia ou funerária [não é exagero];

– Acham que a cultura de rua é melhor de tudo, seus heróis são criminosos famosos  e perigosos.

– Expectativa média de vida: 18 anos. Depois disso ou eles crescem e percebem a besteira que estão fazendo com suas vidas e vão estudar ou então, acabam numa vala, mortos;

– Alguns trabalham e gastam todo o salário ajudando nas despesas de casa [é o que dizem] e comprando produtos caros e na moda [deles];

– Sentem orgulho de serem assim, se você não gosta do som deles, que procure outro planeta para viver;

– Quando conseguem um carro, seja produto de roubo ou esforço, torram muito dinheiro colocando um som potente e esquecem de itens de segurança, como pneus e manutenção do motor;

– Param este carro em qualquer local público, abrem o porta-malas e iniciam um baile funk alí mesmo. Azar de quem estiver perto.

– Usam colares, anéis, brincos, relógios enormes [mas duvido que saibam ver as horas neles, eu mesma não consigo!] e qualquer outro penduricalho que possam classificar como ‘de ostentação’;

Eis uma imagem padrão de como um funkeiro se parece.

Funkeiro Padrão. Podem haver divergências.
Funkeiro Padrão. Podem haver divergências.

 

Bom, é isso.

 

Pensando bem, se tornou um post mais trágico que cômico. Mas a intensão era ser cômico.

 

Aguardem os próximos esteriótipos!!!!

 

Rock OFF!!!

Priss Guerrero

Sou um monstrinho Creck que ganhou vida. Twitter: @prissguerrero1

%d blogueiros gostam disto: