Menu

300: Rise of an Empire!!!

7 de Março de 2014 - NADA

Rock ON!!!

This is SPARTAAAA!

This is SPARTAAAA!

Não resisti e fui ver a pré-estréia de 300: Rise of na Empire!!! Assisti em 3D, dublado.

Gostei muito do filme, foi além do que eu esperava ou imaginava, simplesmente foi demais, uma aventura e tanto, muito sangue, tripas e violência, ao melhor estilo 300.

A dublagem ficou muito boa, parabéns à equipe brasileira, que embora não tenham mostrado nos créditos [e eu fiquei até o final deles], fez um excelente trabalho! Cada pausa, respiração, fala, tudo encaixou perfeitamente bem!

A fotografia do filme é um show a parte! Não é um filme amarelado como o primeiro 300, este é mais escuro e em alguns momentos, a tela parece embaçar, especialmente nas cenas perto da água, onde se passam a maioria das batalhas. Você literalmente se sente lá no meio de tudo, é muito bom.

A edição de som também foi primorosa, cada efeito, cada música, tudo se encaixando magicamente, para dar àquele filme de ação, a mais pura verocidade, uma experiência explêndida!

A ação do filme também é um show a parte: muitas lutas bem coreografadas, cenas em câmera lenta, cada detalhe, cada pedacinho de violência, como deveria ter sido uma batalha naquele período, com mutilações muito bem feitas, enquadramentos precisos, cenas até mesmo belas e outras muito rápidas, que sinceramente, vou ter que ver de novo, para poder pegar os detalhes melhor.

Os cenários ficaram lindos, a pesquisa de figurino foi bem bacana, para quem não queria ver homens fortes de tanga, agora saibam que eles usam belos saiotes azuis e capinhas, ah, as capas continuam! ehehehe

Rodrigo Santoro tem mais espaço para dar um show de interpretação. Ele ficou mais convincente como Xerxes, com mais falas interessantes. Meus respeitos e parabéns para esse ator brasileiro que tem muito ainda para crescer LÁ FORA! Sim, fique em Hollywood, faça bons papéis, você merece! Adorei a cena em que… bom…

 

Link oficial do filme, para você brincar, baixar papel de parede, ver trailers, criar gifs, etc:

Diva!

Diva!

 

http://www.300themovie.com/

O Ateniense de nome difícil!

O Ateniense de nome difícil!

Xerxers: Deus-Rei!

Xerxers: Deus-Rei!

A rainha viúva. Seu nome? GORGO! Rainha Gorgo!

A rainha viúva. Seu nome? GORGO! Rainha Gorgo!

A mulher má e seus ninjas!!!

A mulher má e seus ninjas!!!

Imagens meramente ilustrativas e retiradas aleatoriamente da internet. Se você se sentir ofendido ou for o dono de alguma delas e quiser que eu a retire, pode pedir por email. Mas saiba que faço questão de divulgar gratuitamente este excelente filme e que não estou lucrando nada com isto.

 

Agora vou falar da história, do roteiro e por isso já lanço o alerta: vou contar do filme. Se você não viu ainda, suma daqui, feche o post agora, não leia porque vou dar SPOILER.

Você foi avisado.

A história do filme não é sobre o filho do Leônidas, agora crescido. Esqueçam isso, é um boato que soltaram e eu cai. O personagem principal é um ateniense e a história deste filme se passa em paralelo a do primeiro 300.

Athenas, a outra principal cidade-estado grega, recebe a ameaça de Xerxes, tudo porque aquele sujeito ateniense, numa batalha matou o rei Dario, pai do grande desafio de Leônidas.

A origem de Xerxes também é contada e encaremos isto como uma fábula, ok? Basicamente acontece assim: ele fica puto porque matam o pai dele, que poucos antes de morrer diz: filho, não vá lá, esquece isso, só um deus poderia derrotar os gregos. Daí a garota má da trama distorce tudo isso e manda Xerxes numa busca por sua divindade. Ele acha uma lagoa mágica sabe-se lá como e também não importa. Entra nela, Rodrigo Santoro, um Xerxes, que mais parece o John Snow e sai de lá a figura mítica que conhecemos. Sim, é isso. A cena toda é bacana, a história toda também, mas o resumo é isso.

Depois, ele vai lá atacar o Leônidas nas Termopilas, que chamaram na dublagem de Portão do Inferno.  Paralelamente, o nosso amigo ateniense de nome complicado bagarai, vai até Esparta pedir ajuda, afinal, a liberdade dos gregos está ameaçada. Toma um belo ‘não’ da esposa de Leônidas. E volta para casa, junta o que sobrou dos gregos e parte em navios para combater a armada de Xerxes, que é comandada pela mulher má.

A mulher má é uma garota, ao melhor estilo Aria Stark, que vê sua família ser morta, estuprada [sim, a família toda foi] e depois é aprisionada num navio e estuprada até ser abandonada numa sarjeta, onde um persa, pasmem, aquele sujeito que o Leônidas chuta no poço, o emissário persa, lembram? Então, este fulano salva a garota e a cria, como um Sith ou Neo do Matrix, como queiram, e a transforma de puta genérica para dama da morte. Ohhhh.

E qual o desejo desse moça má? Vingança! Ela quer destruir os gregos que praticamente estragaram sua vida. Simples assim.

Daí briga vai e briga vem, briga de navios, minha gente! E batalhas alucinantes e muito belas por sinal.

Há um dado momento em que o ateniense é convidado a ir ao barco dela,  daí eles, bem… humm

As coisas ficaram calientes...

As coisas ficaram calientes…

… adivinhem o que rolou!!!!

Depois ele volta, perde um amigo [lembram aquele lance do pai que perde o filho lá no primeiro? Aqui temos algo parecido, mas quem morre é o pai!]

Aí o ateniense volta para Esparta, pede ajuda, pq aquele ser gosmento do primeiro filme, lembram? Aquele traidor que se aliou ao Xerxes? Então ele vai a mando do seu Deus-Rei, levar a espada de Leônidas para Athenas, como aviso que esta cidade era a próxima a ser riscada do mapa.

Então, nesse meio tempo, o ateniense voltou para Esparta, entregou a espada para rainha viúva, pediu ajuda de novo e tomou outro ‘não’ e depois mandou um arcadiano, lembram dele? Aqueles sujeitos que o Leônidas tira um sarro e que fugiram quando o caldo engrossou? Então, o ateniense manda esse fulano correr em todas as cidades-estados contando o ato heroico do rei espartano e de seus 300 guerreiros, de modo que os gregos se inspirassem e se unissem para defender sua pátria.

Lembrem-se do final do primeiro filme: aquele sujeito que fica caolho conta que a Grécia inteira se uniu contra os persas!

Bom, daí temos a luta final, 5 barquinhos gregos contra uma mega armada persa, lideradas pela mulher má, que aliás, deu um cala-boca bonito no Xerxes, meio que disse: “eu vou lá e pronto, fique aí sentado, bonitão!”.

E pronto, lá vem aquela briga de espada, cavalo, barco, arco e flecha, putz, muita coisa!!! Aliás, agora lembrei que até homem bomba tem nesse filme!! Não nessa parte, um pouco antes e é excelente! Tem monstro marinho também, muito legal!

Bom, eles lutam, ficam de lenga-lenga, ele diz para ela fugir, porque ele não quer mata-la [no fundo ele curtiu ser usado por ela], aí, ela tenta mata-lo, ele enfia a espada nela, ela se puxa na espada e ao longe, quando tudo parecia perdido, porque afinal de contas, Athena já tinha caído, restavam apenas  barquinhos gregos contra um armada inteira persa!

Quando tudo parecia perdido, chega o reforço espartano, aquela esquadra de navios espartanos, de velas negras com o lambda vermelho e esquadras de arcadianos [ok, eram barquinhos de pesca, mas tá valendo] e mais outros e outros gregos, ou seja: a galera se uniu e teremos uma parte 3!

Essa aventura termina aí, cheia de sangue, vísceras, uma animação linda no final, que pouca gente parou para apreciar.

E a música War Pigs só toca nos créditos, tá?

Espero que tenham gostado do meu resumo.

Eu realmente gostei do filme, entrou para minha lista do ‘milhão’, ou seja, o filme que posso ver 1 milhão de vezes que não irei cansar!

 

É isso, Rock OFF!!!!

 

 

%d blogueiros gostam disto: