Tag: Windows

#003 – Vetorizando no Illustrator!!!

Rock ON!!!

Fiz o rascunho entre uma ligação e outra no trampo. As filiais me fazem esperar muito. Achei o desenho maneiro e resolvi vetorizar no Illustrador.

Vetorizar nada mais é do que transformar um desenho complexo (bitmap) em um desenho simples (Vetor). Bom, isso não quer dizer muita coisa, né? Usarei um exemplo prático: uma foto de gatinho. Supondo que eu tenha uma foto de gatinho e olhe essa foto bem de pertinho, verei vários quadradinhos pequenos nela, são os pixels. Quando olho mais de longe, vejo a imagem formada. Bom, até aí, o vetor também é formado de pixels, se eu olhar bem de pertinho, verei a mesma coisa.

A diferença ocorre quando eu quiser fazer uma ampliação da foto de gatinho, o bitmap, ele vai estourar aqueles quadradinhos, os pixels, e por isso a minha linda foto de gatinho ficará deformada, desfocada, feia e horrorosa.

Vamos dizer que eu tenha vetorizado um desenho de gatinho, ou seja, peguei o desenho, passei as linhas e pontos por cima em um programa de vetorização, que poderia ser um Illustrator, Corel Draw, Inkscape etc, transformei em linhas e pontos, colori, tudo vetorizado. Daí eu preciso ampliar esse vetor, então, basta eu fazer isso e ele vai se manter bonito, ordenado, perfumado, lindo de morrer!

Mas por que isso acontece? O vetor trabalha com cálculos matemáticos e o bitmap não. Na verdade é algo bem mais complexo que isso, só que neste momento você não precisa saber disso, não é mesmo? Basta saber que se você quiser uma ampliação ou redução quase perfeita, é melhor usar um vetor que um bitmap!

E como reconhecer quem é um e quem é outro? A resposta já está acima, mas vou dar uma dica: aquelas imagens do tipo jpg, em geral são bitmaps, ou mesmo o bmp (a extensão básica do Paint que vem com o Windows). E se você ampliar ou reduzir muito, vai distorcer uma imagem assim, além de poder ser o produto de um programa de vetorização, isto é, um arquivo exportado. Mas isto é avançado demais neste momento, não se prenda a isto, ok?

Bom, em termos práticos, bitmap é aquilo que você manda no seu celular ou rede social para os amigos. Vetor é aquilo que o cara da gráfica vai pedir para você mandar quando quiser fazer mil adesivos do logotipo da sua banda favorita. E ele pede em vetor porque daí ele pode fazer ajustes sem perder a qualidade do produto final, sacaram?

Eu uso o Illustrator, mas já usei o Corel Draw quando estava aprendendo vetorização e sinceramente a única coisa que sinto falta em relação ao primeiro, é que o Corel divide os tipos de curvas que ele faz, o Illustrator trata como uma coisa só! E o Inkscape? Instalei uma vez para ver como era e nunca usei de fato, mas sei que o Programador Real usa esse programa nas suas tirinhas.

O legal do Inkscape é ele ser gratuito. Você pode fazer download para seu Sistema Operacional baseado em Linux ou Windows. Procurem no Google, é fácil. Já o Illustrator e o Corel são softwares proprietários e você precisa pagar. Ou pegar uma versão de testes.

Bom, no Illustrator é possível mudar o ângulo do pincel de pintura, da borracha, coisa que acho muito legal porque é feito de um jeito bem simples e no vídeo, se você prestar atenção, verá que faço isso algumas vezes.

Entre vetorizar e colorir, levei cerca de 1h30. Mas não se preocupem, reduzi o vídeo às partes mais importantes e ficou com 2min19.

A música de fundo também é de minha autoria. Eu fiz no Music Make Jam, aplicativo da Microsoft, para criar trilhas sonoras. Não sei usá-lo ainda e foi a primeira composição que fiz. E fiz isso porque não achei nenhuma trilha que se encaixasse nas cenas. Rsss.

Bom, espero que gostem, entrem no Youtube, deem um joinha, tá? No próximo farei com voz.

E aqui está o resultado final:

littleRedNinja

Rock OFF!!!

TVPaint!!!!!

Rock ON!!!

Já imaginou um programa bacana para fazer animações? Claro, que sim! Existem vários no mercado e esse final de semana eu descobri um bem maneiro na página do Facebook, a Tradicional Animation.

Trata-se do TVPaint e vale uma visita ao site para ver a galeria de animações que são produzidas. Claro que você deve levar em consideração que uma animação demanda tempo, pessoas e máquina boa. Sim, senhores, demanda.

O que o TVPaint tem de diferente de outros programas para animar que já vi, como por exemplo, o After Effects, é que ele é bem simples, leve e com interface intuitiva.

É possível desenhar diretamente nele ou importar desenhos também. Ele trabalha no esquema de animação por frames e também permite incluir sons e fazer marcações na linha do som, escrevendo o que significa cada coisa.

Por exemplo, pense num boneco que diga ‘Olá, como vai?’. Você pode escrever, numa área sobre a faixa de som essa frase e assim saber onde começa e onde termina cada som.

O programa possui um tryal cuja única limitação é exportar a animação e deixar uma marca D’água no produto final. Mas se você está interessado apenas em aprender técnicas de animação é um programa legal. Ou você pode compra-lo também  e assim tirar essa limitação.

O programa está disponível para Windows, Mac, Linux e até Android! Demais, não é?

E a curva de aprendizado dele parece ser bem simples e estou bem animada com ele.

Achei o canal de um artista chamado Aaron Blaise que ensina como trabalhar com o TVPaint. É em inglês e não tem legendas, mas se você pesquisar mais poderá achar algo em português. Não vou procurar, porque hoje em dia, meu amigo, se você não sabe o mínimo de inglês, já passou da hora de aprender, né?

Bom, espero que gostem do TVPaint, que ocupa cerca de 250MB no disco. Eu instalei a versão Windows 64bits.

Divirtam-se e deixem os comentários aí para eu saber que alguém lê esse site. Agora coloquei o Disqus.

Update:

Documentação do TVPaint

Tutoriais em vídeo

Galeria de Trabalhos

 

Rock OFF!!!

Windows 8 X Batch Render do Maya

spider-man

Rock ON!!!

Tive um problema ao tentar renderizar uma animação no Maya, usando Batch Render para o Plugin MentalRay.

Simplesmente não renderizava.

Isso acontece devido a um conflito entre o Aero do Windows e o Active Stereo do Maya. Os dois não se bicam. Não faço ideia do motivo. Mas achei uma solução.

No Windows 8, Localize o’ Painel de Controle’, ‘Sistemas’, ‘Configuração Avançada de Sistema’ e vai abrir uma caixinha.

Nessa caixinha chamada de ‘Propriedades do Sistema’, você estará na guia Avançado.

Procure o item Desempenho e clique no Botão ‘Configurações’.

Vai abrir outra caixinha.

Escolha a opção ‘Ajustar para Obter um Melhor Desempenho’. Aplique e dê Ok. Vai fechar a caixinha.

Daí, você pode fechar tudo o que abriu. Então, reinicie o Windows 8 para surtir efeito.

Isso vai desabilitar o Aero e o Batch Render do Maya vai funcionar como deveria.

Se quiser habilitar o Aero, basta voltar nesse caminho e definir a opção que estava marcada a princípio no seu Windows.

Gastei 5 horas pesquisando esse problema e como solucioná-lo. Quase desinstalei o Maya e isso nem ia funcionar.

A solução acabei encontrando num comentário de um site chamado Superuser.com, mas cheguei lá via Google e depois de muito garimpo. Deixarei o link no final do post.

E não encontrei nenhuma solução em português, por isso resolvi escrever o post.

E se você gostou, pois teve o mesmo problema, pode linkar o Rock Me ON, mas não copie meu texto sem citar a fonte. Vejam, eu deixei o caminho de onde consegui a informação. Seja educado e não copie por copiar, ok?

É isso aí, galera.

Rock OFF!!!

dogSack

A solução é tão simples e inesperada quanto esse antigo produto para levar cães para passear de carro.

 

 

Link: http://superuser.com/questions/445971/disable-aero-on-windows-8

Lubuntu: Linux Magrinho!

Rock ON!!!

 

Boa noite galera.

Image

Hoje removi o Ubuntu da máquina da minha mãe, um notebook Asus com 2GB de RAM, 320GB de HD e processador AMD Radeon, e coloquei uma distribuição chamada Lubuntu, que é o Ubuntu com uma interface mais levinha e com cara de Windows.

Sim, a interface gráfica dele lembra muito o Windows 7: Menu iniciar, barra de acesso rápido, programas divididos em grupos e uma área de trabalho.

O que difere da outra distribuição que estava? É bem leve, rápido e tem a cara que minha mãe conhece, cara de Windows.

Descobri essa maravilha no grupo Ubuntu Dicas no Facebook [recomendo que acompanhem esse grupo, pois sempre aparece alguém com alguma informação legal.]. 

Quem fez uma postagem sobre isso foi o Gustavo Pereira, que inclusive me passou o link para baixar a ISO do Lubuntu e me tirou algumas dúvidas iniciais sobre o SO e sua instalação, que aliás, foi bem simples: baixe a ISO, queime um CD, inicie a máquina pelo CD, siga as instruções e instale o Lubuntu. Instalação essa que foi bem rápida.

Eu não mexo muito com o mundo Linux, aliás, pouco mexo, sei apenas o básico do básico, mas frequento esse grupo para poder aprender alguma coisa. É sempre bom aprender coisas novas, não?

Bom, gerou até uma sugestão de um outro rapaz, o Marcelo Jzc, que disse que eu poderia instalar a interface Lubuntu por cima do Ubuntu. Porém, eu optei por remover o Ubuntu e instalar num ambiente limpo o Lubuntu. Pelo que o Gustavo comentou em seguida, se eu não fizesse isso, o SO continuaria pesado, pois seria o Ubuntu rodando ainda. 

Dada minha experiência com ambiente Windows, sei que o ideal mesmo não é instalar por cima, fazer remendos, o melhor é formatar e começar o SO do zero, num ambiente limpo, descontaminado. Vai saber o que estava corrompido nesses 4 meses que minha mãe tem usado o Linux na máquina dela? Melhor remover tudo. Afinal, ela não tinha nada a perder na máquina, então, sem os custos do Backup, ficou mais rápido fazer assim.

A instalação foi bem rápida, tranquila, com interface gráfica, já configurou a rede nesse primeiro momento também, enfim, não levei mais que 30min para instalar tudo e começar a usar o Lubuntu.

Por isso, deixo aqui o link para você, se quiser baixar também esse SO bem levinho:

 

Lubuntu: Site Oficial.

Minha mãe foi dormir cedo e ainda não usou o notebook, mas quando mostrei a interface gráfica, percebi que ela ficou contente, porque agora iria achar ‘as coisas’, como por exemplo, onde salvar as fotos do celular dela. No Ubuntu, ela não conseguia entender a interface [e  confesso que eu também me perco] para poder fazer tarefas simples como guardar fotos numa pasta ou acessar os documentos em um pendrive. Afinal, minha mãe usa Windows no trabalho há muito tempo e a interface do Ubuntu não era amigável suficiente para ela.

[Antes que me xinguem e comecem o mimimi, digo que já vi interfaces piores em Linux e quando mexi com ele a primeira vez, foi com Fedora e no modo texto! Pensem que terror! rsss Sei que hoje está muito melhor, mas ainda é possível ficar mais legal, nisso a Microsoft ainda é fixa no subconsciente das pessoas.]

Bom, é isso, pessoal.

Quem tiver a curiosidade, instale o Lubuntu num micro ou note antigo, ou ainda, numa máquina virtual [Virtual Box, por exemplo].

 

Rock OFF!

Sentimento de um Programador Parte 2

Rock ON!!!

Esta é a sua cara quando o programa que desenvolveu, testou, estava bonitinho rodando para você, falha miseravelmente e trava na cara do cliente!

Ps: Também aplicável para trabalhos de faculdade sendo entregues aos professores e provas de Java.
Rock OFF!!!

A Maldição dos Profissionais de Informática!!!!

Rock ON!!!

Fazendo limpeza nos meus emails, achei essa pérola!

Contemplem!

Conta a lenda que, quando DEUS liberou o conhecimento da informática para os homens, determinou que aquele saber iria ficar restrito a um grupo muito pequeno e selecionado.

Mas, neste pequeno e seleto grupo, cujos membros se achavam semi-deuses, já havia aquele que iria trair as determinações divinas.

William Gates, mas tarde conhecido como Bill, resolveu ganhar muito dinheiro com aquela nova revelação do Alto, e… todos conhecem o fim da história.

Mas, DEUS, ao expulsar todos do laboratório de análises e pesquisas de software e hardware, lançou sobre suas cabeças e de seus descendentes as seguintes juras:

01 – Não terás vida pessoal, familiar ou sentimental.
02 – Tua sanidade mental será posta em cheque antes que completes cinco anos de trabalho.
03 – Terás gastrite, se tiveres sorte. Se for como os demais, terás úlcera.
04 – A pressa será teu único amigo e as suas refeições principais serão os lanches, as pizzas e o China in Box.
05 – Teus cabelos ficarão brancos antes do resto da população. Se te sobrarem cabelos.
06 – Não terás feriados, fins de semana ou qualquer outro tipo de folga.
07 – Dormir será considerado período de folga, logo, não dormirás.
08 – Teu caráter será mensurado pela quantidade de certificações que tiveres.
09 – Happy hours serão excelentes oportunidades de ter algum tipo de contato com outras pessoas na mesma condição.
10 – A quantidade de memória e o processador de teu equipamento serão os diferenciais para que sejas bem visto ou não pelos demais.
11 – Ficarás cego, mas antes sentirás muita dor de cabeça, enxaqueca ou algo que doa muito.
12 – Terás sonhos com modelagem de dados, programação e, não raro, resolverás problemas de trabalho neste período.
13 – A máquina de café será tua melhor colega de trabalho. [FATO!!!!]
14 – Trabalho será teu assunto preferido. Talvez o único.
15 – As pessoas serão divididas em 10 tipos: as que entendem binário e as que não entendem. E verás graça nisso.
16 – Sentirás orgulho por tua tendinite ser mais extensa que a do peão sentado ao lado.
17 – Exibirás olheiras como troféus de guerra.
18 – Com o tempo, cafeína não te fará mais efeito.
19 – Terás um blog.

A pior de todas as juras:

20 – Inexplicavelmente gostarás de tudo isso!!!

Rock OFF!!!

%d blogueiros gostam disto: