Tag: QUADRINHOS

Sem Foco 018 – Vingadores 3 – Guerra Infinita!

Rock ON!

Eu e Dora Guerrero fomos ver Vingadores, Guerra Infinita!!! Sim, minha mãe curte filme de herói!!! E eu também!!

O programa está cheio de spoilers, então, ouça por sua conta e risco. Deixei vários avisos, hein?

Espero que gostem!

Inclusive, tem nossa reação após o filme, quando estavam subindo os créditos. Será que você ficou assim também?

Ouçam!

Rock OFF!

Reflexão: A Paciência do Pirulla, O Código Penal e o Maluco!!

Rock ON!!!

Bom, para contextualizar, digamos que o Pirulla, aquele criador de conteúdos fantásticos, científicos no You Tube, acabou por esbarrar em um, digamos, arqui-inimigo. Soa meio quadrinhos, eu sei, mas tal qual um vilão criado por algum roteirista de HQ, porque sinceramente custa acreditar que exista realmente um ser humano com tais ‘valores’ tão deturpados, apareceu de uma hora para outra essa criatura que praticamente, segundo análises minhas, tem sua vida focada para atazanar e perseguir o Dr. Pirulla.

stan-lee-money-625x345

Pois é, se isso não fosse suficiente, correu semana passada um vídeo onde um dos seguidores do tal vilão inominável (não darei nome aqui, porque afinal, bater palma para maluco aqui no Rock Me ON, não, né?), interpela bruscamente o Pirulla, no meio da rua, à noite pelo puro e simples motivo: ser provocativo.

Bom, resumo: a conversa que começou num tom agressivo por parte do moçoilo (desculpem, sou velha), terminou em tom amistoso graças à paciência deste youtuber, que resultou em mudança de opinião do sujeito. Fiquei admirada como ele, Pirulla, levou a conversa e foi um grande aprendizado, obrigada por mais essa!

Depois disso, fiquei pensando no assunto e outras coisas se sucederam nesse interim, entre elas, gente duvidando do ocorrido, propondo que teria sido armação do Pirula para se promover. Bom, ele não ser indicado ao Oscar, com certeza me dói o coração, se isso fosse verdade. E a tal ponto chegou a situação maluca em que o Pirulla foi imerso que, o mesmo precisou escrever posts no Twitter, textão no Facebook com foto (eu li inteiro e geralmente não leio textões) e se não bastasse, fazer um vídeo de desabafo.

voldemort-funny-picture-11561

E paralelamente a isso, para não deixar a autopromoção de lado, aquele que não posso nominar (não é vilão de Harry Potter, mas poderia), também expôs ‘sua versão’ dos fatos, que sinceramente, parecem como aqueles discursos de malucos na Praça da Sé em SP, ou qualquer maluco da cidade. Aquela coisa absurda, difícil de digerir e que confesso, deu-me náuseas. O discurso do cara era de uma insensatez absurda.
Passei o domingo pensando nisso e discutindo com minha mãe o ocorrido, sempre estamos debatendo alguma coisa. Bom, uma das reflexões que cheguei com este debate é sobre o risco que se corre tendo o rosto conhecido, isto é, sendo uma persona de fácil identificação na rua.

Reflexão regular

O risco pode ser de dois tipos:

Ganhar um elogio e isso é bom, bacana e divertido. Senti isso nos vários freakouts que participei e convenhamos, não sou lá grande coisa e nem tão conhecida como o Pirulla.

Ser supreendido por um maluco, que pode ter uma atitude qualquer, como por exemplo, ofender, bater e na pior das hipóteses, te matar. Exagero meu? Não, o discurso de ódio promovido pelo anti-pirulla é intenso e atrai muitos outros como ele e dentro dessa gama de malucos, sempre pode haver aquele que só espera pelo gatilho certo. Sempre tem.

Espero que não aconteça. Juro.

Minha reflexão não parou por aí. Fiquei pensando, juridicamente com o pouco, mas valioso conhecimento que tenho na área, quais artigos o senhor ‘dono da verdade’, que vive única e exclusivamente para ofender, poderia ter ‘violado’.

 

A lista é imensa. De verdade e com vários derivados e agravantes, mas vou me ater ao básico. Listarei aqui os artigos e comentar algo. Mas notem, são os comentários de alguém que estudou um pouco de Direito, sempre se interessou pelo assunto e apenas fez uma pesquisa rasa, básica. Não tomem como ameaça, insulto ou qualquer coisa. Sei que está cheio de caçador de pêlo em ovo por aqui e sei que estou cutucando um vespeiro. Mas estou ciente que apenas lhe apresento uma pesquisa que qualquer um pode fazer e não estou ofendendo nenhuma das partes.

vespeiro

Link do Código Penal Brasileiro: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del2848compilado.htm

CAPÍTULO V
DOS CRIMES CONTRA A HONRA

Difamação

Art. 139 – Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:

Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.

Exceção da verdade

Parágrafo único – A exceção da verdade somente se admite se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao exercício de suas funções.

  1. Frequentemente vejo o Pirulla sendo difamado pelo ‘você-sabe-quem’ e o artigo 139 é bem claro? Sim, é, vejam: ‘imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação’. Basicamente: falar mal de fulano é difamá-lo. Você está falando mal da pessoa, não das ideias dela. Você se dirige à ela especificamente e isso é bem evidente nos vídeos do cara, ele ataca sempre o Pirulla.
  2. E neste site tem uma explicação excelente desse artigo e de seus desdobramentos, recomendo que leiam: http://penalemresumo.blogspot.com.br/2010/06/artigo-139-difamacao.html, com atenção aos itens 3, Elemento Subjetivo; 4 – Consumação e tentativa
  3. Este outro site possui mais explicação sobre o assunto: http://www.saladedireito.com.br/2010/11/crimes-analise-do-art133-ao-145-do-cp.html, do qual cito:

“Classificação Doutrinária:
Crime comum – podendo ser praticado por qualquer pessoa, não sendo exigida nenhuma condição ou qualidade especial do sujeito ativo;
Crime formal – consuma-se independente de o sujeito ativo conseguir obter o resultado pretendido;
Instantâneo – consuma-se no momento em que a ofensa é proferida ou divulgada;
Comissivo – não pode ser praticado através de conduta omissiva;
Doloso – não há previsão de modalidade culposa;
Unissubisistente – (via oral) completando-se com ato único;
Plurissubisistente – (por escrito) que permite fracionamento.”

Muito interessante, não?

Outro fato interessante, é que o Código Penal tem um capítulo e artigo específicos para rixa, que é o seguinte:

CAPÍTULO IV
DA RIXA

Rixa

Art. 137 – Participar de rixa, salvo para separar os contendores:

Pena – detenção, de quinze dias a dois meses, ou multa.

Parágrafo único – Se ocorre morte ou lesão corporal de natureza grave, aplica-se, pelo fato da participação na rixa, a pena de detenção, de seis meses a dois anos.

E o que viria a ser uma rixa? Segundo o site Sala de Direito, “Rixa é uma briga entre mais de duas pessoas, acompanhada de vias de fato ou violência recíproca. Os rixosos agem individualmente, agredindo-se reciprocamente. A conduta tipificada é participar de rixa, que se caracteriza pela existência de agressões recíprocas generalizadas.”

Por enquanto, não é este o caso dessa contenda e acho que se depender do Pirulla, não chegará nesse ponto. Bom, é um ‘achismo meu’ e achei o capítulo curioso para deixar de fora da pesquisa.

Agora vamos olhar sobre injúria e já aviso que o artigo é extenso e formado por outros, que o complementam e explicam, prestem atenção aos trechos grifados, porque eles são constantemente encontrados nos ‘argumentos’ do sujeito:

CAPÍTULO V – DOS CRIMES CONTRA A HONRA

Injúria

Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:

Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.

§ 1º – O juiz pode deixar de aplicar a pena:

I – quando o ofendido, de forma reprovável, provocou diretamente a injúria;

II – no caso de retorsão imediata, que consista em outra injúria.

§ 2º – Se a injúria consiste em violência ou vias de fato, que, por sua natureza ou pelo meio empregado, se considerem aviltantes:

Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.

§ 3o Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência: (Redação dada pela Lei nº 10.741, de 2003)

Pena – reclusão de um a três anos e multa. (Incluído pela Lei nº 9.459, de 1997)

Disposições comuns

Art. 141 – As penas cominadas neste Capítulo aumentam-se de um terço, se qualquer dos crimes é cometido:

I – contra o Presidente da República, ou contra chefe de governo estrangeiro;

II – contra funcionário público, em razão de suas funções;

III – na presença de várias pessoas, ou por meio que facilite a divulgação da calúnia, da difamação ou da injúria.

IV – contra pessoa maior de 60 (sessenta) anos ou portadora de deficiência, exceto no caso de injúria. (Incluído pela Lei nº 10.741, de 2003)

Parágrafo único – Se o crime é cometido mediante paga ou promessa de recompensa, aplica-se a pena em dobro.

 

Exclusão do crime

Art. 142 – Não constituem injúria ou difamação punível:

I – a ofensa irrogada em juízo, na discussão da causa, pela parte ou por seu procurador;

II – a opinião desfavorável da crítica literária, artística ou científica, salvo quando inequívoca a intenção de injuriar ou difamar;

III – o conceito desfavorável emitido por funcionário público, em apreciação ou informação que preste no cumprimento de dever do ofício.

Parágrafo único – Nos casos dos ns. I e III, responde pela injúria ou pela difamação quem lhe dá publicidade.

 

Retratação

Art. 143 – O querelado que, antes da sentença, se retrata cabalmente da calúnia ou da difamação, fica isento de pena.

Parágrafo único. Nos casos em que o querelado tenha praticado a calúnia ou a difamação utilizando-se de meios de comunicação, a retratação dar-se-á, se assim desejar o ofendido, pelos mesmos meios em que se praticou a ofensa. (Incluído pela Lei nº 13.188, de 2015)

Art. 144 – Se, de referências, alusões ou frases, se infere calúnia, difamação ou injúria, quem se julga ofendido pode pedir explicações em juízo. Aquele que se recusa a dá-las ou, a critério do juiz, não as dá satisfatórias, responde pela ofensa.

Art. 145 – Nos crimes previstos neste Capítulo somente se procede mediante queixa, salvo quando, no caso do art. 140, § 2º, da violência resulta lesão corporal.

Parágrafo único. Procede-se mediante requisição do Ministro da Justiça, no caso do inciso I do caput do art. 141 deste Código, e mediante representação do ofendido, no caso do inciso II do mesmo artigo, bem como no caso do § 3o do art. 140 deste Código. (Redação dada pela Lei nº 12.033. de 2009)

UFA!!! Que longo, não? Mas ele é bem simples de entender, no final das contas. Contudo, o site Sala de Direito tem a versão explicada desse artigo.

Destaco aqui, do citado site, o significado para o ato de injuriar alguém: “(…) é ofender a dignidade ou o decoro de alguém. É essencialmente uma manifestação de desprezo e de desrespeito suficientemente idônea para ofender a honra da vítima no seu aspecto interno.” Já viram isso acontecer em algum canal por aí? Curioso, não é mesmo?

Isso é o que temos até aqui, observando tudo que já aconteceu e está documentado e disseminado pela web.
Entretanto, depois daquela abordagem, que me fez pensar muito no risco que alguém que se expõe como o Pirulla faz, deixando seu rosto conhecido por aí, enfim, uma pessoa popular, mesmo que para um nicho específico, pode ser que, alguém mal intensionado, desequilibrado, para sermos francos, um doido de pedra, passe desses limites, da Difamação, Rixa, Injúria, será que o Código Penal oferece alguma proteção? Sim, oferece, listo abaixo o Capítulo que se refere e seus artigos.

CAPÍTULO VI
DOS CRIMES CONTRA A LIBERDADE INDIVIDUAL

SEÇÃO I
DOS CRIMES CONTRA A LIBERDADE PESSOAL

 

Constrangimento ilegal

Art. 146 – Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, ou depois de lhe haver reduzido, por qualquer outro meio, a capacidade de resistência, a não fazer o que a lei permite, ou a fazer o que ela não manda:

Pena – detenção, de três meses a um ano, ou multa.

(vou pular alguns artigos, mas você pode ver aqui por completo o Código Penal)

Ameaça

Art. 147 – Ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave:

Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.

Parágrafo único – Somente se procede mediante representação.
O capítulo VI é bem extenso e recomendo que o leiam na íntegra, tem outras coisas interessantes, mas que para este contextos específico, esta pesquisa totalmente informal, estes artigos sirvam para ilustrar um cenário ruim. (No mínimo ruim e espero que nunca aconteça!).

Em um texto produzido pelo Pirulla, li que há pessoas divulgando documentos dele, como o Cadastro de Pessoa Física, vulgo CPF. Bom, existe um capítulo para isso no Código Penal, que é muito interessante e vou destacar um pedacinho dele aqui para vocês lerem:

SEÇÃO IV
DOS CRIMES CONTRA A INVIOLABILIDADE DOS SEGREDOS

Divulgação de segredo

Art. 153 – Divulgar alguém, sem justa causa, conteúdo de documento particular ou de correspondência confidencial, de que é destinatário ou detentor, e cuja divulgação possa produzir dano a outrem:

Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.

 

Bom, como podem perceber, este moço pode ter sérios problemas com a justiça brasileira. Ok, vai se arrastar por anos, vai. Mas pelo menos podemos nos livrar desse ser, que realmente, custo a acreditar que exista de verdade. É difícil, eu sei. Imagino que para o Pirulla deva ser pior ainda.
Depois dessa pesquisa toda, surgiram mais perguntas: qual o procedimento para abrir um processo? Quanto tempo levaria para o término do mesmo? Valeria a pena? Se você tiver essas respostas, deixe aí para mim nos comentários.

Outra coisa que fiquei pensando, é nos desdobramentos que isso possa ter e como nossas vidas são expostas para o mundo. Algo que há 20 anos seria coisa de filme, já é realidade. A velocidade da informação, o acesso das pessoas, com índoles variadas, com expectativas, seguidores, líderes (bons ou maus), quanta coisa a informática proporciona. Quanto aprendizado fácil e rápido. Há 20 anos, para ter esses trechos eu precisaria ir até uma biblioteca pública ou comprar um livro. Hoje, em poucos cliques consegui a informação. Mesmo com essa facilidade, às vezes parece que as pessoas preferem continuar na ignorância e disseminar porcaria. É triste.

A quantidade de seguidores que esse rapaz mal intencionado tem é assustadora. Pensar que você pode estar no metrô e de repente ter um assecla dele ao seu lado, com ideias tão deturpadas da realidade, é de meter medo.
Sim, eu tenho medo de maluco. Não tenho outro adjetivo no momento, a não ser esse: MA-LU-CO.

crazy

O intuito desse post não é defender uma das partes, ela não precisa. Como vimos, há meios legais para isso, advogados aos montes que adorariam pegar essa causa e ganhar uns honorários. Meu objetivo era refletir sobre a profissão que escolhi como formação, sou Analista de Sistemas, como ela pode prejudicar as pessoas, como pode facilitar uma pesquisa e porque o Código Penal Brasileiro é um objeto tão pouco conhecido de sua população. Se vocês olharem, ele não é de difícil entendimento e interpretação. Mesmo assim, poucos brasileiros o conhecem, o leram ou sequer o seguem. Fica restrito a pequenos nichos. O objetivo do post é também divulgá-lo e fomentar uma discussão saudável sobre o mesmo.

esponja

Ao mesmo tempo que observo essas pessoas, tão desligadas das consequências de seus atos, tão inconsequentes, incapazes de gerar um pensamento por si, de filtrar as informações que recebem, são pessoas como esponjas, absorvem o que um lunático qualquer espalha como se fosse verdade. Sem sequer desconfiar que podem estar indo para uma cilada, que isso pode lhes prejudicar, fico triste. Tive uma professora de história, a Célia, que sempre nos dizia para termos nossos filtros ligados, apurados, afinados: precisávamos ser assim para pensarmos, não sermos seguidores cegos, termos nossa opinião, nosso pensamento a respeito das coisas, estudarmos as causas, as consequências. Na ocasião estudávamos o nazismo, ascensão de Hitler e as consequências disso para o povo alemão e para o mundo. Pena que essas pessoas não tiveram a sorte de ter aulas com a Célia. Uma pena mesmo.

Eu fico preocupada com o futuro da sociedade, sabendo que há tantos alienados assim, alheios à realidade.
E é isso, primeiro post do ano, começando com uma reflexão desse tamanho.

Se você sobreviveu até aqui, meu muito obrigada.

Einstein

Einstein

Se você leu só o final, me responda o que achou da receita de cappuccino que coloquei no meio e deixe nos comentários.

pirula

Se ficou curioso para conhecer o trabalho do Pirula, acesse e se inscreva no Canal do Pirula. É muito bom, vocẽ vai aprender bastante sobre ciência, biologia, ver alguns pontos de vista, discordar de outros e agregar um pouco de valor à sua vida. Faz bem.

E tem o Twitter dele também: @pirulla25

Bom, é isso, e como diria o Senhor Polvo: “Que o Aquaman os proteja!”.

 

Update: 21.jan.16 – 22:20

Esqueci de colocar o nome do maravilhoso revisor desse texto, o Jorge Flavio Costa, @JFCosta, que também é autor de vários contos no Condessa! Obrigada mesmo e desculpe pelo vacilo inicial! XD

Rock OFF.

Podcast!!!

ROCK ON leitores, amiguinhos internéticos! Aqui é o Lucas Balaminut, ouvinte profissional de podcast.

Como todo bom hiperativo não diagnosticado, estou sempre procurando estímulos informativos (culpa do café?). Notícias, artigos, colunas opinativas, papers acadêmicos, vídeos, ou gráficos do mercado financeiro – consumo tudo que vejo pela frente. Um rato de Wikipédia, estou sempre fuçando fontes a fim de saciar minha curiosidade infinita.

Porém, entre todas essas alternativas, destaco a minha favorita. Além do café, sou viciado em podcast.

Mas Lucas… não sei o que é podcast. Por obséquio, vossa gentileza poderia me explicar?

Podcasts são programas em áudio, assim como aqueles do rádio. A diferença é que não são limitados pelo horário de programação. O ouvinte pode baixar os episódios quando quiser, ouvi-los quando desejar, pausar em qualquer momento e reouvi-los se tiver vontade. Um verdadeiro Netflix dos radio-shows. Podcasts podem ter horas de duração ou apenas alguns minutinhos, podem ter muitos participantes ou apenas um narrador, e podem tratar de qualquer assunto.

Recentemente, descobri o site Os 5 Melhores, que permite a qualquer usuário criar listas sobre qualquer tipo de produto, serviço ou assunto em geral, e votar em quais são os melhores dessa lista. Normalmente, cada votação tem entre 20 e 50 participantes. Eu descobri a lista de Os 5 Melhores Podcast Brasileiros, onde mais ou menos 50 podcasts eram listados, contando com 250 votantes. Divulguei a lista pros meus podcasters favoritos e pros meus amigos. Estes divulgaram para os seus ouvintes e para outros programas e, de repente, iniciou-se a TERCEIRA GUERRAL MUND… digo, A GUERRA PODCASTAL!

Os diferentes programas passaram a competir para subir no ranking, todos divulgando em massa a votação. Em menos de um dia, a lista já contava com 5 mil participantes e, o mais impressionante, SEISCENTOS PODCASTS! Sim, existem mais de 600 programas brasileiros diferentes. Eu não fazia idéia da dimensão da mídia até então – que surpresa agradável! Confira a lista, leia os comentários e descubra programas bacanas.

Ó, que pândego! Hó Hó! Conte-me mais sobre isso…

Os podcasts surgiram no EUA como uma evolução do rádio. Quando a internet surgiu, vários programas de rádio passaram a disponibilizar a gravação de seus episódios online – como talk shows, entrevistadores, programas de auditório, jogos de quizzes e comediantes. Dessa forma, quem deixou de ouvir o programa no rádio poderia baixar e escutar. Com a evolução da internet, muitos broadcasters perceberam que manter um site no ar é muito mais barato do que ter um programa em rádio; logo, vários programas migraram para a plataforma online. Um pouco depois, outros lançaram novos programas diretamente na internet.

Os podcasts americanos ainda mantêm muito dessa tradição radialista; o formato do programa gira em torno de um apresentador que conversa de maneira convidativa e semi-formal com convidados. Eles contam com pouca edição de falas e músicas, sendo quase que inteiramente produzidos durante a gravação.

Diferente da gringolândia, o Brasil tem uma história peculiar com esta mídia independente. A dez anos atrás, quando poucos podcasts existiam, era comum que pequenos blogs experimentassem todas as ferramentas disponíveis na internet a fim de atrair audiência. Foi assim que surgiu o Nerdcast, primeiro podcast realmente expressivo do país. Em vez de radioalistas com anos de experiência, este podcast, assim como muitos outros que vieram a seguir, era feito por entusiastas amadores que queriam agregar conteúdo ao seu site, falar de assuntos que gostam, opiniar e compartilhar experiências.

O Nerdcast desbravou a mídia no Brasil; contando com o aumento da acessibilidade da internet, o levante da demanda por cultura pop moderna, saudozismo e a popularização da cultura de nicho Nerd, cada ano o Nerdcast dobra sua audiência (de 350 mil downloads por episódio em 2014 pra 700 mil em 2015), servindo como porta de entrada pra mídia à muitos ouvites. Foi assim que descobri podcasts, a 8 anos atrás!

Encontrei o Nerdcast enquanto procurava sobre filmes do X-Men no Google, mas achei extremamente estranho ouvir desconhecidos conversando por uma hora no meu ouvido; também não conseguia diferenciar as vozes, saber quem é quem. Mas depois acostumei. As conversas eram engraçadíssimas, os participantes me conquistaram e eu aprendia bastante com o conteúdo. De um programa por mês, passei a ouvir um por semana, depois um por dia e, quando percebi, aguardava ansiosamente pela próxima publicação.

Estava feito: me tornei um ouvinte regular! O primeiro podcast que escutei na data de publicação foi o Nerdcast 101 – Traumas de Infâncias, a 7 anos atrás. De lá pra cá, é um ritual semanal baixar o Nerdcast de sexta-feira.

Mas o que ouvir durante os outros 6 dias da semana? Fui atrás de mais podcasts, claro.
Como eu era um adolescente cheio de tempo livre, procurei por temas que me agradavam, me tornando um verdadeiro junky de podcast. Sempre que estou fazendo alguma atividade que não requer muita atenção (limpar a casa, lavar a louça, pegar ônibus, correr no parque, etc), também estou ouvindo podcast.

Escolher entre 600 programas diferentes sem previamente conhecer nenhum  é complicado – sofro disso toda vez que vou a um restaurante que nunca experimentei nenhum prato. Então, aqui vão as RECOMENDAÇÕES DO LUCAS! Aeeeeeew.

JWave –  cultura pop, nerd e Japonesa; além de ser engraçado e cheio de curiosidades, o Juba (host) é muito carismático. Temas incluem JPop, anime, mangá, cultura oriental, cultura pop em geral e nostalgia anos 90 e 80. Descobri pesquisando sobre o anime Neon Genesis Evangelion – ainda com alguma dificuldade de entender… quem sabe eu não escrevo sobre isso?

Mundo Freak Confidencial – trata de investigar mistérios, lendas, mitos, oculto, obscuro, curioso e sobrenatural; programas bem leves engraçados, visa a diversão acima de tudo. Recomendo os episódios especiais Aconteceu Comigo.

Mixtape – bandas, álbums, instrumentos, estilos, tudo relacionado a música com o muito carismático Gustavo! Recomendo o episódio em que participei Filmes Sobre Música.

Promontório Estéril – pequenos episódios de 20 a 30 minutos narrando a vida de personagens históricos não tão famosos como em um áudio drama; muito bem produzido.

Dragões de Garagem – divulgador científico, trata de outros assuntos com seriedade mas sem perder a descontração; visa o aprendizado e tem excelentes entrevistas.

TemaCast – leva aos ouvintes conteúdo relevante sobre comportamento, história, biografias e cultura geral.

SciCast – traz conteúdo extremamente bem pesquisado, professores acadêmicos e pesquisadores com o objetivo de ensinar ciência de maneira divertida; temas variam de biologia, tecnologia e exatas para história, geografia e outras áreas humanas. Eu mesmo participei do episódio 88 – Pensamento Científico, e outros que ainda serão publicados.

Café Brasil – estimulam discussões intelectuais através de reflexões sobre vários aspectos da vida em sociedade.

Radiofobia – produzido, editado e apresentado pelo mestre do broadcasting Leo Lopes; discute temas variados e entrevista convidados ligados à atividade humorística do rádio, TV ou internet. O diferencial do programa é a aplicação do formato radiofônico no podcast. Quase todos os programas são gravados com transmissão ao vivo, via streaming, e todos os elementos sonoros (efeitos, trilhas e vinhetas) são reproduzidos em tempo real, exatamente como em um programa de rádio. Se assemelha a tradição radioalista americana.

Matando Robôs Gigantes – apresenta, discute e opina sobre quadrinhos, jogos e cinema, além de assuntos cotidianos em geral. Os programas são bem curtos, raramente passando de 20 minutos, e extremamente descontraídos.

Nerdcast – o supra citado, hors concours, e mais baixado podcast brasileiro; mostrando a visão Nerd do mundo, fala sobre todos os nichos e nuâncias da cultura pop, incluindo literatura, cinema, quadrinhos, jogos, séries, filmes, etc; também trata de ciências, História, assuntos cotidianos e histórias engraçadas. Recomendo o programa especial de RPG, onde as famosas partidas do jogo se tornam aventuras em forma de áudio, divertidíssimas, cheias de referências e extremamente bem produzidas. Além da Trilogia Medieval Fantástica, estão para lançar o último episódio da Trilogia Cyberpunk, cujo segundo capítulo bateu 3.2 MILHÕÕÕÕES de downloads.

Agora os gringos!

StarTalk – apresentado pelo astrofísico Neil deGrasse Tyson, o programa sempre conta com um comediante profissional para falar de maneira divertida sobre astronomia e ciências em geral. Temas da cultura popular e debates acadêmicos modernos são recorrentes.

Night Vale Radio – uma rádio local da pequena (fictícia) cidade do interior americo, Night Vale; Cecil narra os acontecimentos misteriosos da cidade como se tudo fosse normal; o podcast é carregado de referências literárias de mistérios, terror, alienígenas, cultismo, e tudo que é estranho. Conta com um humor inteligentíssimo!

Serial – apresentado pela jornalista Sarah Koenig, o programa conta a história verdadeira do assassinato de uma jovem adolescente no EUA. Cada um dos 12 episódios explora um aspecto diferente do misterioso caso, mergulhando em cada detalhe de maneira rigorasamente profissional e minuciosa – a investigação foi melhor que a da própria polícia e conta com um desfecho real impressionante.

Freakonomics – em curtos episódios de 20 minutos cada, responde a perguntas corriqueiras de maneira inteligente e bem embasada, pesquisando a fundo e usando técnicas analíticas. Conta com várias entrevistas e tem insights interessantíssimos.

Radiolab – parte do famoso NPRNational Public Radio (rádio público americano), é um espetáculo sobre a curiosidade que explora os limites da ciência, da filosofia e da experiência humana.

How Stuff Works – como o nome sugere, explora o funcionamento de diversos objetos, tecnologias e aspectos da vida corriqueira; temas incluem animais, carros, aventuras, cultura, entretenimento, saúde, ciência e muito mais.

Deixe nos comentários dúvidas ou sugestão de podcast.
Cliquem nos links, baixem podcasts e divirtam-se!

ROCK OFF

 

Hulk Esmaga!!!

HULK Rock Me ON!!!

Desenhei um Hulk pelo meu traço, levei para o Photoshop e enchi de efeitos porque queria treinar efeitos!

Primeiro deixei o traço borrado, ficou parecendo tinta, o que ajudou a melhorar o desenho original. Depois, passei uma corzinha verde, porque afinal, Hulk que é Hulk tem que ser verde! E o resto é história para boi dormir.

HULK ME ON!!!!!

HULK ME ON!!!!!

HULK Rock OFF!!!

 

Agent of S.H.I.E.L.D. Admissions

ROCK ON !!!

Olá pessoal,

Queria saber quem aí está desempregado, ou querendo mudar de emprego? Pois agora é a hora, sua chance de se tornar um Agent of S.H.I.E.L.D.

Isso mesmo, para se candidatar e obter sua carteirinha basta entrar no link a seguir, desde que já tenha uma conta no Facebook ou Instagram. E em instantes poderá ter sua carteirinha da S.H.I.E.L.D.

Eu já tenho a minha, corra e seja um herói!

http://www.agentsofshield.com/getyourbadge

Shield Card

ROCK OFF !!!

Trocar Nomes é Feio!

Rock ON!!!

DD significa Dare Devil!c[Polêmico, mas tem gente que não sabe!]

DD significa Dare Devil![Polêmico, mas tem gente que não sabe!]

Esta tira foi baseada num comentário que uma pessoa fez para mim, há muitos anos, quando eu lia quadrinhos e frequentava o SESC Pompéia. Eu estava lendo uma aventura do Dare Devil, vulgo Demolidor [deve ser porque ele é cego e deveria sair trombando nas coisas, demolindo tudo? É isso mesmo, versão Brasileira?] Enfim, lá estava eu lendo e a pessoa, singelamente, me perguntou: “O Batman Vermelho é novidade?”.

É, tem coisas que simplesmente não dá para responder, mas imaginei o personagem, já numa crise de nervos e aos berros: “EU NÃO SOU O BATMAN VERMELHO!!!!”

Rock OFF!!!

Wolverine Fazendo um Bico

image

Rock ON!!!

A coisa não tá fácil para ninguém! O velho Wolverine fazendo uns bicos por aí.

Rock off!!

Thor, O Magnífico!

Rock ON!!

Oi, galera!

Como havia prometido, aqui está a resenha sobre o filme do Thor.
Antes de mais nada, devo dizer que não vou fazer comparações com os quadrinhos do Thor, pois li poucas histórias, mas vou analisar o filme do ponto de vista técnico e também mitológico.

Para começar, assisti em 3D e dublado. Antes das reclamações, digo que isto foi estratégico, pois eu queria prestar mais atenção aos efeitos especiais do que na tradução e foi a melhor coisa que fiz, pois as poucas legendas que vi, como por exemplo aquelas que indicavam nomes de lugares, vinham em 3D e eram difíceis de ler. Daí imaginei que o filme em 3D e legendado para mim seria um verdadeiro inferno!

Thor, o Magnífico!

Thor, o Magnífico!

O novato Chris Hemsworth interpreta Thor, entretanto, já fez o pai do capitão Kirk, George Kirk no novo Star Trek, aparição curta, mas muito boa. Além disso, fez várias pontas e participações em seriados e filmes por aí. Australiano, nascido em 1983, ficou perfeito como Deus do Trovão, Thor. Alguém me disse que o Brad Pitt estava cotado para o papel, mas Chris tem um corpo muito bem definido sem parecer anormal, o que deixou o personagem muito interessante. Ou seja, Thor é um filme que o público feminino vai adorar!

Um nome de peso é o de Anthony Hopkins no papel de Odin, pai de Thor e senhor de Asgard! Diga-se de passagem ele ficou parecido com o personagem que interpretou em “A Lenda de Beowulf”, porém mais estiloso. Deste personagem, digo que na mitologia, Odin perdeu um dos olhos e em seu lugar usa uma runa. No filme aparece como um tapa-olho, ficando muito esquisito.

Odin, em uma das cenas aparece montado em Sleipnir!

Odin, em uma das cenas aparece montado em Sleipnir!

Para o papel da esposa de Odin, Frigga, coube a experiente e veterana Rene Russo, mas com uma participação mínima e apagada.

Os demais personagens estão muito bem caracterizados, como Loki, irmão de Thor, conhecido como o pai da mentira e senhor das trapaças. Dá muita raiva dele, mas poderia ter uma melhor interpretação. Ficou, digamos, sem sal!

Loki: desprezível e sem SAL!

Loki: desprezível e sem SAL!

Também não gostei dos amigos do Thor: colocaram um oriental e um afro descendente lá no meio dos deuses de Asgard! O Heimdall negro até é admissível, mas um japonês, com a cara do Lobo Solitário??? Nada a ver!!! Tem também um “Robin Hood” e um cara parecido com um grego, além da Lara Croft perdidos aí como fiéis amigos do Thor! Na minha opinião, isso não é fiel à mitologia nórdica, visto que o Thor mitológico costumava agir sozinho, mas enfim, é um filme de um personagem de quadrinhos, não de mitologia, então dá para encarar na boa, né?

Os amigos de Thor! Ito Oogami, Autólicos e o rei corno do filme Tróia? Tem a Lara Croft, mas Não está na imagem! Hein??

Os amigos de Thor! Ito Oogami, Autólicos e o rei corno do filme Tróia? Tem a Lara Croft, mas Não está na imagem! Hein??

Os inimigos básicos são os gigantes de gelo, muito bem feitos, apesar que parecem mais guerreiros Navi’s sem rabinhos e carecas, rss. Mesmo assim uma maquiagem muito boa, com certeza o filme deve ser indicado para o Oscar de Efeitos Especiais por isso. Também há um robô enorme e pavoroso, esse dá um medo!!! Mas não quero falar muito dele, senão perde a graça!

O núcleo das pessoas na Terra é bem interessante também. Formado por 3 pesquisadores, vão ajudar Thor a se recuperar. Há também algumas participações especiais, dando a ligação entre o filme do Iron Man, Hulk, Thor e Capitão America, já nos preparando para o filme sobre os Vingadores.

Thor e  a pesquisadora Jane Foster.

Thor e a pesquisadora Jane Foster.


Os efeitos especiais estão muito bem produzidos, bem como os sonoros. Aliás, o áudio de Thor me surpreendeu, mostrando que a produção caprichou bastante! As músicas foram bem escolhidas, o áudio das batalhas, dos efeitos das lutas, a passagem pela ponte Bifrost, aquela barulhada toda formatada de um jeito harmônico e bem arranjado fazem de Thor um filme quase real, não ficou falso como Iron Man ou Hulk.

Como efeitos visuais, destaco também a pasagem pela Bifrost e o cenário do palácio de Odin em Asgard! Ficaram magníficos! Quando estão na Terra, o filme se passa em uma cidadezinha interiorana, meio velho Oeste selvagem, mas que encaixou bem na trama, dando um contraste muito bacana com a maravilhosa Asgard!

O 3D de Thor é muito bom, como disse no começo, está bem trabalhado e não cansa os olhos. Minha primeira experiência com 3D foi vendo O Besouro Verde, tive um pouco de dor de cabeça e saí do filme trombando com as pessoas, além de que em vários momentos tive que tirar os óculos para coçar os olhos. Já em Thor isto não ocorreu, tendo sido bem confortável a experiência. Tenho astigmatismo e ver coisas em 3D é muito complicado para quem tem essa deficiência visual.

Heimdall: Guardião da Ponte Bifrost que liga Asgard a Midgard  (Terra)

Heimdall: Guardião da Ponte Bifrost que liga Asgard a Midgard (Terra)

Algo que achei bonito no filme foram as roupas dos personagens. Estavam muito bem feitas, caprichadas mesmo! Não ficou algo falso ou carnavalesco, embora eu tenha achado a roupa do Heimdall muito parecida com a do Aldebaran de Touro, rs. A roupa do Thor ficou muito linda! Melhor que a dos quadrinhos, aliás, esse Thor é muito gostoso, com o perdão da expressão e por isso considero um filme para meninas e não meninos, rs.

Thor: Bonito, gostoso e maravilhoso!

Thor: Bonito, gostoso e maravilhoso!

Não sei o que os fãs dos quadrinhos vão achar, mas tenho em mente que as pessoas que nunca viram o Thor vão adorar o filme e curtir bastante! Aliás, até o site oficial do filme é muito bem feito! Acho que é o melhor que já vi até agora! Segue o link: para que vocês se divirtam bastante!

Também soube que tem um jogo sobre o filme, mas essa parte vou deixar para o Gui Galdin pesquisar! Rss [trabaia, escravo! XP]

Thor, mestre do Mjolnir!

Thor, mestre do Mjolnir!


Sei que gostei muito do filme, tanto que hoje dois amigos me chamaram para assistir e topei na hora! Thor é um filme que eu veria novamente, sem dúvidas!

Ouvi muitos colegas dizerem que suas namoradas não querem ir ver o Thor por dizerem que é um filme para meninos. Bom, das duas uma: Ou é um preconceito besta mesmo, ou elas vão ver sozinhas durante a semana, ahahaa, pois o ator é realmente lindo! Então, meninas, aproveitem bem o filme!

Thor é um filme para meninas!

Thor é um filme para meninas!

É com esta imagem que encerro esta pequena resenha sobre o filme Thor. Espero que tenham curtido bastante e que não deixem para ver este filme em casa! Thor merece ser visto na telona e em 3D!

Rock OFF!

Aleatório.

Faço essas coisas quando os Sistemas que uso ficam Lentos.

Faço essas coisas quando os Sistemas que uso ficam Lentos.

%d blogueiros gostam disto: