Tag: linux

#003 – Vetorizando no Illustrator!!!

Rock ON!!!

Fiz o rascunho entre uma ligação e outra no trampo. As filiais me fazem esperar muito. Achei o desenho maneiro e resolvi vetorizar no Illustrador.

Vetorizar nada mais é do que transformar um desenho complexo (bitmap) em um desenho simples (Vetor). Bom, isso não quer dizer muita coisa, né? Usarei um exemplo prático: uma foto de gatinho. Supondo que eu tenha uma foto de gatinho e olhe essa foto bem de pertinho, verei vários quadradinhos pequenos nela, são os pixels. Quando olho mais de longe, vejo a imagem formada. Bom, até aí, o vetor também é formado de pixels, se eu olhar bem de pertinho, verei a mesma coisa.

A diferença ocorre quando eu quiser fazer uma ampliação da foto de gatinho, o bitmap, ele vai estourar aqueles quadradinhos, os pixels, e por isso a minha linda foto de gatinho ficará deformada, desfocada, feia e horrorosa.

Vamos dizer que eu tenha vetorizado um desenho de gatinho, ou seja, peguei o desenho, passei as linhas e pontos por cima em um programa de vetorização, que poderia ser um Illustrator, Corel Draw, Inkscape etc, transformei em linhas e pontos, colori, tudo vetorizado. Daí eu preciso ampliar esse vetor, então, basta eu fazer isso e ele vai se manter bonito, ordenado, perfumado, lindo de morrer!

Mas por que isso acontece? O vetor trabalha com cálculos matemáticos e o bitmap não. Na verdade é algo bem mais complexo que isso, só que neste momento você não precisa saber disso, não é mesmo? Basta saber que se você quiser uma ampliação ou redução quase perfeita, é melhor usar um vetor que um bitmap!

E como reconhecer quem é um e quem é outro? A resposta já está acima, mas vou dar uma dica: aquelas imagens do tipo jpg, em geral são bitmaps, ou mesmo o bmp (a extensão básica do Paint que vem com o Windows). E se você ampliar ou reduzir muito, vai distorcer uma imagem assim, além de poder ser o produto de um programa de vetorização, isto é, um arquivo exportado. Mas isto é avançado demais neste momento, não se prenda a isto, ok?

Bom, em termos práticos, bitmap é aquilo que você manda no seu celular ou rede social para os amigos. Vetor é aquilo que o cara da gráfica vai pedir para você mandar quando quiser fazer mil adesivos do logotipo da sua banda favorita. E ele pede em vetor porque daí ele pode fazer ajustes sem perder a qualidade do produto final, sacaram?

Eu uso o Illustrator, mas já usei o Corel Draw quando estava aprendendo vetorização e sinceramente a única coisa que sinto falta em relação ao primeiro, é que o Corel divide os tipos de curvas que ele faz, o Illustrator trata como uma coisa só! E o Inkscape? Instalei uma vez para ver como era e nunca usei de fato, mas sei que o Programador Real usa esse programa nas suas tirinhas.

O legal do Inkscape é ele ser gratuito. Você pode fazer download para seu Sistema Operacional baseado em Linux ou Windows. Procurem no Google, é fácil. Já o Illustrator e o Corel são softwares proprietários e você precisa pagar. Ou pegar uma versão de testes.

Bom, no Illustrator é possível mudar o ângulo do pincel de pintura, da borracha, coisa que acho muito legal porque é feito de um jeito bem simples e no vídeo, se você prestar atenção, verá que faço isso algumas vezes.

Entre vetorizar e colorir, levei cerca de 1h30. Mas não se preocupem, reduzi o vídeo às partes mais importantes e ficou com 2min19.

A música de fundo também é de minha autoria. Eu fiz no Music Make Jam, aplicativo da Microsoft, para criar trilhas sonoras. Não sei usá-lo ainda e foi a primeira composição que fiz. E fiz isso porque não achei nenhuma trilha que se encaixasse nas cenas. Rsss.

Bom, espero que gostem, entrem no Youtube, deem um joinha, tá? No próximo farei com voz.

E aqui está o resultado final:

littleRedNinja

Rock OFF!!!

TVPaint!!!!!

Rock ON!!!

Já imaginou um programa bacana para fazer animações? Claro, que sim! Existem vários no mercado e esse final de semana eu descobri um bem maneiro na página do Facebook, a Tradicional Animation.

Trata-se do TVPaint e vale uma visita ao site para ver a galeria de animações que são produzidas. Claro que você deve levar em consideração que uma animação demanda tempo, pessoas e máquina boa. Sim, senhores, demanda.

O que o TVPaint tem de diferente de outros programas para animar que já vi, como por exemplo, o After Effects, é que ele é bem simples, leve e com interface intuitiva.

É possível desenhar diretamente nele ou importar desenhos também. Ele trabalha no esquema de animação por frames e também permite incluir sons e fazer marcações na linha do som, escrevendo o que significa cada coisa.

Por exemplo, pense num boneco que diga ‘Olá, como vai?’. Você pode escrever, numa área sobre a faixa de som essa frase e assim saber onde começa e onde termina cada som.

O programa possui um tryal cuja única limitação é exportar a animação e deixar uma marca D’água no produto final. Mas se você está interessado apenas em aprender técnicas de animação é um programa legal. Ou você pode compra-lo também  e assim tirar essa limitação.

O programa está disponível para Windows, Mac, Linux e até Android! Demais, não é?

E a curva de aprendizado dele parece ser bem simples e estou bem animada com ele.

Achei o canal de um artista chamado Aaron Blaise que ensina como trabalhar com o TVPaint. É em inglês e não tem legendas, mas se você pesquisar mais poderá achar algo em português. Não vou procurar, porque hoje em dia, meu amigo, se você não sabe o mínimo de inglês, já passou da hora de aprender, né?

Bom, espero que gostem do TVPaint, que ocupa cerca de 250MB no disco. Eu instalei a versão Windows 64bits.

Divirtam-se e deixem os comentários aí para eu saber que alguém lê esse site. Agora coloquei o Disqus.

Update:

Documentação do TVPaint

Tutoriais em vídeo

Galeria de Trabalhos

 

Rock OFF!!!

Reflexão: O Xiitismo da Comunidade Linux

Rock ON!!!

A comunidade Linux vai de mal a pior com os tipos xiitas. Na boa, não entendo como ainda hoje pode ter gente que exija que um usuário novo, que quer conhecer o SO, use apenas o terminal.

Isso é afastar o cara. O fulano vem do mundo Windows, onde tudo é gráfico, bonito, felpudo e perfumado. Daí, o beltrano xiita, quer que ele caia no terminal, que é feio, quadrado, bicudo?

Que merda de mundo livre é esse afinal de contas? Cadê a liberdade de deixar o usuário usar o SO como quiser?

A comunidade Linux deveria se envergonhar desses tipos que só sabem fazer afastar os possíveis novos usuários.

E depois reclamam da Microsoft. Pelo menos ela encara os usuários de uma forma mais amigável. Desculpem o desabafo.

Mas para quem passou praticamente 10 anos estudando a área de TI, ver gente nesse nível de xiitismo ainda hoje, com tanto SO Linux amigável, é de amargar.

——

Fiz essa reflexão após um longo debate na comunidade Ubuntu Dicas [da qual penso seriamente em sair].

A pergunta de um participante foi a seguinte:

“Qual a distro Linux que necessite o menor uso de terminal ou de modo texto possível?”

E o que se seguiu foram ataques ao coitado, como se ele tivesse obrigação de usar o terminal. E uns poucos, que como eu, defendiam o uso da interface gráfica, para que depois, com o tempo, ele ‘descobrisse’ o terminal.

Daí um fulano, que não tem vida, não tem o que fazer, resolveu encher o saco com isso. E pior fui eu, que dei trela para esse xiita. E o que isso resulta, uma conversa inútil e um post reflexivo sobre a comunidade Linux.

Será que para usar Linux mesmo a pessoa tem que ser um expert?

É fechado então?

Dá raiva dessas cabeças fechadas, muita raiva…

Los Cubos.

Los Cubos.


Rock OFF!!!

Lubuntu: Linux Magrinho!

Rock ON!!!

 

Boa noite galera.

Image

Hoje removi o Ubuntu da máquina da minha mãe, um notebook Asus com 2GB de RAM, 320GB de HD e processador AMD Radeon, e coloquei uma distribuição chamada Lubuntu, que é o Ubuntu com uma interface mais levinha e com cara de Windows.

Sim, a interface gráfica dele lembra muito o Windows 7: Menu iniciar, barra de acesso rápido, programas divididos em grupos e uma área de trabalho.

O que difere da outra distribuição que estava? É bem leve, rápido e tem a cara que minha mãe conhece, cara de Windows.

Descobri essa maravilha no grupo Ubuntu Dicas no Facebook [recomendo que acompanhem esse grupo, pois sempre aparece alguém com alguma informação legal.]. 

Quem fez uma postagem sobre isso foi o Gustavo Pereira, que inclusive me passou o link para baixar a ISO do Lubuntu e me tirou algumas dúvidas iniciais sobre o SO e sua instalação, que aliás, foi bem simples: baixe a ISO, queime um CD, inicie a máquina pelo CD, siga as instruções e instale o Lubuntu. Instalação essa que foi bem rápida.

Eu não mexo muito com o mundo Linux, aliás, pouco mexo, sei apenas o básico do básico, mas frequento esse grupo para poder aprender alguma coisa. É sempre bom aprender coisas novas, não?

Bom, gerou até uma sugestão de um outro rapaz, o Marcelo Jzc, que disse que eu poderia instalar a interface Lubuntu por cima do Ubuntu. Porém, eu optei por remover o Ubuntu e instalar num ambiente limpo o Lubuntu. Pelo que o Gustavo comentou em seguida, se eu não fizesse isso, o SO continuaria pesado, pois seria o Ubuntu rodando ainda. 

Dada minha experiência com ambiente Windows, sei que o ideal mesmo não é instalar por cima, fazer remendos, o melhor é formatar e começar o SO do zero, num ambiente limpo, descontaminado. Vai saber o que estava corrompido nesses 4 meses que minha mãe tem usado o Linux na máquina dela? Melhor remover tudo. Afinal, ela não tinha nada a perder na máquina, então, sem os custos do Backup, ficou mais rápido fazer assim.

A instalação foi bem rápida, tranquila, com interface gráfica, já configurou a rede nesse primeiro momento também, enfim, não levei mais que 30min para instalar tudo e começar a usar o Lubuntu.

Por isso, deixo aqui o link para você, se quiser baixar também esse SO bem levinho:

 

Lubuntu: Site Oficial.

Minha mãe foi dormir cedo e ainda não usou o notebook, mas quando mostrei a interface gráfica, percebi que ela ficou contente, porque agora iria achar ‘as coisas’, como por exemplo, onde salvar as fotos do celular dela. No Ubuntu, ela não conseguia entender a interface [e  confesso que eu também me perco] para poder fazer tarefas simples como guardar fotos numa pasta ou acessar os documentos em um pendrive. Afinal, minha mãe usa Windows no trabalho há muito tempo e a interface do Ubuntu não era amigável suficiente para ela.

[Antes que me xinguem e comecem o mimimi, digo que já vi interfaces piores em Linux e quando mexi com ele a primeira vez, foi com Fedora e no modo texto! Pensem que terror! rsss Sei que hoje está muito melhor, mas ainda é possível ficar mais legal, nisso a Microsoft ainda é fixa no subconsciente das pessoas.]

Bom, é isso, pessoal.

Quem tiver a curiosidade, instale o Lubuntu num micro ou note antigo, ou ainda, numa máquina virtual [Virtual Box, por exemplo].

 

Rock OFF!

Instalando Ubuntu 13.4 em Virtual Box

Rock ON!!!

Olá, pessoal!

Hoje decidi criar uma máquina virtual no Virtual Box para comportar o Sistema Operacional Ubuntu 13.4, versão mais recente do sistema amigável ‘Linux’ [vou chamar assim, porque este post destina-se a pessoas leigas, portanto, vou simplificar muito os termos].

Bom, eu já tinha o programa Virtual Box instalado aqui no meu Windows 8.

Mas você pode obter uma Virtual Box gratuitamente em: https://www.virtualbox.org/. Ou use a Máquina Virtual de sua preferência. De repente assim, só me lembro do VMWare. Mas não a utilizo, acho confusa. Enfim, a minha versão da Virtual Box ainda é a  4.6 r82870. Não atualizei porque não quis. No site, a versão atual é a VirtualBox 4.2.16.

Bom, supondo que você já tenha uma Virtual Box, vamos criar a máquina virtual em passos simples:

  1. Clique em ‘novo’.
  2. Dê um nome para seu sistema operacional. Dica: eu coloco como nome o SO+Versão
  3. Escolha o tipo [Linux];
  4. Escolha a versão [Ubuntu];
  5. Avance;
  6. Defina o tamanho da memória virtual que sua máquina vai utilizar. Lembre-se que ela vai usar memória da máquina real. Como eu tenho um notebook da Samsung com 8GB disponíveis, deixei 2GB, que é um valor confortável para mim. Não vou entrar em detalhes.
  7. Avance.
  8. A próxima parte diz respeito ao Disco Rígido. Escolha a opção ‘criar um disco rígido virtual agora‘.
  9. Avance.
  10. O próximo item é Tipo de Disco Rígido. Como estou trabalhando com Virtual Box, fico com a primeira opção: ‘VDI [VirtualBox Disk Image]’.
  11. Avance.
  12. Em Armazenamento em Disco Rígido Físico, escolho a opção ‘dinamicamente alocado’. Muita atenção aqui, porque isso quer dizer como seu disco virtual vai trabalhar com seu disco local. Se a gente coloca um valor fixo, dá um monte de problemas. Não vou entrar em detalhes.
  13. Avance.
  14. Em Localização e Tamanho de Arquivo, você escolhe um nome e define o tamanho do seu HD virtual. Isto vai pegar espaço da sua máquina real, assim como a memória. Eu decidi pegar 10GB. Em alguns tutoriais que vi, recomendam 5GB.
  15. Pronto, você já criou a máquina virtual. Mas está sem sistema operacional, né? Digamos então que agora você tenha o ambiente configurado para poder colocar seu Sistema Operacional dentro dele. Pense numa pizza: você fez a massa e colocou o molho, agora vamos por a cobertura [Sistema Operacional] e levar ao forno [instalação].
  16. Clique duas vezes sobre a Máquina Virtual criada para liga-la.
  17. De cara, ele vai pedir para que você indique onde está a ISO do sistema Operacional. Esta ISO é o arquivo de instalação do seu sistema, você pode pegá-la gratuitamente no site http://www.ubuntu-br.org/. Lembre-se sempre de pegá-la de acordo com seu processador [32Bits ou 64bits].
  18. Bom, aí depois que você indicou o caminho da ISO, clique em iniciar. Isto faz com que a máquina virtual comporte-se como um micro real, que você foi lá e colocou o CD do Ubuntu para rodar.

 

Agora aqui eu vou separar o tutorial, para falar apenas da instalação do Sistema Operacional.

  1. A primeira tela é a de ‘Install’, onde você pode escolher o idioma que quer prosseguir a instalação, se vai só testar o Ubuntu ou se irá instalá-lo.
  2. Opção minha foi escolher em inglês, mas para este tutorial, vou colocar em português. Então, rode os idiomas até achar ‘Português do Brasil’. Sim, isso mesmo. Porque há diferença entre nosso idioma e o falado em Portugal. Exemplo: falamos ‘arquivos’, portugueses falam ‘ficheiros’.
  3. Depois que escolheu seu idioma, clique no botão Instalar o Ubuntu.
  4. Ele vai apresentar um checklist, pois vai ver se você está conectado à internet [é sempre bom estar, ele ‘se acha’ sozinho, baseado nas informações que a máquina real manda automaticamente para a máquina virtual – e é por isso que amo o Virtual Box, porque não preciso configurar isto, embora eu possa, mas acho prático deixa-lo por conta. Quando usei o VMWare, lembro que tive que fazer isso na mão e odiei. Não sei se já está automático.]
  5. Bom, posso dar check para as duas instalações opcionais, se a minha internet é de boa qualidade. E clico em Continuar.
  6. Depois, ele vai abrir a tela Tipo de Instalação. Escolha a primeira opção: ‘Apagar Disco e Reinstalar Ubuntu’. Afinal, esta é uma máquina virtual zeradinha.
  7. Clique no Instalar agora.
  8. Primeiro, ele vai verificar as suas configurações regionais de fuso horário. Praticamente ele te pergunta ‘Onde você está?’ Ajuste se necessário, basta clicar no mapinha ou escolher a cidade.
  9. Avance.
  10. Daí ele vai pedir para que você escolha o layout do teclado. Muita atenção aqui, porque ele tem uma barrinha para você testar as teclas que mais usamos em nosso idioma, tais como cedilha e acentos. TESTE. Escolha a primeira opção da lista Portuguese (Brazil) e teste. Se não aparecer, vá escolhendo outras opções e testando. NO MEU teclado, é a primeira opção. De repente, você tem um teclado diferente. Por isso eles têm a barrinha de testes. E se nada disso der certo ou vc estiver com preguiça, use o botão Detectar Layout do teclado.
  11. Clique em Continuar.
  12. Agora vem a parte mais legal. Você vai configurar nessa tela seu nome, nome do computador, nome de usuário, sua senha, confirmar a senha e escolher algumas opções de segurança.
  13. Senha: o Ubuntu é case sensitive, isto é, ele distingue maiúsculas de minúsculas, então, cuidado.
  14. Segurança: eu deixei marcada a opção ‘Solicitar minha senha para entrar’. É uma máquina só para estudos, mas é sempre bom ter esse hábito, porque além da segurança, você não esquece a maldita da senha e acreditem, a coisa mais fácil do mundo é esquecer senhas.
  15. Clique em continuar. Ele vai proceder a instalação. Enquanto isso, você pode ler as novidades do sistema, algumas curiosidades. A instalação aqui foi bem rápida. Cerca de 10min.
  16. Daí ele pede para você reiniciar. Obedeça, clique no botão Reiniciar Agora.
  17. Pode ser que dê uma pane e ele feche sua máquina virtual [Caso A]. Ou ele pode ficar travado no reinicio do sistema. [Caso B]. Dê certo, reinicie normalmente [Caso C].
  18. [CASO A]: Obedeça às mensagens. Aqui pediu para fechar a Máquina Virtual [não confunda com o Virtual Box!]. Fechei e mandei abrir novamente. Ele perdeu tudo que tinha feito e terei que fazer uma nova instalação. Aqui vc respira fundo, fala uns palavrões e volta para o começo do tutorial e faça novamente. Não sei o que há com essas versões do Ubuntu, parece meio loteria. Aconteceu quando instalava a versão de teste para escrever este tutorial. Pode ser que seja o idioma, por isso eu sempre opto por instalar em inglês.
  19. [CASO B]: Aconteceu quando instalei minha máquina de aprendizado. Daí, ele ficou travado na tela preta de reinicio de sistema. Solução: no menu Máquina, clique em Enviar CTRL+ALT+DEL [Host+D], ele vai enviar o comando para máquina virtual, e depois o Ubuntu subiu normal, para eu digitar minha senha de usuário e acessar o sistema.
  20. [Caso C]: Comemore para caramba!!!! Não deu erro algum e você já pode usar o UBUNTU 13.04.

Pronto, pessoal. Este foi o tutorial. Ficou meio longo, mas acho que está simples. Meu foco foi ajudar o mais lesado e perdido dos usuários, estudantes e curiosos. Não lembro muito sobre Linux, quando aprendi, foi com o Fedora, lá no Senai e era tudo em modo texto, não deixavam a gente usar a parte gráfica. Instalei agora para poder reciclar meus conhecimentos.

Deixo como dicas, alguns canais:

Iniciantes:

Comandos Básicos>>> http://wiki.ubuntu-br.org/ComandosBasicos

Curiosos:

Ubuntu 13.04 – TechTudo>>>http://www.techtudo.com.br/tudo-sobre/s/ubuntu.html

Ubuntu Dicas >>> http://www.ubuntudicas.com.br/blog/  [ele vive me socorrendo pelo Twitter, é um ótimo canal cheio de dicas, truques, novidades, tutoriais]

Ubuntu Dicas no Facebook>>> Muita gente disposta a ajudar>>> https://www.facebook.com/groups/ubuntudicas

Dicas Ivan>>> de tudo um pouco e aquilo que você nem espera que exista lá, tem e não é da Google!!! http://dicas.ivanfm.com

E tem outras coisas que vc pode digitar no Google, para achar tutoriais, por exemplo:

  • Foca Linux
  • Ubuntu
  • Canonical
  • Tutoriais em Linux

 

Espero que tenham gostado, galera.

O post é sem imagens mesmo, depois edito [ou não].

 

A Maldição dos Profissionais de Informática!!!!

Rock ON!!!

Fazendo limpeza nos meus emails, achei essa pérola!

Contemplem!

Conta a lenda que, quando DEUS liberou o conhecimento da informática para os homens, determinou que aquele saber iria ficar restrito a um grupo muito pequeno e selecionado.

Mas, neste pequeno e seleto grupo, cujos membros se achavam semi-deuses, já havia aquele que iria trair as determinações divinas.

William Gates, mas tarde conhecido como Bill, resolveu ganhar muito dinheiro com aquela nova revelação do Alto, e… todos conhecem o fim da história.

Mas, DEUS, ao expulsar todos do laboratório de análises e pesquisas de software e hardware, lançou sobre suas cabeças e de seus descendentes as seguintes juras:

01 – Não terás vida pessoal, familiar ou sentimental.
02 – Tua sanidade mental será posta em cheque antes que completes cinco anos de trabalho.
03 – Terás gastrite, se tiveres sorte. Se for como os demais, terás úlcera.
04 – A pressa será teu único amigo e as suas refeições principais serão os lanches, as pizzas e o China in Box.
05 – Teus cabelos ficarão brancos antes do resto da população. Se te sobrarem cabelos.
06 – Não terás feriados, fins de semana ou qualquer outro tipo de folga.
07 – Dormir será considerado período de folga, logo, não dormirás.
08 – Teu caráter será mensurado pela quantidade de certificações que tiveres.
09 – Happy hours serão excelentes oportunidades de ter algum tipo de contato com outras pessoas na mesma condição.
10 – A quantidade de memória e o processador de teu equipamento serão os diferenciais para que sejas bem visto ou não pelos demais.
11 – Ficarás cego, mas antes sentirás muita dor de cabeça, enxaqueca ou algo que doa muito.
12 – Terás sonhos com modelagem de dados, programação e, não raro, resolverás problemas de trabalho neste período.
13 – A máquina de café será tua melhor colega de trabalho. [FATO!!!!]
14 – Trabalho será teu assunto preferido. Talvez o único.
15 – As pessoas serão divididas em 10 tipos: as que entendem binário e as que não entendem. E verás graça nisso.
16 – Sentirás orgulho por tua tendinite ser mais extensa que a do peão sentado ao lado.
17 – Exibirás olheiras como troféus de guerra.
18 – Com o tempo, cafeína não te fará mais efeito.
19 – Terás um blog.

A pior de todas as juras:

20 – Inexplicavelmente gostarás de tudo isso!!!

Rock OFF!!!

Conversa Fiada

Rock ON!!

Oi, pessoal!

Essa semana está bem puxada para mim. Tenho tentado postar pelo celular, mas está complicado.

Para melhorar, perdi meu modem 3G de quinta para sexta e tive que comprar outro neste sábado. Cancelei o antigo com a TIM, nossa, foi muito fácil, nem acreditei. Parabéns, TIM, serviço eficiente de cancelamento.

Depois fui a outra loja da TIM e comprei outro modem, fiz um plano melhor, agora vou pagar menos, olha que sorte! Ainda fiz a migração do plano prá-pago para pós na TIM. Mas por algum designío do Universo, meu sinal de 3G desapareceu! Vi agora pouco e tá tarde para ligar para o suporte.

Hoje entreguei um trabalho de matemática financeira e fomos muito bem. Meu grupo, muito grata, vocês foram finos! Bruno, Bárbara e Rodrigo, menos um na conta!

Ainda estou apanhando da instalação do BrasilFW, embora o prof. de Java tenha dado uma ajuda valiosa, realmente muito grata pela força na quinta! Ainda não mexi na máquina virtual.

Fui desinstalar uma e ela travou, meu note está abrindo o bico? Será? Não sei. Força, HP! É final de semestre e ele fica assim mesmo sempre, muito trabalho.

Ainda temos um artigo para aula de SGE, nosso trio é muito bom também: Tamires, Débora e eu. Vamos detonar essa!

Tem a aula de Java, que não consigo parar para estudar… ai ai … mas vou dar um jeito amanhã, questão de honra! Nem que seja ler um capítulo do livro!

E tem prova de matemática no sábado que vem… preciso estudar, aprender a matéria. Ficou para quinta, pra depois da aula de SR2. Que aliás, como seremos avaliados? O professor é novo, muito motivado, mas estamos ja no final do semestre, como seremos avaliados? Eu me preocupo com isso.

E empreendedorismo? Estamos perdidos! Perdidos!!! <0>

Mas apesar de tudo, estou gostando de aprender a mexer com Linux. É, tudo tem seu lado bom…

Mas eu cancelei um café… e isso é ruim, muito ruim! Perdoe-me!

Não sei… O Inverno está chegando… cuidado com o apocalipse Zumbi… meu espaço, seu espaço!

Image

Garimpei essa imagem na internet. Os créditos estão no cantinho dela… Mas é bem assim mesmo que acontece, né?

 

Rock OFF!

Rock ON!!!Passe…

Rock ON!!!

Passei uma semana ausente, mas é porque estou na reta final do semestre da Facul e pouco sobra tempo para postar. Por isso, peço mil desculpas. Ok, não desculpe se não quiser. XD apenas continue vindo aqui e conferindo as novidades. O Rock Me ON pode desacelerar, mas não está perto do fim! Aha!!

Vamos lá. Dessa vez não tem desenho, mas algumas garimpadas no YouTube que gostei e resolvi postar para vocês.

Primeiro o meu favorito e que já estou enchendo o saco dos amigos com isso, pois estou vendo praticamente todos dias. Mas é muito engraçado, vocês vão ver!

Divirtam-se!

Cálculo é muito tenso, então vamos relaxar com May The Force Be With You da banda brasileira Dr. SIN!
O clipe ficou muito engraçado, vale a pena conferir. Além disso a música é muito boa. E uma observação: eu não gosto de Star Wars, mas admito que ficou muito bom o clipe!

Já ouviu a música do Pi?

E a do Fibonacci?

Problemas com derivadas e integrais? essa paródia do Queen é a solução!

São inúmeras as paródias com esse trecho de filme. Aliás, é um bom filme sobre a Segunda Guerra Mundial e esse é um dos pontos mais dramáticos. O ator é muito bom, um papel pesado interpretar o Hitler, mas enfim, chega de lenga-lenga e vamos à paródia! Hitler bombou em cálculo.

PHP vs. Python vs. Ruby vs. Java vs. .NET –> sem legendas…

PC vs Mac Vs Linux –> sem legendas…

Morre Diabo versão Java:

Java, o filme: Confesso, queria que fizessem esse filme!

E essa aqui eu fiquei com medo: Disney e o Nazismo.

Tem esse outro da Disney, explicando como surge um nazista. Sem legendas e muito tenso:

Nossa, que tenso, vamos amenizar com dois vídeos do Carlos Ruas (www.umsabadoqualquer.com.br):

Um dia na vida de Deus:

E para finalizar, que tal Anderson Silva? Trocadilho ruim, mas aqui vão alguns erros da propaganda da cerveja!

E é isso, pessoal!

Rock OFF!

Documentário: Revolution OS — GNU/Linux

Rock ON!!!

Esta semana o novo professor da faculdade nos indicou um documentário bem interessante que eu quero comentar com vocês. Trata-se do Revolution OS, de 2001, que trata sobre a comunidade de Software Livre, do projeto GNU, do Linux e ainda uns pitacos calientes em cima da Microsoft, para deixar qualquer xiita anti-Bill bem contente! Também é falado sobre o código livre. Atenção, este texto contém spoilers do documentário.

(Spoilers a partir daqui!!!! Entre por sua conta e risco!!!)
Read More

%d blogueiros gostam disto: