Tag: Bolsonaro

SEM FOCO 052 – Detonando Bolsonaro e as Aventuras de ‘Lá Fora’!! #Covid19 (@semfoco2 #SemFoco)

 

Rock ON, galera!

 

Aqui é @prissguerrero1 trazendo mais um incrível SEM FOCO para animar a vida de vocês! 

Eu e a @godzillatrevoso tiramos uma noite para bater papo sobre as coisas que estamos passando durante essa quarentena e o assunto principal foi o Alma Sebosa presidente do Brasil, Bolsonaro, que demitiu Henrique Mandetta, Ministro da Saúde apenas por este estar, digamos, fazendo um bom trabalho?

A verdade é que o governo Bolsonaro é o pior que poderia acontecer com esse país numa epidemia: um cara que joga contra tudo o que é científico, que é de bom senso.

Quando gravamos isso, ele já tinha feito algumas carreatas, mas ainda não tinha saído às ruas pedindo um novo AI-5. Para quem não lembra, um AI-5:

 

“O Ato Institucional nº 5, AI-5, baixado em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do general Costa e Silva, foi a expressão mais acabada da ditadura militar brasileira (1964-1985). Vigorou até dezembro de 1978 e produziu um elenco de ações arbitrárias de efeitos duradouros. Definiu o momento mais duro do regime, dando poder de exceção aos governantes para punir arbitrariamente os que fossem inimigos do regime ou como tal considerados. (…)

Fonte: https://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/FatosImagens/AI5

 

“(…) se “um novo AI-5” fosse pedido no Brasil, o presidente Bolsonaro poderia fechar o Congresso e governar o país com plenos poderes, indo contra todas as regras da república. ”

Fonte: https://super.abril.com.br/historia/o-que-foi-o-ai-5/

 

As consequências imediatas do Ato Institucional Número Cinco foram:

  • O Presidente da República recebeu autoridade para fechar o Congresso Nacional e as Assembleias Legislativas dos estados; esse poder foi usado assim que o AI-5 foi assinado, resultando no fechamento do Congresso Nacional e de todas as Assembleias Legislativas dos estados brasileiros (com exceção de São Paulo) por quase um ano; o poder de fechar forçadamente o Congresso Nacional seria novamente usado em 1977, durante a implantação do Pacote de Abril;[8]
  • O Presidente da República e os Governadores dos Estados passaram a assumir, durante os períodos de recesso forçado das legislaturas federais e estaduais, respectivamente, as funções do poder legislativo, impondo ao Presidente e aos Governadores legislar por meio de decretos-leis, que tiveram a mesma força e efeito que as leis aprovadas pelas legislaturas. Esse poder incluiu o poder de legislar emendas constitucionais. Uma emenda constitucional global da Constituição de 1967 do Brasil (já adotada no âmbito do regime militar) foi promulgada em 1969 (Emenda Constitucional nº 1, também conhecida como a Constituição de 1969, porque todo o texto alterado e consolidado da Constituição foi reeditado como parte da emenda), sob a autoridade transferida para o Poder Executivo pelo AI-5;
  • A permissão para o governo federal, sob pretexto de “segurança nacional”, para intervir em estados e municípios, suspendendo as autoridades locais e nomeando interventores federais para dirigir os estados e os municípios;
  • A censura prévia de músicacinemateatro e televisão (uma obra poderia ser censurada até mesmo por motivos vagos, como subversão da moral ou dos bons costumes) e a censura da imprensa e de outros meios de comunicação;[2]
  • A ilegalidade das reuniões políticas não autorizadas pela polícia; houve também diversos toques de recolher em todo o país;
  • A suspensão do habeas corpus por crimes de motivação política;
  • O poder do Presidente da República de destituir sumariamente qualquer funcionário público, incluindo políticos oficialmente eleitos e juízes, se eles fossem subversivos ou não-cooperativos com o regime. Este poder foi amplamente utilizado durante o regime militar para desocupar os assentos dos membros da oposição no poder legislativo, de modo que as eleições fossem realizadas como de costume, mas a composição do legislativo resultante das eleições era dramaticamente alterada pela cassação de mandatos de parlamentares da oposição. Isso efetivamente transformou o Congresso Nacional, as Assembleias Legislativas e as Câmaras de Vereadores em legislaturas subordinadas aos militares. A cassação dos mandatos de parlamentares da oposição também afetou a composição do Colégio Eleitoral do Presidente da República (sob as Constituições de 1967 e 1969, adotadas sob o regime militar, o Presidente era escolhido por um Colégio Eleitoral constituído por todo o Congresso Nacional e de delegados escolhidos pelas Assembleias Estaduais). Assim, não só as eleições para o Poder Executivo foram indiretas, mas as vagas criadas na composição dos órgãos legislativos afetaram a composição do Colégio Eleitoral, que também se tornou subordinado aos militares.
  • O poder do Presidente de decretar a suspensão dos direitos políticos dos cidadãos considerados subversivos, privando-os por até dez anos da capacidade de votação ou de eleição;
  • A legitimidade instantânea de certos tipos de decretos emitidos pelo Presidente, que não foram sujeitos a revisão judicial. De acordo com essas disposições, os Atos Institucionais, e qualquer ação baseada em um Ato Institucional (como um decreto que suspende direitos políticos ou remove alguém do cargo), não estavam sujeitas a revisão judicial.”

 

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ato_Institucional_n.º_5

 

Este podcast é contra qualquer forma de censura e autoritarismo que venha deste ou de qualquer outro presidente.

Nós estamos em quarentena, é chato, é tedioso, ficamos nervosas quando saímos, mas sabemos que precisamos contribuir com as equipes de saúde e demais serviços essenciais, tais como: limpeza, mercados, entregadores, frentistas, motoristas de frete etc.

Lavem as mãos;

Fiquem em casa;

Se preservem, o Bolsonaro quer ver todos nós mortos. Não vamos dar essa alegria para esse miserável.

 

 

Espero que gostem desse programa e se divirtam.

Um abraço para vcs!

Citado nesse programa:

 

Músicas de uso livre da Biblioteca do You Tube:

  • Invitation to the Castle_Ball (trilha da Abertura/Introdução).

 

A vitrine desse episódio foi feita por Priss Guerrero.

Modelos lindas e de olhos expressivos: Priss Guerrero e Tati Godzilla Trevoso.

 

Rock OFF!!!

SEM FOCO 051 – Bolsonaro Atleta da #Covid19 (@semfoco2 #SemFoco)

Rock ON, galera!

Aqui é @prissguerrero1 trazendo mais um incrível SEM FOCO para animar a vida de vocês! 

Eu e a @godzillatrevoso , mais meu amigo Marcos DePeder (@depeder), batemos um papo interessantíssimo sobre a Covid19, as desastrosas medidas do Jair de Brasília, o que os governadores e prefeitos têm feitos, como se prevenir, estaríamos vivendo o cenário previsto pela Guerra Fria de isolamento mundial? Como assim? Ouça o episódio e vc vai descobrir. 

A qualidade do áudio não é a das melhores, tivemos muitos problemas, então, peço que nos desculpem.

O episódio 50 ainda vai sair, não erramos não. É que ele vai ser outra coisa. Aguardem. 

Feed vai ficar bagunçado? Vai! Sem Foco, né gente? Vocês deviam estar acostumados!

E no resultado da Podpesquisa19 ficamos em 1313 na posição geral! 

Muito obrigada a todas as pessoas que nos citaram, ficamos muito felizes.

Espero que gostem desse programa e se divirtam.

Um abraço para vcs!

Citados nesse programa e alguns extras:

Canal do Atila
Canal com todas as Coletivas de Imprensa do Governo do Estado de São Paulo
Instagram do PC Siqueira
Notícias diversas sobre a Covid19:
Coronavírus: Justiça proíbe Bolsonaro de adotar medidas contra isolamento

Pesquisadores de Oxford projetam 478 mil mortes por covid-19 no Brasil

Mapa da Covid19 no Brasil
Cobertura Completa com vídeos do G1
Pronunciamento de Bolsonaro repercute mal
O que os Políticos disseram após o pronunciamento do Bolsonaro
Pronunciamento de Jair Bolsonaro de 24/03/2020

Gráfico elaborado pelo cientista Drew Harris e adaptado pelo biólogo Carl Bergstrom mostra como medidas de prevenção podem retardar o contágio da Covid-19 e evitar o colapso do sistema de saúde — Foto: Carl Bergstrom e Esther Kim/CC BY 2.0 – Fonte: Gráfico Explicativo G1

Músicas de uso livre da Biblioteca do You Tube:

Tidal Waves (trilha da Abertura);
Blues Infusion (trilha da introdução/apresentação);

O Sem Foco agora tem Twitter!! é @semfoco2

A vitrine desse episódio foi feita pela Tati Shade Godzilla Trevoso e Finalizada por Priss Guerrero!

Para finalizar, esse texto que minha amiga Élide compartilhou no Facebook e que está de acordo com os dados até agora e com o que falamos no programa:

“Pra quem está comparando com sarampo, H1N1, dengue etc., Eu digo o seguinte…
Acho que não entenderam..

A quarentena não é só pela saúde, não é só pelo contágio, não é dó pelo número de mortes. Portanto parem de comparar com qualquer doença, ok?

A quarentena é por causa da *VELOCIDADE*!
Nenhuma dessas doenças mataram mais de mil pessoas POR DIA e todo dia!
E a quarentena NÃO É só por causa da quantidade rápida de mortos.

Entendam…
A quarentena é por causa da quantidade de leitos, médicos, equipamentos e remédios!
Se não nos isolarmos, teremos o colapso do atendimento, e pessoas terão que morrer em casa!
Aos milhares.
DIARIAMENTE

Deu pra entender agora?

Acrescento: este vírus é novo, nunca nossos corpos “se encontraram” com ele, portanto ainda não criaram defesas. E não temos nem medicamentos nem vacina para combatê-lo.
E- colapso da estrutura médica é o colapso de um país, e, em efeito dominó, da humanidade.”

E para finalizar:

Ignorem o que diz o Bolsonaro porque:

Ele não é médico para receitar remédios;
Ele não é economista e já disse várias vezes que não entende nada de economia para falar de danos à economia da nação;
Ele sequer tem humanidade, pois para ele tudo bem milhares de pessoas morrerem. 

Pessoas religiosas: rezem das suas casas, economizem o dinheiro do dízimo pq vcs vão precisar dele. Jesus e Deus/Jeová/Shiva/Alah/ETC vão entender. 

Pessoas não religiosas: lembrem as pessoas religiosas do parágrafo anterior e não briguem com elas. Não é hora de ser babaca.

A curva do cuzão

Rock OFF!!!

Sobre Excluir Eleitores de Bolsonaro das Redes Sociais

Rock ON!!!

“Aiinnn não pode excluir a pessoa só pq ela pensa diferente de vc…”
 
Não excluí ninguém por pensar diferente. Excluí por serem fascistas declarados, apoiarem candidato fascista ou passarem pano para fascista.
 
Não vou passar a mão na cabeça de ninguém. Falta de aviso não foi. Passaram cheque em branco? assumam a dívida, protestem com o seu candidato. Vão lá no perfil dele cobrar e não no meu encher o saco ou pedir ajuda.
 
Minha parte social eu fiz: mostrei quem era o cara, sua equipe antes das eleições. Avisei que ele ia tacar fogo nesse país.
 
Todos vão morrer queimados: quem votou, quem não votou, eu inclusa. Só que estou de consciência limpa, tomando uma cerveja vendo vocês pegando fogo a cada paulada que tomarem do seu querido candidato.
Rock OFF

Sem Foco 25 – Ditadura – Entrevista com Dora Guerrero! – Blocos 3 e 4

Rock ON!

Resolvi entrevistar alguém que viveu durante a Ditadura e fazer algumas perguntas para saber como era a tal ‘vida tão boa’ que muitos dizem sentir falta.

Na real, o que essa gente tem é nostalgia, saudosismo da juventude. A parada é que as coisas eram difíceis mesmo, especialmente para gente pobre. E bom, como venho de uma família de pobres, fica aqui o relato da minha querida mamãe, a @doraguerrero.

Esse é apenas o segundo de quatro blocos que gravamos no sábado dia 20/10/2018 enquanto estávamos no Studio Pálio rodando por SP.

Ainda não sei se vou juntar os outros 2 blocos em um só ou soltar separadamente, mas sei que vou tentar jogar na rede antes das eleições.

Agora já sei!! Eu juntei o bloco 3 e 4 para dar esse último episódio!

Espero que gostem, deixem seus comentários e boa sorte para gente, parece que o Coiso vai ganhar mesmo, a não ser que haja um milagre de Natal antecipado.

Quem é Dora Guerrero?

É Pós-graduada em Recursos Humanos e Psicologia Organizacional, trabalhou na Secretaria da Educação. Especialista em Equipamentos e Materiais para Acessibilidade. Hoje está aposentada. Também é Mãe solteira, uma mulher forte, inteligente, sagaz, pau para toda obra, divertida, engraçada, um amor de pessoa. Curte podcasts, filmes nerds, boa música e é a mais velha de 5 irmãos, sendo 3 deles já falecidos. Adora animais, e sempre me educou da melhor maneira que pôde. Também faz uma comida maravilhosa, entre as quais posso destacar: arroz, bolos, tortas e molhos. 😀 Quem conhece a Dona Dora fica encantado, esta, é minha mãe, a melhor pessoa que eu conheço!


As capas desses Sem Foco foram fotos da época da Ditadura. A foto deste Sem Foco é o jornalista, professor e dramaturgo Vladimir Herzog, ‘suicidado’ durante a ditadura. Hoje faz 38 anos que ele foi brutalmente assassinado nos porões do DOI-CODI. Abaixo, pequena extração da Wikipaedia sobre Vladimir Herzog:

 

Vladimir Herzog, nascido Vlado Herzog (OsijekReino da Iugoslávia27 de junho de 1937 — São Paulo25 de outubro de 1975), foi um jornalistaprofessor e dramaturgo brasileiro.

O nome de Vladimir tornou-se central no movimento pela restauração da democracia no país após 1964. Militante do Partido Comunista Brasileiro, foi torturado e assassinado pelo regime militar brasileiro nas instalações do DOI-CODI, no quartel-general do II Exército, no município de São Paulo, após ter se apresentado voluntariamente ao órgão para “prestar esclarecimentos” sobre suas “ligações e atividades criminosas”.

Herzog se formou em Filosofia pela Universidade de São Paulo, em 1959. Depois de formado, trabalhou em importantes órgãos de imprensa no Brasil, como O Estado de S. Paulo. Nessa época, passou a assinar “Vladimir”, em vez de “Vlado”, por acreditar que seu nome verdadeiro soaria um tanto exótico no Brasil.[3] Vladimir também trabalhou por três anos na BBC de Londres.[9]

Na década de 1970, assumiu a direção do departamento de telejornalismo da TV Cultura, de São Paulo. Também foi professor de jornalismo na Escola de Comunicações e Artesda USP. Na mesma época, envolvido com intelectuais do teatro, também atuou como dramaturgo. Em sua maturidade, Vladimir, que foi vinculado do Partido Comunista Brasileiro, passou a atuar politicamente no movimento de resistência contra a ditadura militar.

Para ler o texto completo, acessehttps://pt.wikipedia.org/wiki/Vladimir_Herzog

 

É isso, Rock OFF.

Sem Foco 24 – Ditadura – Entrevista com Dora Guerrero! – Bloco 2

Rock ON!

Resolvi entrevistar alguém que viveu durante a Ditadura e fazer algumas perguntas para saber como era a tal ‘vida tão boa’ que muitos dizem sentir falta.

Na real, o que essa gente tem é nostalgia, saudosismo da juventude. A parada é que as coisas eram difíceis mesmo, especialmente para gente pobre. E bom, como venho de uma família de pobres, fica aqui o relato da minha querida mamãe, a @doraguerrero.

Esse é apenas o segundo de quatro blocos que gravamos no sábado dia 20/10/2018 enquanto estávamos no Studio Pálio rodando por SP.

Ainda não sei se vou juntar os outros 2 blocos em um só ou soltar separadamente, mas sei que vou tentar jogar na rede antes das eleições.

Espero que gostem, deixem seus comentários e boa sorte para gente, parece que o Coiso vai ganhar mesmo, a não ser que haja um milagre de Natal antecipado.

Quem é Dora Guerrero?

É Pós-graduada em Recursos Humanos e Psicologia Organizacional, trabalhou na Secretaria da Educação. Especialista em Equipamentos e Materiais para Acessibilidade. Hoje está aposentada. Também é Mãe solteira, uma mulher forte, inteligente, sagaz, pau para toda obra, divertida, engraçada, um amor de pessoa. Curte podcasts, filmes nerds, boa música e é a mais velha de 5 irmãos, sendo 3 deles já falecidos. Adora animais, e sempre me educou da melhor maneira que pôde. Também faz uma comida maravilhosa, entre as quais posso destacar: arroz, bolos, tortas e molhos. 😀 Quem conhece a Dona Dora fica encantado, esta, é minha mãe, a melhor pessoa que eu conheço!

 

É isso, Rock OFF.

 

Sem Foco 23 – Ditadura – Entrevista com Dora Guerrero! – Bloco 1

 

 

Rock ON!

Resolvi entrevistar alguém que viveu durante a Ditadura e fazer algumas perguntas para saber como era a tal ‘vida tão boa’ que muitos dizem sentir falta.

Na real, o que essa gente tem é nostalgia, saudosismo da juventude. A parada é que as coisas eram difíceis mesmo, especialmente para gente pobre. E bom, como venho de uma família de pobres, fica aqui o relato da minha querida mamãe, a @doraguerrero.

Esse é apenas o primeiro de quatro blocos que gravamos no sábado dia 20/10/2018 enquanto estávamos no Studio Pálio rodando por SP.

Ainda não sei se vou juntar os outros 3 blocos em um só ou soltar separadamente, mas sei que vou tentar jogar na rede antes das eleições.

Espero que gostem, deixem seus comentários e boa sorte para gente, parece que o Coiso vai ganhar mesmo, a não ser que haja um milagre de Natal antecipado.

Quem é Dora Guerrero?

É Pós-graduada em Recursos Humanos e Psicologia Organizacional, trabalhou na Secretaria da Educação. Especialista em Equipamentos e Materiais para Acessibilidade. Hoje está aposentada. Também é Mãe solteira, uma mulher forte, inteligente, sagaz, pau para toda obra, divertida, engraçada, um amor de pessoa. Curte podcasts, filmes nerds, boa música e é a mais velha de 5 irmãos, sendo 3 deles já falecidos. Adora animais, e sempre me educou da melhor maneira que pôde. Também faz uma comida maravilhosa, entre as quais posso destacar: arroz, bolos, tortas e molhos. 😀 Quem conhece a Dona Dora fica encantado, esta, é minha mãe, a melhor pessoa que eu conheço!

 

É isso, Rock OFF.

 

 

 

Sobre Bolsonaro e porque #ELENÃO

Estou cansada. Hoje um amigo me fez uma pergunta no Facebook e respondi lá. Só que decidi colocar o texto aqui também, como registro. Talvez outras pessoas queiram ler. Não sei. Bom, fica como meu desabafo.

 

Rafael: Será mesmo que teremos chance de expressar no voto? Afinal de contas o PT é um dos maiores apoiadores da Venezuela, fora as outras ditaduras como a Nicarágua e Angola… E com o plano de governo deles que entre outras coisas prevê regulariza da mídia (pode consultar lá no plano oficial deles) também não ficaremos tão longe assim da ditadura.

Rafael: Em tempos acho que você me conhece suficientemente bem para saber que não sou alienado, nem dormia nas aulas.

Minha resposta:
Rafa, seguinte, estudamos numa faculdade criada pelo PT, o partido que se quisesse ter feito uma ditadura, teria feito, ou então falhou miseravelmente, pq ficou tanto tempo no poder e não o fez, pelo contrário, o país cresceu, o FMI foi pago. Também não perseguiu minorias, pelo contrário, deu direitos a cidadãos que, apesar de pagar seus impostos, como eu e vc, eram considerados como pessoas inferiores.

O que torna ditaduras monstruosas são pensamentos racistas, xenófobos, opressores e de extermínio do próximo. Sabe, Rafa, minha mãe me criou sozinha. Ela é solteira. Tenho orgulho dela e da família que ela forma comigo. MAS aos olhos do candidato Bolsonaro, eu não sou uma família. Aos olhos do PT, minha mãe poderia, se eu fosse criancinha, ter uma bolsa auxílio ou se ela quisesse, ter acesso ao programa Minha casa minha vida. Um governo PT que me permitiu trabalhar e comprar um carro a vista, mesmo sem ter dinheiro.

O PT, apesar das mazelas, fez com que eu, no alto dos meus 30 anos, conseguisse entrar numa faculdade pública e concluísse o curso. Mesmo sem cotas para mim, mas muitos colegas nossos, conseguiram cursar, por causa dessas cotas. Sabe, Rafa, quando um cara como Bolsonaro fala em vídeo de campanha que as Minorias vão ter que se submeter às maiorias, sabe o que eu penso? Nos discursos de Hitler, Mussoline, Pinochet e na própria Ditadura Civil-Militar que houve no país e que agora bate à nossa porta. Eu sempre votei em partidos mais centrais e confesso que do PT eu gostava apenas do Suplicy.

O Haddad, quando prefeito, eu critiquei horrores, mas sabe qual é a graça da democracia? Eu poder falar que o prefeito tá com uma prefeitura ruim e não ser presa por isso e nem minha família, morta ou perseguida.

A graça da democracia é eu poder votar, mesmo não gostando, pq odeio ir ao colégio onde estudei e sofri uma perseguição fudida quando era criança, pq adivinhe, eu não tinha pai e isso era um padrão nos anos 80: família tinha que ter pai, mãe e filho. Note: filhO. Então na minha conta, bota aí que eu me fudia pq era meninA e filha de mãe solteira. Daí veio os anos 90 e os 2000 e a coisa se abriu, de tal modo, que eu não precisava mais esconder nada disso e podia assumir que eu não tinha pai, sabe pq?

Pq isso, socialmente, não era mais um demérito. Hoje eu vejo isso voltando. Se eu fosse negra, estaria mais na merda ainda. Tenho sorte? Uma pinóia. E meus amigos negros? Meus amigos LGBT+? O que será deles num governo Bolsonaro? O que será de mim, Rafa? Hoje no estacionamento do Extra, um bolsominion me deu ‘tirinhos de pistola com os dedos’. Motivo: eu não pareço uma menina, não é mesmo? Eu estava de chapéu.

Ele me tirou como uma Pessoa LGBT+ e se achou no dever de me ameaçar. Estou horrível por isso, pq penso nos meus amigos LGBT+, em como eles estão sofrendo e com medo. Por isso, mais do que partidarismo, saca? Para não ficar refém do Bolsonaro, pq um Impeachman dele, assume o Vice, Mourão, que disse recentemente que o neto é bonito pq é branco. Que tentou dar um golpe enquanto o bozo tava no hospital.

Eu não quero ser refém dessa gente. Isso não é cristão. Veja bem, eu sou ateia. MAS o que eu sempre ouvi de cristo é que ele perdoava, que acolhia os desvalidos e que não tinha ódio de ninguém e até mesmo na morte, pediu perdão até para aqueles que o estavam ferindo. E poxa, será que eu, uma droga de ateia, entendo a mensagem de cristo e tantos cristãos não entendem? Como conseguem dormir à noite e ficar de corações limpos pensando que LGBT+, negro e pobre tem que morrer? Explica isso.

Pq não me cabe na cabeça e nem no coração, que o discurso de ódio está avançando a passos largos e estamos retrocedendo tanto. E veja bem, Rafa, gastei essas linhas pq te considero muito e acredito que vai entender, pq vc pediu uma explicação.

E não acho que com Haddad vai virar Venezuela, Nicaragua ou Angola. Eu não confio em gente que explora o pobre, que usa uma religião e seus crentes como arma, que se coloca como ídolo e pratica a idolatria e o culto à pessoa. E vc pode botar o Lula nessa conta tbm, só que apesar disso, o Lula não mandou seus partidários matarem tucanos, e Nem FHC fez o mesmo quando tava para perder as eleições. Veja quem se diz cristão, mas faz justamente o oposto. Um forte abraço, Rafa.

Eu sou mulher, ateia, vivi um pedaço da ditadura, no finalzinho, mas vivi, sou de família pobre e não quero perder os direitos que tantos morreram para que eu os tivesse. E muito menos que meus amigos morram por causa de um desvairado maluco, que se coloca como herói da Nação, como salvador da pátria. E que cria notícias falsas para se sustentar na mídia, que cria empresa fantasma, que sonega impostos, que custou mais de 50 milhões de reais em 30 anos de vida política do rio de janeiro e que a única coisa que fez, foi votar para si um aumento de salário e propor uma lei que impede que mulheres que foram estupradas de terem socorro. Não quero um cara assim no governo.

Bom, é isso.

%d blogueiros gostam disto: