Kaomoji!!!

ROCK ON!      ᕕʕ ‘• ᴥ • ‘ʔᕗ

Olá leitores! Aqui quem fala é o Lucas Balaminut, diretamente da gringolândia.

Recentemente, entrei pro mestrado em uma faculdade americana. Aeeeeew! Todo mundo comemorando por mim:
♪ └(☆o★)┐ ♪  ┌(★o☆)┘ ♪ └(★o☆)┐ ♪

Pra minha surpresa, a grande maioria dos meus colegas de mestrado são… chinesas! (ノ゚0゚)ノ

Não simplesmente chineses, mas chinesas, totalizando 127 dos 145 alunos do meu programa. Visto que são maioria esmagadora, eu tive que mudar meus meios comunicativos pra poder alcançá-las quando necessário.

Se não pode vencê-las, una-se a elas! High five: ♪ヽ( ⌒o⌒)人(⌒-⌒ )v ♪

Os chineses usam um app chamado WeChat, que mistura as ferramentas do Whatsapp com a timeline do Twitter e o sistema de fotos do Instagram. Um verdadeiro balaio de gato, mas que funciona muito bem (e tem uma versão desktop decente). Porém, tanto nos grupos de conversa quanto nas conversas individuais, eu não consigo entender o que as chinesas estão dizendo. Fui surpreendido mais uma vez: isso não acontece por causa do Inglês delas, que é muito bom, mas sim por causa dos emojis, principalmente os terríveis kaomojis. (@[email protected])

Pra quem não sabe, este último é uma modalidade de emoji que usa vários caracteres para se expressar, em vez de poucos como xD ou de imagens pequenas. Eu espalhei vários nesse texto pois… que maneira melhor de ilustrar o conceito?

Veja esta lista enorme de kaomojis.

Eles não seriam problema se fossem usados apenas no início ou no final de uma conversa. Porém, as chinesas insistem em usá-los no lugar de palavras. Em vez de:

“Não entendi o exercício do professor, fiquei brava!”

Eu tenho que lidar com:

“Não entendi o _〆(。。) do (´⊙ω⊙`), fiqueiヽ(≧Д≦)ノ !”

Agora imagine um textão só disso! Profissionalismo: Onde vive? Como se comporta? Do que se alimenta? Como se reproduz? Hoje, no Globo Repórter.

Aliás, eu percebi que elas criam um kaomoji específico pra cada pessoa, como se fosse um apelido, um substantivo próprio. Sempre que se referem a este professor específico, usam (´⊙ω⊙`).
E claro, eu não escaparia dessa: \ʕ ‘• ᴥ • ‘ʔ/

Pra elas que são adéptas da cultura dos kaomojis, não faz diferença, mas pra quem não tem experiência com esse contexto, eles atrapalham a mensagem. O que era pra facilitar e simplificar, virou expressão cultural, cresceu, e agora dificulta e complica tanto a escrita (codificação) quanto a leitura (decodificação).

Se você é um amante de kaomoji e já está com tochas e forcados preparados, entenda que eu também gosto deles, mas dentro do limite do bom senso né. ๏[-ิ_•ิ]๏

Diante deste problema, gostaria de recomendar este excelente texto do Manual do Mundo sobre o assunto: As fronteiras da linguagem minimalista.

Fica a dica, e boa leitura!

ROCK OFF!

%d blogueiros gostam disto: