Ano: 2015

#007 – Alterando as Cores com o Photoshop!!

 

Rock ON!!!

Este post deveria ter saído na terça-feira dia 15 de dezembro, mas por infortúnios do meu extremo cansaço de trabalhar durante a semana, só hoje, sabadão, posso fazer o post e será bem rapidinho.

 

Neste vídeo maneiro e curtinho que fiz, tem alguns atalhos que podem ajudar vocês e passam muito rápido durante a exibição do mesmo.

Vamos ao vídeo e depois aos atalhos e uma breve descrição:

 

 

 

CTRL + L = Levels, ferramenta para ajuste de cores, onde você é apresentado a um gráfico e pode mover os pequenos triângulos abaixo dele para deixar as cores mais vívidas, apagadas, mexer em alguns canais de cores.

O output levels, que é a barra em degradê de preto para branco, ajusta o ‘contraste’/’brilho’/’intensidade’  das tonalidades. (com aspas).

CTRL + M = Curves, ferramenta que aparece uma linha na diagonal, você clica sobre ela e vai gerando as curvas de cor. Faz quase a mesma coisa que os levels. Não gosto muito dela, porque a considero imprecisa, pois vc tem que ficar puxando para lá e para cá os pontos na curva. Daí vc arruma uma coisa, destrói outra.

IMAGE -> MODE -> GRAYSCALE = Tons de cinza. Aqui é um modo de cor, onde você deixa a imagem em tons de cinza. Precisa ter muito cuidado com essa ferramenta, porque quando você tem camadas, ele deixa TODAS as camadas em tons de cinza e isso é um saco se você quer apenas uma imagem em tons de cinza. Outra coisa que ele pode fazer é comprimir as camadas existentes, para uma só em tons de cinza. Daí você perde tudo o que fez. Então muito cuidado com o Grayscale. Use com sabedoria.

CTRL + U = Hue/Saturation, ferramenta que ajusta cores e também pode fazer colorização de alguns canais de cores. Tem 3 barras de ajuste: Hue, Saturation e Lightness.

  • Hue = tonalidade da cor.
  • Saturation = intensidade da cor.
  • Lightness = brilho da cor.

Cada uma dessas barras tem um seletor, que você vai arrastando para esquerda ou direita  e daí ajusta o grau do que quer modificar (no vídeo isso fica claro, então, assista-o!).

Tem a caixa de Colorize, que você clica e troca a cor da imagem toda. Ele não vai mexer com os canais individuais, vai mexer com todos de uma vez e isso é confuso de explicar. Pratique que você vai entender.

A caixa Preview mostra para você as mudanças na imagem. Deixe sempre marcada, vai facilitar sua vida.

Lá em Preset, a primeira opção, você tem alguns modos de cores pré-definidos, são como aqueles filtros do ‘Instagram’, que modificam as cores da imagem para um padrão conhecido, como Sépia, por exemplo, que dá um ar de foto velha para as imagens, fica meio amarelado. Vale a pena explorar este recurso.

Abaixo, um exemplo:

Bom, pessoal, é isto que eu precisava deixar como complemento.

Novamente peço desculpas pela demora na postagem, mas estou trabalhando demais e chegando de cabeça cheia.

Como meu cardiologista mandou eu não me estressar, tenho procurado formas de me distrair para não enfartar.

Um beijo para todos e ajudem a divulgar o canal e os vídeos.

 

Abaixo, todos as imagens dos ursinhos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Rock OFF!!!!

Boas festas se eu não conseguir postar mais nada. eheheh

 

 

 

FINAL DISASTER: show ao lado de Hazy e Enemies of Reality!!!!!!

Rock ON!!!!

Sei que estou devendo o complemento do último vídeo, mas essa notícia é novinha e fresquinha!!!
Segurem seus chapéus mais um pouco!

—-

Promo Final Disaster
Após o lançamento de seu novo single, Finis Hominis, a banda Final Disaster irá tocar esse domingo, dia 20/12 como atração do Behold Metal Fest juntamente com as bandas Hazy e Enemies Of Reality em São Paulo no espaço Som, a partir das 18h.
Os ingressos antecipados podem ser adquiridos através do site http://www.eventick.com.br/behold-metal-fest-hazy-enemies

O show contará com participações especiais surpresa e um novo set que a banda irá apresentar.

Para credenciamento de imprensa, favor enviar nome e RG até 18/12 em resposta a esse email.

Link Para o single Finis Hominis: https://www.youtube.com/watch?v=vB-U6ysgxRo
Facebook: https://www.facebook.com/FinalDisaster
Instagram: @finaldisasterofficial

A banda está disponível para entrevistas por e-mail e/ou pessoalmente.

IMG-20151214-WA0006
Confiram o clipe:

É isso aí, pessoal!

Rock OFF!!!

Adeus, Nokia Lumia 920!!! :(

ROCK ON!!!

Este é um daqueles posts que vocês amam: quando eu me ferro de algum jeito.

Pois bem, hoje meu Nokia Lumia 920 caiu de uma altura ridícula, cerca de 40cm, virado com a tela para cima e o choque foi o suficiente para estilhaçar a tela. Pronto. Em menos de 3s, meu querido smartphone se foi.

Ele chegou em janeiro de 2014 e mesmo hoje, até o momento da quebra, estava atual, cheirando a novo, com todas as atualizações oferecidas pela Microsoft que vocês tanto insistem em xingar. Ok, não todos, mas alguns ainda são bobos para fazer isso, se iludindo com seus Androids que travam.

Foi um bom período com esse aparelho e agora preciso garimpar um novo.
E pensei que ia ter tempo de fazer isso, esperar as promoções de janeiro, mas eis que leio este artigo do Meiobit, escrito pelo Ronaldo Gogogoni e agora tenho que correr com isso!!!

Enfim, eu me ferrei novamente.

Se não bastasse isso, acho que torci o tornozelo também, porque está doendo bastante.


UPDATE: 06/12/15

Fiz este vídeo hoje pela manhã, mas só consegui subir agora de madrugada. Aqui dá para ter uma ideia de como está o aparelho e como é minha voz quando eu acordo.

E se você não tiver paciência para ver o vídeo, aqui estão imagens de como ficou o aparelho.
O ponto vermelho indica a área morta, isto é, que não funciona mais no aparelho:

Rock OFF!!!

Cinco Bandas Que Não Mostram o Rosto!!

Rock ON!!!

Hoje vou mostrar 5 bandas que se apresentam sem mostrar o rosto!!! Você vai pirar com isso!!!

Avaruuden autokorjaamo – Hevisaurus

Os Hevisaurus!!! Uma banda finlandesa, voltada para o público infantil, com um metal pulsante e pesado para ensinar a criançada a lavar as mãos, escovar os dentes, entre outras coisas. Que Barney Roxo que nada, o legal mesmo são os Hevisaurus!!!

Outro, para vc curtir o visual e o idioma da Finlândia!!!

Devil is a Loser – Lordi

Outra banda finlandesa, os caras usam máscaras de monstros e o som é pesadão!!! Os clipes são verdadeiros mini-filmes de terror, mas suas canções em geral tratam de temas românticos. Vai entender, né?

O que importa é que são muito legais!

Outra deles para vocês curtirem. Gosto do peso dessa:

Forever – Kiss

Ah, vá??? Jura??? Dispensa apresentações?? Dispensa, os caras são demais! E o Kiss é para sempre! Forever!!!

Sei que Forever é bem melosinha, então vamos agitar com Detroit Rock City:

Clint Eastwood – Gorillaz

Não sei o rosto deles. É uma animação. Se você souber como eles são de verdade, poste aí nos comentários e me ajude a desvendar este mistério!!!

Gosto muito dessa daqui, lembro que via o clipe e gostava muito da animação:

Sangue Latino – Secos e Molhados – (Sugestão do Reuel Almeida.)

E diretamente das terras brasileiras, essa banda muito louca!!!

E vamos animar mais essa bagaça com O VIRA!!!! Quem nunca cantou isso???

SECOS-E-MOLHADOS-2
Secos e Molhados
E é isso, pessoal! Espero que gostem!!!

Rock OFF!!!

Cinco Músicas Com Gritinhos!!

Rock ON!!!

Galera, resolvi reunir para vocês 5 músicas com gritinhos no meio da letra, mas que são muito legais!!!

Segurem seus chapéus e aumentem o som!!!!

Dream ON – Versão Aerosmith

The Show Must Go On – Queen

Shop Suey – System of Down

Sympathy for The Devil – Rolling Stones

Preparem-se para 13min de gritinhos!!! (sugestão do Henrique)

Whole Lotta Love – Led Zeppelin

E é isso, pessoal, espero que tenham gostado!

Led Zeppelin in Concert
Photograph: Neal Preston/Corbis

E se tiver alguma sugestão, deixe nos comentários! Quero ver!

Rock OFF!!!

Stormtroopers são ruins de…

Rock ON!!!

Tirem suas próprias conclusões!!!

Fiquei com pena dele.

Posted by Nerdice on Monday, November 23, 2015

Coitado, né???
Ainda bem que estava de armadura completa! Protegeu mesmo… por outro lado, ele pode ter caído por causa dela… ah, deixa para lá, vou ver o vídeo mais uma vez… e mais outra e mais outra….

Rock OFF!!

#006 – Treinando o ‘Mascarando’ com o Photoshop!!!

Rock ON!!!

Olá, pessoal, primeiro quero agradecer as mais de 400 visualizações que atingi com esse vídeo, sério, vocês são demais e me deixaram muito contente, valeu a pena a semana de altos e baixos para gravar a voz e todos os contratempos que tive para deixar o vídeo pronto! – Ps.: No momento que escrevo, são 416 views, 15 likes e 0 dislikes.

capaibere

Agora, conforme prometido, vou deixar aqui alguns dos comandos que usei durante o exercício.
Primeiro vejam o vídeo.

No vídeo eu falo em Smart Object e rasterizar diversas vezes, notou? Mas o que é isso? Para que serve? O que come? Não percam nesta sexta, no G… ops! Volta para realidade, Priscila!

Bom, Converter a layer (camada) para Smart Object permite que você possa mexer na escala da mesma sem estourar os pixels. A grosso modo, você pode esticar ou diminuir uma imagem sem destruí-la.

Mas se estiver com Smart Object, não poderá fazer quase mais nada além de mexer na escala e rotação da imagem! Para poder editá-la normalmente depois, você precisa usar o Rasterize, apelidado carinhosamente de ‘rasterizar’.

Por isso a gente transforma em Smart Object, altera algo e rasteriza para continuar usando.

Em um dado momento, opto por não usar o Smart Object, porque as mudanças eram tão mínimas que não valeria a pena, para o propósito do exercício, então ajustei a imagem normalmente.

Para aumentar ou diminuir uma imagem, a gente mexe nas alças criadas quando usamos a Move Tool (V), você clica, puxa, estica, solta e enrola… ops! outro devaneio, desculpem!

Enfim, depois de pronto, de deixar do tamanho que quer, precisa aplicar a transformação, para isso, bata um Enter. Sim. Só isso. Para desfazer, use o clássico CTRL+Z; se quiser mais um desfazer, use CTRL+ALT+Z. Fácil.

Outra coisa que mexi, foi na opacidade da imagem. Opacity, fica lá perto dos layers. Só arrastar o ponteiro para a esquerda. Com isso eu consegui ver a imagem do Cauê sobreposta na do Iberê. Fiz isso várias vezes também.

A parte de usar pinceis e toda a explicação, você vai achar no vídeo #005, que já deve ter visto. Aliás, se não viu, assista agora: frase1

frase

ibere1

Reparem que deixei muitos restos do fundo da imagem, olhem essas partes brancas na barba. O legal é sumir com isso, mas no começo é difícil e só com treino você remove melhor essas falhas.

ibere2
Esta daqui está um pouco melhor. Mesmo assim, se você olhar direito, achará falhas.

Curiosidades: levei 30min para fazer as duas montagens. Com o dobro de tempo, o capricho seria maior. Levei 2h para cortar o vídeo e 1 semana para gravar todos os sons. XD

 

Bom, é isso pessoal, por favor, deixem os comentários, dúvidas, sugestões de próximos temas e o que você não gostou no vídeo!

Rock OFF!!!

E Agora Veganchatos??

Rock ON!!!

Notem que o título se refere aos veganchatos,não aos veganos que são pessoas legais e tenho até amigos veganos. Veganchato é o cara que insiste em meter a colher no que você come, te critica, dizendo que os animais sofrem, que você não deve comer carne e toda a sorte de blá-blá-blá inútil.

Isso é um veganchato e para eles, dedico esse vídeo que acabei de ver lá no facebook.

Já que vocês insistem em esquecer que vegetais também são seres vivos, enfim, segue para conhecimento essa pequena cena de algum anime japonês muito doido (pq tem que ser insano para bolar um roteiro desse):

'0'

Posted by WTF JAPAO on Saturday, November 21, 2015

Para me xingar, usem os comentários abaixo. É o único meio. OU ainda, compartilhem o post para que a irmandade veganchata veja o que publiquei e se emputeça também! Desafio vocês! MUahahahahah

Rock OFF!!!

Massacre de Paris!!!!

rock on.

Nesta sexta-feira 13 de 2015, um grupo terrorista iniciou uma série de ataques em Paris que culminaram na morte de mais de 100 pessoas que no momento estavam curtindo um show, um jogo de futebol, enfim, levando suas vidas normalmente.

Suas vidas foram interrompidas, o caos se instalou na cidade. O mundo assistiu atônito, acompanhando cada informação nova, o drama dos reféns no Bataclan, uma casa de shows que no momento estava lotada e cujos frequentadores foram friamente assassinados simplesmente por estarem alí. Uma das pessoas lá dentro conseguiu mandar mensagens pelas redes sociais implorando pela entrada abrupta da polícia porque os terroristas estavam matando a esmo.

Alguns homens-bomba também fizeram seus ataques, houveram explosões, tiroteios e violências em geral. Terror. Não importava alí quem era homem, mulher, criança, idoso ou orientações sexuais ou cor ou nacionalidades. Simplesmente se você estava vivo naquele momento, correu o risco de ser morto por um terrorista. Um maluco com uma arma na mão. Só pelo fato de estar vivo.

Pararam para pensar? Você sai para ir ao estádio, ao barzinho, ao show. Aparece um maluco na sua frente e simplesmente abre fogo contra você, seus amigos e sem dizer uma palavra, sem você saber porque, sua vida se esvai, a vida de seus amigos acaba.

Um dos terroristas abriu fogo assim. Sem emitir um som, sem um grito de guerra, abriu fogo e matou pessoas, friamente, sem sentimento algum. Um robô de carne removendo vidas.

O Terror tomou conta dessa noite em Paris e do mundo. Várias ações orquestradas e praticamente simultâneas. E esse terror não ficará somente para esta noite, esta semana. A ferida aberta no mundo será maior que esse período.

Pelas redes sociais falava-se em 3ª Guerra Mundial. Não descarto isso. Presidentes dos Estados Unidos e Rússia se pronunciaram. EUA já reforçou a segurança em suas cidades. A Rússia havia sido ameaçada há alguns dias e prometeu revidar.

E mesmo diante desse horror todo, houve quem desprezasse isso, como se fosse nada, sabe? Pessoinha vil da internet, que se achou melhor que todos os que morreram lá em Paris, que todos os parentes que ficaram com a dor e falou merda nas redes sociais. Juro que fiquei enraivecida com isso. Como a pessoa pode ser tão insensível? Sem alma, sem empatia, sem o mínimo tato, apenas olhar pro seu próprio umbigo? COMO, dona moçoila? Não vou por seu nome aqui, quem viu e ler esse texto vai saber. Não quero o Rock Me ON manchado com um nome estúpido desses.

Outra coisa que vi, foram pessoas diminuindo o caso em Paris, como se fosse uma piada, ou ainda, comparando com a tragédia de Mariana-MG. Não dá para comparar tragédias. O caso de Mariana-MG foi terrível sim, do mesmo modo que em Paris. Não é hora de comparar e aqui deixo as palavras da Sigryd Bagon:

Não é pq vc se solidariza com a dor de alguém de outro continente que vc está se lixando para a dor dos seus conterrâneos… Parem de ser idiotas!
É por conta desse egoísmo de achar que a “sua” dor é mais importante que a dos outros que o mundo tá na merda…
Tivemos tragédias no mundo inteiro por esses dias, TODAS merecem atenção….
Parem de criticar sem saber se a pessoa tem parente, amigo ou qq coisa na França, Japão e por aí vai…. Ou seja, parem de ser egoístas!
Bagon, Sigrid

Antes que reclamem, não fiz um texto sobre Mariana-MG ainda porque não tive tempo e não consegui ler o suficiente para poder me expressar.

paris
Mas vi também muita gente preocupada, torcendo para que acabasse logo esse massacre tão horrível e isso me deixou menos angustiada. As notícias vinham logo e uma mais aterradora que outra.

Hoje vejo reverberar a tragédia. Espero que isso acabe logo, que a vida volte a normalidade, mas sei que não vai. O terror quando instalado não sai com facilidade. Quando eu era pequena, lá na década de 80, tinha medo que o mundo terminasse num apertar de botão. Sei que isso soa ridículo para muitos de vocês, mas cresci com uma ameaça chamada Guerra Fria, onde o mundo polarizado me causava medo. Ora os soviéticos podiam explodir tudo, ora poderiam ser os norte-americanos. Felizmente não explodiram e eu pude crescer e ver a década de 90, aos poucos esquecer esse medo e as pessoas que cresceram nessa época não fazem ideia desse medo e devem estar rindo de mim. Pois bem, ontem, assim como em 11 de setembro de 2001, quando do atentado às Torres Gêmeas do World Trade Center, senti o mesmo medo voltando. Estava lá, guardadinho, mas voltou.

Agora a polarização não é mais soviéticos vs americanos. É terroristas vs ‘resto do mundo’. E o resto do mundo somos nós. Sim, nós aqui no Brasil, somos o resto do mundo. Surpreso? Se explodir uma 3ª Guerra Mundial, não tenha dúvida que iremos participar. Seja no front, seja fornecendo serviços, suprimentos, abrigando refugiados ou quebrando mais ainda economicamente. Não sou otimista mesmo. Desculpem se queriam ler algo mais ameno, não dá.

Esse massacre em Paris e as ameaças a outras cidades, vão gerar consequências sérias. Aliás, já geraram: fronteiras fechadas, restrições aos refugiados, islamofobia, sendo que nem todo seguidor do islam é terrorista.

Sim, NEM TODO ISLÂMICO É TERRORISTA. E muitos verdadeiros islâmicos estão solidários aos franceses e postando fotos e textos em solidariedade às vítimas.

Eu falo aqui em terroristas. São causadores do terror pelo terror. Dizem ter uma motivação religiosa. Mas, na boa, não é religião isso, é fanatismo e deve ser combatido.

Faz tempo que os terroristas causam esse terror, destroem vidas por aí, patrimônios históricos. Já chega. Chega desse terror, já passou da hora de planejar e executar os cabeças e desfazer essa organização.

Os muçulmanos bons não podem levar esse estigma. Mais pessoas não devem morrer por isso. Já tem muito sangue espalhado por aí.

Torço pelas pessoas de Paris. Não vou rezar porque não acredito que haja um deus. Se houvesse um deus e bom, como pregam, não tinha tanta merda no mundo acontecendo. Se você discorda de mim, não me venha dar sermões. Não venha me convencer que estou errada. Você vai perder seu tempo.

Deixarei aqui uns materiais interessantes para vocês, pois em meu texto não quis tratar questões históricas, foi um desabafo meu, caso não tenham notado. Então, vou deixar um texto do site Xadrez Verbal e um vídeo do @pirulla25.

Texto do Xadrez Verbal:

O Pensamento Vil e os Acontecimentos na França
http://xadrezverbal.com/2015/11/13/o-pensamento-vil-e-os-acontecimentos-na-franca/

O áudio do vídeo está chiado mesmo, mas dá para assistir.

—-UPDATE 15/11/15—-

O Xadrez verbal soltou vídeo novo ontem e deixarei linkado aqui:

O @pirulla25 soltou vídeo novo hoje e vou deixar aqui. Ele também indicou outro vídeo, em espanhol, sobre a questão na região, é bem didático e fácil de entender. Sempre que sair algo novo e relevante, farei update aqui, então, fiquem ligados.

Vídeo do Canal do Pirulla:

Vídeo indicado pelo Pirulla:

—-UPDATE 16/11/15—-

No domingo o Ivan Mizanzuk (@mizanzuk) do @Anticast fez um debate com o @XadrezVerbal, os teólogos Alexandre Milhoranza e Alexander Stahlhoefer sobre a situação na região onde o ISIS se instalou e está se espalhando. O papo ficou muito legal e recomendo que ouçam, porque vai tirar muitas dúvidas mesmo!

http://www.b9.com.br/61826/podcasts/anticast/anticast-urgente-06-atentados-em-paris-isis-e-isla/

Bom, é isso.

rock off.

Beowulf!!!!

Rock ON!!!

Piadinha idiota com o Beowulf, porque adoro o filme, estou curtindo o game para psp. Sim, se você não sabia, há um jogo do Beowulf, muito gostosinho de jogar, no PSP.

beowulf_luxuria

Rock OFF!

#005 – ‘Mascarando’ no Photoshop!!!

Rock ON!!!

Galera, demorou mas saiu o vídeo 5 do canal. Esse deu um trabalhinho extra porque além de um pouco longo, chegou a 10min e uns quebrados, ainda incluiu uma vinheta de abertura, que será a vinheta para os vídeos daqui para frente (Eeehhhhh!!! Mãozinha pro alto comemorando!) e áudio,  sim, minha voz de criança dos anos 80 do interiorrrrrr de São Paulo!

Será que você é forte o suficiente para ouvir tudo até o final? Será que é cabra da peste o suficiente para se inscrever no canal e me dar o seu joinha??? Será que você é Badass para caramba ao ponto de compartilhar com os amigos e amigas???

Bom, espero que sim.

 

 

Atalhos do Photoshop:

CTRL+L = abre o modo de edição de Levels de cores, isso serve para você ajustar as cores.

CTRL+M = abre o modo de edição de Curvas de cores, também serve para ajuste de cores, no vídeo eu cito, mas não uso.

CTRL+i = serve para inverter uma seleção. Imagine a bandeira do Japão. Eu seleciono o círculo vermelho. Se eu inverter a seleção, o que ficará selecionado será a área branca da bandeira e não o círculo, entendeu?

B = Brush = pincel, isso ativa a ferramenta  pincel.

L = Lasso Tool, isso ativa a ferramenta laço.

X = alterna o seletor de cores entre cor de frente e cor de fundo.

Menu Filter / Blur / Gaussian Blur = serve para deixar a Tardis esfumaçada, borrada.

H = Hand = ferramenta mão, serve para movimentar a imagem, fiz isso várias vezes durante o vídeo.

V = Mover = serve para mover as imagens dentro da cena.

Z = Zoom = serve para ampliar ou reduzir a visualização da imagem.

T = Text = ferramenta para fazer texto, escrever um texto.

M = Retangular Marquee Tool = ferramenta de seleção retangular, usei para fazer a borda da imagem final.

Lasso Tool – Eu fiz uma bagunça no vídeo:

No vídeo eu faço sobre laço magnético. Eu estava doida, usei o Polygonal Lasso e o Lasso Tool. Notem que laço é em português e Lasso é em inglês e nome da ferramenta. Bom, entenderam? Nem usei o magnético, ele existe, e funciona se encostando nas imagens a serem ‘laçadas’, como se tivesse um imã que as atraísse.

O Lasso Tool é um laço livre, eu vou riscando para fazer a seleção do formato que eu quiser e o Polygonal, faço linhas retas e foi usado para selecionar a Tardis, porque afinal, ela é reta!

Cadeado nas Layers: Serve para trancar as layers, que são camadas de imagem e evitar que eu faça bobagens onde não quero. No vídeo eu travo e destravo os cadeados várias vezes.

Bom, o resultado final é a imagem abaixo:

lucas-final

Bom, espero que tenham gostado, se inscrevam no canal, deixem um comentário e compartilhem por aí!

Se tiver alguma dúvida, sugestão de vídeo, postem aí, se eu souber como fazer, atenderei. Aproveitem enquanto é grátis!!!

Agradeço ao Lucas Balaminut por liberar as fotos e à Nilda Alcarinquë por me explicar o funcionamento da Tardis!

Rock OFF!!

 

 

SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI N º 5.069, DE 2013

Rock ON.

O assunto é sério, muito sério e por isso não tem exclamações na chamada.

Isto passou pela CCJ, a “Comissão de Constituição e Justiça” e agora segue para aprovação na Câmara dos Deputados e sinceramente, tomara que não passe, pois se isto acontecer, caso você, amiga leitora ou mesmo o amigo leitor que tenha algum ser do sexo feminino em seu círculo de convivência, vocês, meus caros, agora, em caso de estupro ou qualquer violência que leve a uma gravidez indesejada ou mesmo, uma gravidez de risco, você não terá mais direito de interromper essa gestação. É isso mesmo. Você se fer-rou! sim, isso aí, estou sendo direta, reta.

 

O artigo todo está aqui: http://www2.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=B9C94B89D092825E08192AF42999B2B0.proposicoesWeb2?codteor=1402444&filename=Parecer-CCJC-21-10-2015

 

E vou destacar isto aqui:

aborto

Sabe o que isso significa? Que sequer você poderá tomar conhecimento de meio abortivo. Sim, isso aí, na cara dura é mesmo, fazer uma propaganda, falar sobre o assunto é proibido, sujeito a penalidade e para piorar, se você tiver a instrução para esse tipo de alerta, digamos, você também tem que ficar calado, em silêncio. A informação morre contigo ou você vai preso.

Cara, que ódio de ler isso, que nojo e que asco.

Não basta o estupro, a violência de ter algo em você que não quer, que não deveria estar lá, você sequer será amparada por lei. Você sequer terá o direito de conhecer algo que te impeça de levar isto adiante. Você está abandonada pelo Estado.

Isso vem da bancada religiosa, que sinceramente nem deveria existir uma, afinal, Estado e Religião quando juntos sempre dão merda, não é mesmo?

E me desculpem os religiosos, mas me expliquem por que eu, que não sigo a religião de vocês, devo ter um direito meu eliminado desse jeito por que um de vocês ou um grupo de vocês, teve essa brilhante ideia, hein?

Ah, é muito pra minha cabeça.

Depois de acompanhar a hashtag no Twitter #primeiroassédio, ver esse texto e a origem dele, só me restar torcer para nunca sofrer esse tipo de violência, porque se for, ou deverei seguir uma das opções abaixo:

  • procurar uma clínica clandestina de aborto e talvez morrer no processo;
  • procurar um ‘mestre em ervas’ e usar um abortivo natural, como na época do Brasil Colônia;
  • morrer por conta própria, entendam como suicídio;
  • dar um jeito e sair dessa merda de país o mais rápido possível e procurar ajuda em outro local onde aborto seja permitido nestes casos.
  • depender da lerdeza da ‘Justiça’ brasileira;

E se você ficou curioso, abaixo, alguns relatos da hashtag #primeiroassédio:

Este slideshow necessita de JavaScript.

De embrulhar a alma. Há relatos de homens que foram assediados também e isso é errado também.

É errado forçar outra pessoa, outro ser humano a fazer algo que ele não queira. É pior ainda quando é algo com uma criança. Você tem filho, irmão, primo, irmã, prima, filha, pai, mãe, avó, tio, tia, amigos e amigas; todos podem ser vítimas ou predadores. Sim, o termo que os norte-americanos usam é esse: predador. E acho corretíssimo.

Bom, o fato é que essa proposta  é absurda, desumana e fere nossas liberdades. Filho é uma opção de vida, não é um dever, não é uma obrigação. Você escolhe ou não ter filhos, por motivos variados e seus. Há casais sem filhos, há homens que não querem filhos, há mulheres também, ora pitombas.

 

Deixo também o vídeo que me passaram no Facebook que resume bem a indignação que sentimos eu e minha mãe ao saber do assunto.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 5069/13, de autoria do deputado Eduardo Cunha. O texto prevê a possível proibição da pílula do dia seguinte para vítimas de estupro na rede pública, se ela for considerada abortiva. Os deputados que votaram favoráveis ao projeto, estão votando contra as vítimas de estupro.Com a pílula do dia seguinte sendo considerada abortiva e proibida para vítimas de estupro, as mulheres que forem estupradas terão que fazer o aborto legal. Melhor seria a prevenção. Mulher que não quer gravidez, em qualquer circunstância deve poder tomar pílula do dia seguinte, mesmo que algum deputado a considere abortiva.O projeto segue agora para votação no plenário.#EquipeMR

Posted by Maria Do Rosário Nunes on Wednesday, October 21, 2015

 

 

Exagerei? Talvez e se não é assim, como você vai pensar no assunto?

Reflitam:   o que alguém que acabou de ser estuprada agora pensaria ao ler isso, saber dessa lei?

Só tenho mesmo o direito e o dever de me revoltar com isso e expor o caso a vocês e aguardar que isso não passe mais etapas.

Farei updates assim que houver novidades.

 

É isso, pessoal, façam esse post circular, o projeto, façam barulho, sejamos ouvidos.

ROCK OFF.

 

Dia do Podcast 2015!!!!

Rock ON!!!

Aqui é Priss Guerrero e hoje quero falar sobre Podcast. Sei que o Lucas Bahamut já falou sobre o assunto aqui no Rock Me ON, contudo, informo que minha abordagem será bem diferente. Não vou explicar o que é, vou falar quais eu ouço e porque.

E só explicando a imagem de chamada é minha mãe, a Mamãe Freak e o Marcos Keller, o Bruxão do Mundo Freak.

Vou listá-los em ordem alfabética, porque precisa ter uma ordem? Sim, só por isso.

diaDoPodcast

Anticast

Comecei a ouvir por que gosto de Design, é uma das minhas formações, ora bolas! E o Anticast, mesmo falando sobre outros assuntos, sempre me fornece alguma visão sobre a área e agrega algum conhecimento.

Canal 42

Adoro séries, mas não posso acompanhar todas. Este podcast me ajuda a selecionar algumas séries para assistir, a relembrar coisas que séries que acompanho e a tomar conhecimento de séries que não pretendo ver. Puro entretenimento, eu me divirto, fico feliz ao ouví-los.

Cinema com Rapadura

AMOOOOO cinema. Sim, é verdade, eu ainda saio de casa e vou ao cinema. Mesmo que isso tenha se tornado um pouco ruim, por conta das pessoas que não sabem desligar o maldito celular e ficam mandando mensagens enquanto a gente tenta ver  o filme. Gosto do Cinema com Rapadura por conta da visão equilibrada que eles têm sobre as produções. Mesmo àquelas que não gostei, costumo ouvir sobre para conhecer a opinião deles e isso é bom. Adoro a equipe toda e suas peculiaridades.

Cronocast

Este é novo e tenho gostado bastante. Tratam sobre história, de um modo bem divertido e interessante. São professores de história e é bacana acompanhar essa visão do professor sobre o tema. Bom, sou suspeita, pois sempre gostei muito de história.

Escriba Café

A edição de áudio é muito boa e por isso mesmo há um intervalo muito grande em um episódio e outro, mesmo assim, aguardo com ansiedade cada um deles. A pesquisa é ótima, o conteúdo passado muito bom, é um audiodrama sobre história, personalidades, acontecimentos e como disse, adoro história.

Grande Coisa

Comecei a ouvir este podcast há pouco tempo e já me apaixonei pelo formato, um papo descontraído, divertido, muito divertido mesmo, emocionante e genial. Eles me divertem muito e agregam muito conhecimento. Já risquei a Austrália da minha lista de lugares para conhecer.

Mixtape

Esse é novinho, recém-nascido na minha lista, mas é muito interessante e gostei do formato. Eles falam sobre música e temas relacionados, enfim, tem música, o Mixtape está lá e adoro música, muito mesmo, notaram pelo nome do site? Rock Me ON!!!! Desculpem se acharam que eu gostava de geologia. (também gosto, ok? rs)

Mundo Freak

O podcast que me inspira a desenhar, sério, adoro desenhar e as histórias misteriosas e causos sinistros deste podcast me inspiram muito e foi graças ao Dia do Podcast, que esse ornitorrinco branco bateu em minha Time Line para ficar para sempre! E já até participei de duas leituras de email, que honra!!! Aproveito para deixar parabéns pelos 3 aninhos de existência e que continue cada vez mais, seja longevo! Se você gosta de mistérios, conspirações, fantasmas, aliens, este é o lugar, seja freak!

Nerdcast

Este podcast é especial. Não foi o primeiro que ouvi, o primeiro foi um Radiofobia, mas foi o podcast que me fez sentir parte de algo maior e mesmo tendo alguns temas que não concorde, o Nerdcast me fez muito bem, esquecer problemas e acreditar em soluções. Só tenho a agradecer pelos momentos de diversão, risadas e reflexões.

Papo Lendário

Esse podcast é um dos mais sérios que ouço, sobre mitologia e humanidades. Talvez eu deva dizer comportamento humano, não sei; só sei que este me trouxe muitas coisas boas, alguns amigos bacanas e boas horas de entretenimento e conhecimento. Além de uma nova visão sobre mitologias e novos mitos para conhecer.

Projeto Humanos

Este é novo e fez um excelente trabalho entrevistando uma sobrevivente do holocausto na Segunda Guerra Mundial. Causou comoção, emoção, empatia, agregou conhecimento, trouxe uma nova visão sobre os fatos ocorridos e um quê de esperança, de perdão e indignação com a raça humana.

Promontóril Estéril

Na pegada do Escriba Café, o foco é biografia de personalidades e a periodicidade é mais curta, bem como a duração de cada episódio, mesmo assim, o conteúdo é engrandecedor e é muito bom conhecer personalidades mais a fundo, como Chiquinha Gonzaga, por exemplo. Este conheci por causa do Temacast.

Radiofobia

O primeiro podcast que ouvi, Radiofobia. E nem lembro como cheguei até ele, mas acredito que tenha sido pelo Twitter. Este podcast tem um leque de outros que amo: Alô Ténica, Radiofobia Classics, especiais com dubladores, o trabalho do Léo Lopes é lindo e maravilhoso. Recentemente tive oportunidade de conhecê-lo e foi incrível! Radiofobia mora no meu coração, a partir dele conheci o Nerdcast e por conta da promoção do dia do podcast, veio o Mundo Freak e todos os outros. Radiofobia é amor.

Scicastpodcast

Porque a ciência tem que ser divertida. Quem não gosta de ciência? Muita gente, infelizmente. Mas eu gosto e o Scicast é aquele amigo do trânsito, gosto de ouvir enquanto dirijo longos percursos, porque o Scicast tem o poder de fazer o stress do trânsito de SP desaparecer. Através desse podcast fiz ótimos amigos também, o Lucas é um deles! A ciência mostrada nesse podcast é tratada de um jeito simples, divertido mesmo, com especialistas de várias áreas e meus favoritos, são, claro, os de história. Não é um podcast didático, isto é, não é um cursinho pré-vestibular, não, é um programa sobre ciências, sejam elas físicas, químicas, biológicas, humanas etc. E é muito divertido sim.

Telhacast

Este terminou recentemente, mal o descobri e já terminou. Mas baixei todos e tenho no computador, preciso ouvir ainda. Mas o pouco que apreciei, achei genial! Especialmente os episódios sobre ET de Varginha. Esse podcast deixa saudades.

Temacast

Cheguei aqui por causa do Scicastpodcast, quando o grupo do Amigos do Pause era um bom lugar e o professor Barbado colocou uma chamadinha sobre um episódio sobre o Barão de Mauá. A temática base é história e do Brasil, feito com uma pauta impecável e maravilhosa, além de uma edição muito profissional e muito boa, ora! Este me trouxe dois bons amigos, o Seixas e o Igor, além de bons momentos ouvindo os programas.

 

Bom, pessoal, estes são os podcasts que eu ouço e os motivos pelos quais eu faço isso. Geralmente ouço durante o trabalho, pois minhas tarefas são mecânicas e me permitem fazer isso. Também ouço dirigindo ou em longas viagens.

Minha mãe também gosta de ouvir comigo e os podcasts nos aproximou mais e  isso é muito bom, não é? Tanto que ela é a famosa Mamãe Freak, apelido carinhosamente dado pela galera do Mundo Freak, pois ela é ouvinte fiel deste podcast e de todos os outros dessa lista.

Como estou em férias e fazendo várias coisas que não me permitem ouvir, estou com vários episódios atrasados, mas isso não é problema, pois os programas estão lá, disponíveis para download e posso ouvir quando quiser, esta é a graça do Podcast, afinal de contas.

Além de entretenimento, os podcasts trazem conhecimento, alívio do stress e novos amigos. Se você não conhece podcast, não sabe o que é, essa é sua chance de conhecer, pelo menos os que eu ouço. Deixei os links para vocês nos nomes de cada um deles, basta clicar, baixar o episódio e ouvir quando quiser. Muitos disponibilizam o episódio para ouvir direto do seu navegador e isso é ótimo. Também é possível usar um programa no seu celular para ouvir os programas e assinar esses canais, no Windows Phone uso o programa Podcast, que veio no próprio celular, mas em outras plataformas, você pode entrar na lojinha e digitar algo como ‘podcasts’ ou ‘agregador de podcasts’. São programas gratuitos e os conteúdos dos podcasts também são.

Espero que tenham gostado, que tenham lido o artigo do Lucas aqui no Rock Me ON e se não leram, a chance é agora.

Também tem o site http://diadopodcast.com.br/, que tem um material muito bom sobre o assunto e recomendo que vejam, vão descobrir mais coisas lá.

Gostaria que me indicassem algum podcast, não listado, para eu ouvir e dissessem por que eu deveria ouvir (Lucas, vc é café-com-leite nessa, ok?).

 

Feliz Dia do Podcast a todos meus produtores de conteúdo favoritos, adoro todos vocês, também tenho birra com alguns, mas de alguma forma, todos moram no meu coração e preenchem minhas horas com muita coisa boa. Que continuem com o excelente trabalho, trazendo cultura, valores, diversão e conhecimento para essa nossa sociedade tão abatida e bocoió.

 

Rock OFF!!!

 

 

Devaneios Criativos sobre Criatividade


ROCK ON leitores! Aqui quem fala é o Lucas, seu pseudo-gringo favorito. As vezes eu conheço pessoas maravilhosas na internet que proporcionam conversas interessantíssimas, que desafiam a mesmice e a banalidade com reflexões curiosas. Uma dessas conversas ficou tão bacana que resolvi contar pra vocês, amigos leitores!


Tudo começou quando meu amigo Benjiro me perguntou:

Vc já se pegou bolando uma história na sua cabeça, e dai vc vai ver um filme/livro/game/desenho e vê que é basicamente o que vc estava criando, e dai agora se vc resolver fazer algo com essa ideia vai ser considerada plágio?”

Caramba! Isso acontece comigo o tempo todo! Entusiasmado com a descoberto de que este fenômeno acontece com mais pessoas, resolvi hipotetizar que este “plágio” sem intenção possa sugerir algumas idéias. Vou enumerá-las aqui. Eu sei quealgumas estão erradas (ou podem estar), mas vale expô-las só por reflexão. Hipotetizo que:

1. As pessoas já criaram e acumalaram quase tanta informação quanto temos capacidade de criar novas.

Imagine o início da criação cultural humana. Neste primórdio abstrato, qualquer conceito criado poderia ser considerado novo, já que pouquíssimo conhecimento existia. Então, com a invensão de um sistema de linguagem com escrita, começamos a armazenar o conhecimento e idéias já existentes poderiam ser gravadas. Muito tempo depois veio a prença, e depois o armazenamento digital da informação. Quanto mais informação armazenada, mais difícil de criar conhecimento inédito, já que uma quantidade crescente de conhecimentos já existem. Isso poderia acontecer pois, quanto mais rápido temos capacidade de criar conteúdo, mais conteúdo se acumula, e mais difícil fica criar algo novo. Essa tendência é como uma curva exponencial que começa a crescer muito rápido, mas depois vai desacelerando (conhecida como curva de explosão), tendendo a um limite. Estaríamos então neste limite onde é incrivelmente difícil criar algo novo?

2. Tudo que criamos é o resultado da combinação dos significados que aprendemos anteriormente.

Podemos misturar toda a cultura a que somos expostos em combinações realmente inesperadas e criativas, mas somos limitados às mesmas.

(Galera de Humanas, tentem não se apaixonar por mim agora).

Dentro das experiências singulares de cada indivíduo, existem infinitas maneiras de pensar e combinar, mas estas não escapam das experiências em sí – da mesma forma que existem infinitas frações entre 0 e 1, mas elas não são menores que 0 nem maiores que 1 – é um escopo criativo infinitamente incontável, porém ainda limitado. (Galera de Exatas, sua vez de se apaixonar!)

Dessa forma, o processo criativo é, na verdade, o processo de transformação daquilo que já conhecemos. Exemplo maneirinho:

As horcrux do Harry Potter são argumentos narrativos fascinantes. Neste universo de fantasia, o vilão pode dividir sua alma em pedaços e guardá-la em objetos paupáveis! Que idéia bacana. Mas pera, já li isso antes… Já sei! As horcrux são claramente baseadas nos Anéis do Poder, do universo do Senhor dos Anéis.

“Oh não! Seria Harry Potter uma farsa? Uma cópia?”

De maneira alguma. J. K. Rowling foi claramente influenciada por Tolkien, mas as histórias tem propósitos e elementos muito diferentes. Porém, o fato de terem alguns elementos narrativos parecidos sugere que esta hipótese pode estar certa. Mas não para por aí! A saga Senhor dos Anéis é um spinoff do livro O Hobbit, que conta as épicas aventuras do Bilbo Bolseiro. Nestas, Bilbo encontra em uma gruta um anel que o torna invisível quando usado.

Todavia, este é baseado no Mito de Gyges, da República II. Nessa parábola, Platão relata a história de um camponês chamado Gyges que encontra um anel mágico em uma gruta escondida. Com este anel, Gyges pode se tornar invisível, e logo descobre que não seria penalizado por suas ações. Platão então faz um ensáio sobre moral, conciência e escolhas, explorando a possibilidade de agir sem consequências.

“Seria então todos plagiadores de Platão?”

Também não. Esta história é uma releitura de mitos locais que tentam passar uma lição moral de forma narrativa. Criar é ligar o liquidificador de referências prévias, e tanto J.K. Rowling quanto Tolkien e Platão transformaram um conceito no outro para apresentar suas idéias.

Principalmente depois das mídias com alcances de massa, como o rádio e a televisão, um conceito pode viajar sem amarras geográficas em forma de narrativa; depois da internet, tudo fica gravado pra leitores, ouvintes e expectadores posteriores. Sabe-se lá quem  vai ser inspirado a reconstruir uma narrativa para explorar suas próprias idéias.

References… references everywhere!

Essa é a beleza do broadcasting! Dentro deste pressuposto, idéias novas são uma combinação das anteriores; existe uma maneira matemática bacana de entender o problema: imagine que em uma cultura X existem apenas duas idéias. Idéia A e idéia B. Dessa forma, você pode organizar elas destas maneiras:

A
B
AB
BA

Você pode combiná-las da maneira que quiser, mas não tem como escapar disso ou de variações repetidas disso.
Agora, imagine que a cultura X tem 4 idéias: A, B C e D. Já temos muito mais maneiras de cobinálas:
A
B
C
D
AB
AC
AD
ABA
ABB
ABC
ABD
ABAA
ABAB
…..

Agora imagine uma cultura dinâmica como a da humanidade toda, que tem muitas idéias. Existirá tantas maneiras de combiná-las, mas tantas, que vai parecer infinito. Mas não é. E como temos capacidade de armazenar e acumular essas informações, principalmente agora com o advento da “rede mundial de computadores” que deixou mais fácil produzir e disseminar uma combinação nova, podemos chegar em um determinado momento quando teremos tantas combinações já feitas que uma “nova” idéia parecerá muito semelhantes as anteriores.

É interessante pensar que o argumento oposto também pode ser feito: o fato de existir tantas idéias significa uma quantidade exponencial de novas idéias a serem combinadas. Fica o dilema.

3. Talvez não exista uma saída da caverna de Platão.


O mito da Caverna de Platão conta a parábola de prisioneiros que foram criados em uma caverna; nesta, os prisioneiros eram presos de tal forma que apenas podiam ver projeções de sombras na parede da caverna. Por serem criados a vida inteira neste ambiente, os prisioneiros não tem capacidade de imaginar nada além das projeções de sombras, um universo sem cores, binário (sombra e não sombra) e plano, com apenas duas dimensões espaciais: altura e largura, mas sem profundidade. Na parábola, um prisioneiro pode ser liberto; quando isso acontece, este conhece um universo inteiramente novo, multi-color, tridimensional, e grandioso. A pessoa liberta descobre o Dia e a Noite, rios e mares, animais, sociedades inteiras feitas por milhares de outras pessoas. É relevante dizer que esta pessoa não tinha como imaginar este universo enquanto ainda era prisioneiro, já que toda sua realidade se resumia ao interior da caverna e a sombras na parede. Foi necessário libertar o prisioneiro para que ele entende-se o mundo fora da caverna. Mas… e se o mundo lá fora for uma outra caverna, apenas muito maior e mais complexa?

Dessa maneira, você sai da sua caverna pra entrar em uma muito maior. E quando sai desta, entra em uma outra muito maior ainda. Mas sempre está limitado às paredes da nova caverna, por mais longe que estas estejam, nunca poderá criar algo além dos limites impostos pela mesma.

4. Seria a capacidade de criar algo novo matematicamente redutível?

Este é um conceito de reflexão muito antigo que surgiu logo em que o ser humano descobriu que podia observar padrões na natureza e, usando os mesmos, poderia prever o que aconteceria em seguida. Começamos associando os padrões das estrelas no céu com as estações do ano e, desde então, descobrimos um universo inteiramente vasto que pode ser descrito através da matemática. Acho importante deixar claro aqui que quando falo em matemática, não falo da Língua Matemática, sistemas de regras e símbolos que usamos para expressar relações lógicas, mas sim da Lógica em si, que independe da língua usada para ser expressa. Visto o sucesso do uso de padrões lógicos na Física e na Química, e até na biologia, a redutibilidade matemática se torna um questionamento constante: “poderia tudo no universo ser reduzido a uma expressão matemática? É tudo calculável, previsível?”

Acho importante dizer que “calculável” não diz respeito a sua capacidade de calcular algo, ou a capacidade de um computador calcular algo. Não diz respeito à capacidade prática de calcular, mas à capacidade teórica e universal de calcular. Por exemplo, pode existir uma equação tão complexa que levaria um computador bilhões de anos para calcular, ou talvez os nosso computadores atuais nem sejam capazes de tal, mas se existe qualquer possibilidade de chegar em um resultado desta equação independente do custo de recursos que isso gera (tempo é um recurso), esta equação é calculável. Sim, este não é um conceito prático, mas um conceito teórico que só faz sentido no mundo das idéias.

Até a década de 20, muitos achavam que sim, TUDO no universo pode ser calculado. Aparentemente, tudo na Física era calculável. Então surgiu a reflexão de que se o comportamento dos corpos das pessoas seguem as leís da Física, logo o comportamento de uma pessoa também poderia ser calculado, nos mínimos detalhes e nos detalhes mais específicos de um indivíduo.

O XKCD tem uma tira excelente sobre o assunto:


purity


Para calcular o comportamento humano em sua completude, seria necessário:

i. conseguir saber todas as relações, padrões, leis e regras que regem o comportamento deste indivíduo;

ii. conseguir saber todas as variáveis, como experiências passadas, condicionamento, predisposições genéticas, balanceamento químico/hormonal do cérebro, etc;

iii. conseguir saber e expressar todas as relações entre as regras (i) e variáveis (ii) com precisão perfeita.


Independente se conseguimos descobrir i, ii e iii, muitos desconfiavam que o ser humano é matematicamente redutível, só é tão complexo, mas tão complexo, que seria extremamente difícil calcular seu comportamento. Ou seria?

Existe um estudo que consegue prever com de precisão de até 94% se um casal de homem e mulher vai continuar junto ou vai separar. O estudo usa as conversas dos casais como variáveis, especialmente a velocidade, facilidade e intensidade em que pequenos conflitos escalam pra grandes brigas. Mas isso não quer dizer que todo comportamento humano pode ser calculado, muito menos que todo comportamento da natureza pode ser calculado também.

Quando descobriram a Física Quântica, a redutibilidade matemática perdeu muita força por causa da dualidade partícula-onda: uma partícula se comporta tanto como uma onda, quanto uma partícula clássica (um pontinho ou corpúsculo no espaço). Uma vez que descobrimos isso, faltava saber por que as partículas se comportam ora como ondas e ora como corpúsculos. Porém, toda vez que tentavam medir a onda durante seu trajeto, antes que ela batesse no sensor, a onda virava uma partícula no momento da medição. Achava-se que era um problema com o experimento, mas depois descobrimos que a dualidade é real quando encontramos uma forma de vê-la sem interferir em suas propriedades. Em vez de usar sensores sensíveis a luz, usamos sensores sensíveis ao campo magnético.

Mas o que é essa onda? Os físicos achavam que cada ponto da onda representava uma chance maior ou menor de encontrar a partícula, mas que ela estaria sempre em um único lugar. Porém, descobrimos que cada ponto da onda representa uma chance maior ou menor de SER a partícula, como se a existência dela pudesse espalhar em milhares de pontos. Este conceito é extremamente contra-intuitivo. Como pode algo não estar em um único lugar, mas estar em vários lugares? Como pode o fato de ESTAR se tranformar em CHANCES DE ESTAR em algum lugar? Como pode uma existência se espalhar? Muitos duvidaram que isso seria possível pois é diferente de tudo que já vimos na mecânica clássica.

Einstein era um deles e, em resposta ao problema, ele disse que “Deus não joga dados”, argumentando diretamente em favor da redutibilidade matemática. Ele simplesmente não queria acreditar que algo fosse aleatório na natureza.  Neste caso, vale a pena dizer que ele não se referia a um Deus de maneira religiosa, mas mais como “universo”, “natureza” ou ainda “leis da física”. Porém, foi provado que a onda é bizarra mesmo; Einstein se arrependeu profundamente de ter dito aquilo e passou a ajudar a desenvolver a mecânica quântica.

Pra saber mais sobre o assunto, recomendo este artigo.

Tá, então nem tudo pode ser calculado, existe realmente aleatoriedade no mundo microscópico. Mas será que existe também em escala macroscópica? Será que o comportamento humano é aleatório? Pra ilustrar o problema, imagine que um apostador vai apostar se o giro de uma moeda vai dar cara ou coroa. A moeda é lançada e, enquanto está no ar, o apostador escolhe se a moeda vai mostrar cara ou coroa. Se o apostador conseguir medir com precisão a força aplicada na moeda e a trajetória da mesma (variáveis ii), se ele souber física (regras i) e tiver um meio de calcular a relação entre essas variáveis e essas regras (iii), o apostador pode prever o resultado do giro da moeda antes que este seja revelado. Neste caso, a aposta é matematicamente redutível.

Mas e se o apostador tiver que escolher entre cara e coroa ANTES da moeda ser lançada no ar? Neste caso, o comportamento do ser humano que vai lançar a moeda passa a ser uma variável na equação de prever o resultado cara/coroa. O apostador teria que saber TUDO sobre o lançador (ii), todas as regras de comportamento humano que cabem ao lançador (i), e como essas duas coisas se relacionam (iii). Se o comportamento humano tem variáveis aleatórias, a aposta não é matematicamente redutível (ou é matematicamente IRredutível, mesma coisa).

What is Random? – Vsauce

What is NOT Random – Veritasium

 


Como até na Física existe aleatoriedade, não vejo motivos fortes o suficiente pra concluir que comportamento humano é matematicamente redutível. Porém, como a grande maioria dos problemas da natureza são matematicamente redutíveis, incluindo comportamento animal, também não vejo motivos fortes o suficiente pra concluir o oposto. Portanto, mantenho ambas hipóteses em aberto.

Mas o que tudo isso tem a ver com criatividade, com capacidade de criar algo novo?
Vamos revisar bem rapidamente as sugestões anteriores:

1. As pessoas já criaram e acumalaram quase tanta informação quanto temos capacidade de criar novas.

2. Tudo que criamos é o resultado da combinação dos significados que aprendemos anteriormente.

3. Talvez não exista uma saída da caverna de Platão. Você sai da sua caverna pra entrar em uma muito maior.

E agora a parte final:

4.A) Se o comportamento humano for redutível, estamos presos nas sugestões anteriores.

4.B) Se o comportamento humano for irredutível, podemos realmente dizer que é possível criar algo novo.
Quanto maior for o nível de aleatoriedade, maior vai ser a variação nas formas de combinar os significados anteriores (3). Tendo uma aleatoriedade grande o suficiente, podemos combinar conceitos antigos de formas completamente novas, ou até adicionar um conceito nunca antes visto!

Algumas ressalvas:

I. Não vejo uma linha precisa pra dividir um conceito antigo de um novo. O que é algo novo? O que é algo diferente? Qualquer linha é arbitrária. Este problema fica claro na metáfora do Barco de Teseu. Imagine que Teseu tinha um barco que pra fins de discussão chamaremos de Elena, que usava para navegar pelas ilhas gregas. Um dia, o mastro quebrou. Logo, Teseu colocou um mastro novo. Em outro momento, a vela rasgou. Então, Teseu colocou uma vela nova. Em outro momento, um lado do casco furou e Teseu teve que refazer aquele lado. Teseu foi trocando pedaço por pedaço do barco até que todos os pedaços são novos, de cores, tamanhos e materiais diferentes.

O barco final ainda é o mesmo barco, apesar de todas as peças serem diferentes? Mas em qual momento Elena deixa de ser Elena para ser um outro barco? Em que momento eu traço uma linha e digo “antes daqui é Elena, depois não é mais?”

O mesmo acontece com times de futebol. Mudam os jogadores, os diretores, a torcida, até o brasão, mas ainda chamamos tanto o Corinthians de 1915, quanto o de 1965, quanto o de 2015, de Corinthians. Ainda consideramos ser o mesmo time. A mesma coisa com espécies na taxonomia biológica: se tivéssemos um exemplar de cada ser vivo que já existiu, e colocássemos todos eles em linhas temporais que foram se ramificando, não teríamos uma distinção de onde uma espécie acaba e uma nova começa; as únicas duas formas não arbitrárias de separar espécies seriam: dizer que cada ser vivo é uma única espécie diferente, ou que todos são a mesma espécie.

O problema também acontece com idéias narrativas, literárias, de filmes, etc. Se colocar todas as idéias em linhas que foram se ramificando, seria impossível dizer onde uma idéia antiga acaba e onde uma nova começa. Eu exploro bem este problema em um pequeno áudio dramatizado que eu fiz e publicaram nos últimos 10 minutos do SciCast 88. Recomendo.

II. Eu defino criatividade como capacidade de criar algo novo ou recombinar idéias já existentes de forma não antes feita. Pode ser que criatividade signifique algo diferente para você. Tudo bem, não tem problema. Deixa nos comentários o que é criatividade pra você! Eu acho interessantíssimo o quão criativos podemos ser para defirnir criatividade de formas diferentes.

O Vsauce tem outros vídeos excelentemente maravilindos sobre alguns aspectos do problema:

The Zipf Mystery

Did The Past Really Happen?

When Will We Run Out Of Names?

How many things are there?



E você caro leitor? Tem algum devaneio criativo sobre a criatividade?

ROCK OFF!

Presente que é uma Merd…!!!

Rock ON!!!

Vi isto em minha última viagem e fiquei imaginando as pessoas comprando e recebendo esse tipo de presente.
Seria bom para alguém que trabalha com análises clínicas? Presente para terminar um relacionamento onde tudo deu errado?

Sério, não sei o que passou pela cabeça da pessoa que vendeu isso para expor na loja, mas com certeza o cara é um monstro na área de vendas!

Imaginem o sujeito chegando e se encontrando com o dono da loja e oferecendo esse produto? Detalhe, a loja vende produtos alimentícios para viajantes. E o sujeito conseguiu deixar em exposição isso! De frente pro balcão da lanchonete! O cara é um gênio! Merece aumento!

Juro, é impactante entrar na loja e dar de cara com isso e imaginar tudo que acabei de descrever.

Você pode presentear aquela pessoa que não vai com a sua cara, escrever num bilhete: “achei o presente que é a sua cara!”.

Bom, é isso!

WP_20151007_14_48_20_Pro

Rock OFF!!!

Cogumelos!!!

Rock ON!!!

Cogumelos, o Reino Fungi sempre foram meio misteriosos para mim. E acredito que para todos os professores de biologia que eu tive também. Nenhum deles conseguiu dar uma boa explicação para o surgimento dos cogumelos além de ‘os esporos voam por aí, encontram as condições ideais e se desenvolvem’. Acho pouco.

Gosto das formas que os cogumelos assumem, das cores e também o fato curioso de que todos são comestíveis, alguns apenas uma vez, mas todos são comestíveis enfim.

Na caminhada desta semana que seria a número 17 oficialmente, porque tivemos um hiato e pequenas caminhadas durante a semana desde o dia 20/09, lá no Parque do Piqueri, vi muitos cogumelos e fotografei alguns. Gostaria de compartilhar com vocês essas imagens, já que quando as publiquei no Instagram, fizeram um sucesso maluco, não sabia que mais gente gostava de ver fotos de cogumelos.

Bom, é isso, a postagem de hoje são fotos de cogumelos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Espero que gostem, compartilhem e deixem seus comentários, é de graça e não cai o dedo!

Rock OFF!!!

#004 – Eu Não Sei Desenhar, Então Rabiscarei por Cima!!!

Rock ON!!!

 

O título ficou longo, mas é isso mesmo. Um vídeo para quem não sabe desenhar. Você pode começar riscando por cima de uma foto. Pegue uma foto ou um desenho, coloque uma folha de papel vegetal por cima, papel de seda, ou um sulfite fino mesmo.

Pegue um lápis macio e rabisque por cima. Não vai ficar perfeito, mas já é um começo. Para esse vídeo usei o ArtRage porque ele simula papel e lápis.

Dá para fazer em qualquer aplicativo que use camadas também. Mas o importante é fazer vários do mesmo desenho. Com o tempo seu traço vai ficando firme e você conseguirá fazer um sem o auxílio da foto ou imagem.

Usei uma foto do Aragorn, que peguei na internet.

A música de fundo é criação minha no Microsoft Music Make Jam e chama-se Hard Hero, espero que gostem.

Deixem seu joinha, seu comentário e espalhem esse vídeo!

Aqui está o trabalho pronto:

AragornRabisco

E se tiver alguma sugestão, deixe nos comentários. Podem falar comigo, eu não mordo não! XD

 

Rock OFF!!!

 

 

 

Kalciferum!!!!

Rock ON!!!

Há alguns meses eu ouvi falar de um projeto chamado Kalciferum. E fiquei curiosa sobre o que seria isto e como seria desenvolvido. E com o passar dos meses, essa curiosidade foi alimentada pela galera do Mundo Freak, aquele podcast com o mascote mais fofinho de toda a internet! O livro Kalciferum está chegando!

Finalmente o projeto está para ser lançado no Cartase e o Rock Me ON, como vocês bem sabem, gosta de apoiar novidades bacanas e não podia ser diferente, afinal, o Andrei me forneceu tantas horas boas de diversão com o seu podcast e o mínimo que eu poderia fazer, é ajudar na divulgação desse projeto pessoal dele como escritor.

E caso vocês não saibam, escrever um livro nesse país é fácil, complicado mesmo é publicá-lo. Por isso, agora deixo vocês com o material fornecido pela queridíssima Ira Croft sobre o Kalciferum e já digo que estou contando os dias para abrir logo o Cartase e poder participar mais!

poster_kalciferum

Esta imagem é só para você ter um gostinho do que vem pela frente!

Obra literária nacional busca apoio no Catarse

Em Kalciferum, Rafael precisa aprender que o mundo é cheio de demônios.

Rafael começa em seu novo emprego, porém descobre que um de seus colegas de trabalho é um demônio. É nesse mundo, com criaturas fantásticas e assustadoras, que o terror nacional Kalciferum se passa.

O projeto começou em 2011 e o autor, Andrei Fernandes sempre se interessou por todo tipo de obra literária relacionada ao oculto. As HQs obscuras de Neil Gaiman, Alan Moore e Mike Mignola influenciaram muito o trabalho do designer e contista.

Aos fãs do gênero são oferecidas recompensas no Catarse. Pôsteres, um tarô especial com as ilustrações únicas do livro e até mesmo estatuetas exclusivas de edição limitada serão oferecidas àqueles que mais colaborarem com o projeto.

Para auxiliar esse projeto nacional, confira a página no Catarse (a campanha entra dia 08/10/15) ou acesse o site oficial do livro http://kalciferum.com.br/.

Links para você acompanhar Kalciferum nas redes sociais!

https://www.facebook.com/kalciferum

https://twitter.com/kalciferum

CARTASE: catarse.me/kalciferum  [SAIU O LINK!!!]

Sobre o autor:

Andrei Fernandes, formado em comunicação visual, é designer, roteirista e comandante do Mundo Freak, um site de entretenimento com podcasts semanais de casos insólitos. Contista já publicado e aluno do Best Seller Eduardo Spohr em seu curso de Estrutura Literária possui alguns contos lançados de maneira independente. Outros trabalhos literários foram publicados na coletânea Monstros pela Editora Buriti.

capa_kalciferum

A capa do livro é um show visual!

É isso, pessoal! Aguardo ansiosamente pelo lançamento oficial no Cartase, dia 08 de outubro de 2015!

Rock OFF!!!

#003 – Vetorizando no Illustrator!!!

Rock ON!!!

Fiz o rascunho entre uma ligação e outra no trampo. As filiais me fazem esperar muito. Achei o desenho maneiro e resolvi vetorizar no Illustrador.

Vetorizar nada mais é do que transformar um desenho complexo (bitmap) em um desenho simples (Vetor). Bom, isso não quer dizer muita coisa, né? Usarei um exemplo prático: uma foto de gatinho. Supondo que eu tenha uma foto de gatinho e olhe essa foto bem de pertinho, verei vários quadradinhos pequenos nela, são os pixels. Quando olho mais de longe, vejo a imagem formada. Bom, até aí, o vetor também é formado de pixels, se eu olhar bem de pertinho, verei a mesma coisa.

A diferença ocorre quando eu quiser fazer uma ampliação da foto de gatinho, o bitmap, ele vai estourar aqueles quadradinhos, os pixels, e por isso a minha linda foto de gatinho ficará deformada, desfocada, feia e horrorosa.

Vamos dizer que eu tenha vetorizado um desenho de gatinho, ou seja, peguei o desenho, passei as linhas e pontos por cima em um programa de vetorização, que poderia ser um Illustrator, Corel Draw, Inkscape etc, transformei em linhas e pontos, colori, tudo vetorizado. Daí eu preciso ampliar esse vetor, então, basta eu fazer isso e ele vai se manter bonito, ordenado, perfumado, lindo de morrer!

Mas por que isso acontece? O vetor trabalha com cálculos matemáticos e o bitmap não. Na verdade é algo bem mais complexo que isso, só que neste momento você não precisa saber disso, não é mesmo? Basta saber que se você quiser uma ampliação ou redução quase perfeita, é melhor usar um vetor que um bitmap!

E como reconhecer quem é um e quem é outro? A resposta já está acima, mas vou dar uma dica: aquelas imagens do tipo jpg, em geral são bitmaps, ou mesmo o bmp (a extensão básica do Paint que vem com o Windows). E se você ampliar ou reduzir muito, vai distorcer uma imagem assim, além de poder ser o produto de um programa de vetorização, isto é, um arquivo exportado. Mas isto é avançado demais neste momento, não se prenda a isto, ok?

Bom, em termos práticos, bitmap é aquilo que você manda no seu celular ou rede social para os amigos. Vetor é aquilo que o cara da gráfica vai pedir para você mandar quando quiser fazer mil adesivos do logotipo da sua banda favorita. E ele pede em vetor porque daí ele pode fazer ajustes sem perder a qualidade do produto final, sacaram?

Eu uso o Illustrator, mas já usei o Corel Draw quando estava aprendendo vetorização e sinceramente a única coisa que sinto falta em relação ao primeiro, é que o Corel divide os tipos de curvas que ele faz, o Illustrator trata como uma coisa só! E o Inkscape? Instalei uma vez para ver como era e nunca usei de fato, mas sei que o Programador Real usa esse programa nas suas tirinhas.

O legal do Inkscape é ele ser gratuito. Você pode fazer download para seu Sistema Operacional baseado em Linux ou Windows. Procurem no Google, é fácil. Já o Illustrator e o Corel são softwares proprietários e você precisa pagar. Ou pegar uma versão de testes.

Bom, no Illustrator é possível mudar o ângulo do pincel de pintura, da borracha, coisa que acho muito legal porque é feito de um jeito bem simples e no vídeo, se você prestar atenção, verá que faço isso algumas vezes.

Entre vetorizar e colorir, levei cerca de 1h30. Mas não se preocupem, reduzi o vídeo às partes mais importantes e ficou com 2min19.

A música de fundo também é de minha autoria. Eu fiz no Music Make Jam, aplicativo da Microsoft, para criar trilhas sonoras. Não sei usá-lo ainda e foi a primeira composição que fiz. E fiz isso porque não achei nenhuma trilha que se encaixasse nas cenas. Rsss.

Bom, espero que gostem, entrem no Youtube, deem um joinha, tá? No próximo farei com voz.

E aqui está o resultado final:

littleRedNinja

Rock OFF!!!

Fiscal da Internet!!!!

Rock ON!!!

Tenho acompanhado um fenômeno entre alguns canais de internet ultimamente: eles pegaram para si o cargo de fiscal da Internet!

Basicamente ficam sentados, olhando e caçando os erros. Então, quando você menos espera, pimba!!! Lá está o fiscal de internet:

pinkZueira

Não sejam chatos, pessoal. Uma coisa é corrigir erros, a outra é se autodeclarar fiscal da internet e fazer um post, podcast, vídeo só para pegar carona na fama da pessoa e serem uns chatos.

Rock OFF!!!

Aviso Inesperado!!!

Rock ON!!!

E lá pela Expomusic, andando no evento, topamos no sábado com esse aviso inesperado:

WP_20150919_18_14_37_Pro

Juro que fiquei curiosa:

Que religião será essa?

Se alguém souber, avise aí nos comentários!

Rock OFF!!!

Duplo Sentido!!!

Rock ON!!!!

Lembro das aulas de redação no colégio, quando a professora dizia para tomarmos cuidado com o duplo sentido nas frases que escrevíamos. Foi uma aula muito importante e naquela época eu não podia imaginar essa importância.

Hoje ao escrever um email, relatório no trabalho ou mesmo um post aqui no Rock Me ON, procuro tomar cuidado para ser o mais clara possível, expor bem as ideias, enfim, não deixar dúvidas ao leitor.

Para isso a receita que uso é simples: costumo pensar no que vou escrever e escrevo. Então faço pequenas pausas e vou fazer outra coisa. Retorno ao texto e o leio novamente. Tento ver se faz algum sentido e então retomo a escrita. Se eu ainda tiver alguma dúvida, peço ajuda de alguém. Passo o trechinho do texto, a pessoa lê e me diz o que achou. Não tem mistério, não tem segredo.

Agradeço àquelas aulas do colégio. Elas me ajudaram a não fazer coisas como essa:

micoOuro

É, e pensar que alguém pagou por isso, hein?
E vocês, querem mico nas medalhas de ouro?
Particularmente prefiro que gravem o animalzinho no metal.

Sacaram?

(por todos os deuses, espero que meus leitores estejam de mentes afiadas ao lerem isso!)

Rock OFF!!

São Seus Olhos!!!

Rock ON!!!

Já aconteceu de vocês estarem rolando a time line de qualquer coisa e duas postagens de origens distintas se encontrarem e combinarem perfeitamente? Pois bem, comigo acontece com certa frequência.

Mas esse dia foi louco:

 

 

 

 

timeLine

Rock OFF!!!

Dia Nacional do Surdo!!!

Rock ON!!!

Quando vi essa imagem, achei que o Papa Francisco tinha visitado o Rock Me ON!!!

Mas não é nada disso, é que dia 26 de setembro se comemora o dia Nacional do Surdo.

 

DiadoSurdo

 

Para saber mais, clique aqui.

Eu vi esse post na Time Line de um amigo do trampo que é surdo e achei muito legal ter um dia especial assim.

Aliás, já deixo um protesto aqui para a indústria distribuição de filmes nos cinemas, pois ultimamente só mandam filmes dublados e pessoas surdas, como esse meu amigo, não podem mais ir ao cinema. SIM! SURDOS VÃO AO CINEMA curtir um filme! Mas precisa ser legendado. Então, quando se coloca apenas a versão dublada, essa parcela significativa da população fica excluída dessa forma de entretimento e precisa esperar sair em DVD ou TV a cabo para ver com legendas ou outros meios, digamos, não convencionais e lícitos.

Eu gosto de filme dublado, amo os dubladores, mas também gosto dos filmes legendados e ter as duas opções para mim, é algo legal. Mas eu não sou surda, então se tiver um filme dublado, eu posso ver sem problemas. Mas e os surdos? Até podem ver o filme dublado, mas você pagaria para ver uma sucessão de imagens e adivinhar o sentido delas? Claro que não! Então eles precisam das legendas para poderem entender a  história!

Bom, fica aqui meu protesto pelos filmes apenas dublados e meus parabéns aos surdos deste país, que seus direitos sejam cada vez mais reconhecidos!

Rock OFF!!!

Caminhada 16 – Expomusic 2015!!!

Rock ON!!!!

Galera, com muito atraso que faço essa postagem. Foram dois dias de evento nos dias 19 e 20 de setembro e fomos nos dois dias!!!

Andamos muito por lá e passamos fácil dos 2km.

Bom, o evento foi muito legal, pude ver o show do Felipe Andreoli, Kiko Loureiro e Bruno Valverde; além de outros talentos.

Outra atração foi o sorteio de instrumentos. Participamos no domingo e foi muito divertido. Deixo um abraço à anfitriã Deborah, do Marketing da Expomusic, que puxou a galera com muita energia e vibração!

Não ganhei nada além de experiência, contudo, quero destacar que este ano teve muito mais prêmios que no ano passado, os já tradicionais instrumentos guitarra, violão e violino, somados a um contrabaixo, flautas, cursos, fones, guitarras autografadas, camisetas, foi uma loucura! Até guitarra do Capitão América teve! Inclusive, pai e filho sortudos que ganharam instrumentos cada um, sendo um deles um kit de guitarra completo com assinatura do Andreas Kisser!!!

Foi bem divertido mesmo. Mas poderia ter sido melhor se tivessem aberto a sexta-feira ao público, como fazem tradicionalmente, aí eu iria 3 dias! Ahahah E na sexta iria com um músico, o que seria muito demais!  😉

Quem sabe ano que vem, né?

Bom, deixo algumas fotos que tirei da folia que fizemos no evento.

 

Dia 01:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dia 02:

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Rock OFF!!!

%d blogueiros gostam disto: